MENSURAÇÃO DA GIBOSIDADE E A SUA CORRELAÇÃO COM MEDIDAS RADIOLÓGICAS NA ESCOLIOSE

Autores

  • Ângela Kazue Morita UNESP
  • Cláudia Regina Sgobbi de Faria UNESP
  • Célia Aparecida Stellutti Pachioni UNESP
  • Dalva Minonroze Albuquerque Ferreira Faculdade de Ciências e Tecnologia/UNESP

Palavras-chave:

escoliose, mensuração da gibosidade, ângulo de Cobb

Resumo

O tratamento da escoliose necessita de periódicas avaliações radiológicas, aumentando-se os riscos da radiação. O uso de métodos não-invasivos pode ser uma alternativa. O objetivo foi avaliar indivíduos com um instrumento não-invasivo para quantificação da gibosidade e correlacionar estas medidas com os valores dos ângulos de Cobb. Quarenta e um participantes realizaram avaliação antropométrica e teste de Adams, sendo aplicado um instrumento composto por nível d`água e uma régua, para mensurar a gibosidade. Solicitou-se exame radiológico nas medidas > 5 mm. Foi empregado o coeficiente linear de Pearson. A escoliose foi diagnosticada em 68,4% do total de radiografias. Houve melhor associação entre a medida da gibosidade torácica com o ângulo de Cobb torácico (direito, r=0,91; esquerdo, r=0,83). O posicionamento adotado durante o teste de Adams poderia favorecer a melhor correlação dos valores torácicos. Concluímos que o método não-invasivo apresentou melhores resultados para curvas torácicas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dalva Minonroze Albuquerque Ferreira, Faculdade de Ciências e Tecnologia/UNESP

Departamento de Fisioterapia Área de Fisioterapia em Ortopedia e Traumatologia

Downloads

Publicado

2011-08-18

Como Citar

Morita, Ângela K., Faria, C. R. S. de, Pachioni, C. A. S., & Ferreira, D. M. A. (2011). MENSURAÇÃO DA GIBOSIDADE E A SUA CORRELAÇÃO COM MEDIDAS RADIOLÓGICAS NA ESCOLIOSE. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 3(1), 27–31. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/563

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)