MENSURAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA EM UMA COZINHA DE UM RESTAURANTE LOCALIZADO NO INTERIOR DO ESTADO SÃO PAULO

Autores

  • Walter Gabriel Ribeiro Alves Universidade do Oeste Paulista https://orcid.org/0000-0002-7971-5193
  • Larissa Alves Ribeiro Universidade do Oeste Paulista
  • Maria Cristina Alves Corazza Universidade do Oeste Paulista https://orcid.org/0000-0002-6822-3724
  • Patrícia Arruda de Souza Alcarás Universidade do Oeste Paulista

Resumo

O objetivo do presente estudo foi mensurar os níveis de pressão sonora gerados em uma cozinha de um restaurante localizado no interior de São Paulo – SP. Trata-se de um estudo de campo cujas mensurações foram feitas nos espaços internos de uma cozinha do restaurante e em quatro pontos cardeais e um central, antes, durante e após o atendimento ao cliente. O material utilizado compreendeu em um decibelímetro da marca Minipa. Os resultados revelaram diferença estatística entre os níveis de pressão sonora mensurados antes e durante o atendimento ao cliente, sendo que durante os níveis foram mais elevados. Desta forma é possível concluir que os níveis de pressão sonora obtidos estão acima do permitido pela ABNT-NBR 10.152. Assim, medidas de controle do ruído se fazem necessário, com vista a proporcionar melhor conforto acústico aos trabalhadores inseridos neste ambiente de trabalho.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Walter Gabriel Ribeiro Alves, Universidade do Oeste Paulista

    Graduando em Fonoaudiologia, Curso de Fonoaudiologia, Universidade do Oeste Paulista

  • Larissa Alves Ribeiro, Universidade do Oeste Paulista

    Graduada em Fonoaudiologia, Curso de Fonoaudiologia, Universidade do Oeste Paulista

  • Maria Cristina Alves Corazza, Universidade do Oeste Paulista

    Doutora em Distúrbios da Comunicação Humana, Curso de Fonoaudiologia, Universidade do Oeste Paulista

  • Patrícia Arruda de Souza Alcarás, Universidade do Oeste Paulista

    Doutora em Distúrbios da Comunicação, Curso de Fonoaudiologia, Universidade do Oeste Paulista

Referências

Organização Mundial de Saúde. Occupational and community noise. Geneva: WHO; 2001.

Heintze TCD, Servat NM, Dal´Sotto TC, Malacarne K, Vincenzi SL. Análise do ruído em uma empresa metalúrgica do Oeste do Paraná. Revista ESPACIOS. 2017;38(58):1-11.[citado em 2019 nov. 20]. Disponível em: https://www.revistaespacios.com/a17v38n58/a17v38n58p15.pdf

Cavalcanti EL. Efeitos auditivos e extra-auditivos relacionados à exposição ao ruído em trabalhadores com perda auditiva induzida por ruído ocupacional em uma usina sucroalcoleira [dissertação]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2014.

Menin EG, Kunz BT, Bramatti L. Relação da perda auditiva induzida por ruído e o uso de tabaco em trabalhadores de uma indústria alimentícia. Rev CEFAC. 2014;16(2):384-94. doi: https://doi.org/10.1590/1982-0216201411912

Oliveira RC, Silva TCA, Magalhães MC, Santos JN. Exposição ao ruído ocupacional pelos tripulantes de ambulâncias. Rev CEFAC. 2015;17(3):847-53. doi: https://doi.org/10.1590/1982-0216201517314

Fonseca AFC, Santos FR, Catai RE, Amarilla RSD. Análise da exposição ocupacional ao ruído em trabalhadores de uma empresa florestal. Revista ESPACIOS. 2017;38(26):25. [citado 2019 nov. 20]. Disponível em: https://www.revistaespacios.com/a17v38n26/a17v38n26p25.pdf

Fontoura FP, Gonçalves CGO, Willig MH, Lüders D. Avaliação de intervenção educativa voltada à preservação auditiva de trabalhadores de uma lavanderia hospitalar. CoDAS. 2018;30(1):e20170080. doi: https://doi.org/10.1590/2317-1782/20182017080

Lopreto C. Cozinha de restaurantes: análise dos níveis de ruído [monografia]. Presidente Prudente: Universidade do Oeste Paulista; 2006.

Quintilio MSV, Alcarás PAS, Martins LS. Avaliação do ruído ocupacional em um restaurante num município do Mato Grosso do Sul. Colloq Exactarum. 2012;4(1):27-32. doi: https://doi.org/10.5747/ce.2012.v04.n1.e042

Mojolla R, Lopes OU, Dias LL. Conforto acústico em um restaurante universitário. Anais do XII Encontro Nacional de Conforto no Ambiente Construído (ENCAC) e XIII Encontro Latinoamericano de Conforto no Ambiente Contruído (ELACAC); 2013 set; Brasilia, DF.

Monteiro MAM, Ramos CGC, Ribeiro RC, Garcia MAVT. Condições de trabalho em restaurantes comerciais de uma instituição pública de ensino. O mundo da saúde. 2014;38(3):306-13. doi: 10.15343 / 0104-7809.20143803306313

Araújo SNR, Oliveira SN, Silva JGM, Leite AMRP, Farias SAR. Medição da poluição sonora no restaurante Universitário da UFCG. Anais do Congresso Técnico Científico da Engenharia e da Agronomia - CONTECC’2017; 2017; Belém, PA.

Associação brasileira de normas técnicas. NBR 10.152: Níveis de Ruído para Conforto Acústico. dez 1987. 4 p.

Dias A, Cordeiro R, Corrente JE, Gonçalves CGO. Associação entre perda auditiva induzida pelo ruído e zumbidos. Cad Saúde Pública. 2006;22(1):63-8. doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2006000100007.

Gambarra PAN, Valença AMG, Rocha AV, Cunha DGP. As repercussões do ruído ocupacional na audição dos cirurgiões-dentistas das unidades de saúde da família de João Pessoa/PB. Rev Bras de Ciências da Saúde. 2012;16(3):361-70. doi: https://doi.org/10.4034/RBCS.2012.16.03.13

Ministério do Trabalho (Brasil). Norma Regulamentadora 9 (NR-9). Programa de Prevenção de Riscos Ambientais; 1978. [citado em 2018 jun 14]. Disponível em: http://trabalho.gov.br/images/Documentos/SST/NR/NR09/NR-09-2016.pdf

Silva JL, Silva ME, Sousa JL, Sousa RF. O estresse provocado pelo ruído como risco ocupacional entre trabalhadores em vulnerabilidade. R pesq cuid fundam [internet]. 2012 jan-mar; (supl 1):09-12.

Willershausen B, Callaway A, Wolf T, Ehlers V, Scholz L, Wolf D, et al. Hearing Assesment in dental practitioners and other academic professionals from an urban setting. Head Face Med. 2014;10(1). doi: https://doi.org/10.1186/1746-160X-10-1

Hanazumi A, Gil D, Iório MCM. Estéreos pessoais: hábitos auditivos e avaliação audiológica. Audiology Comunn Research. 2013;18(3):179-85. doi: https://doi.org/10.1590/S2317-64312013000300007.

Araújo SA. Perda auditiva induzida pelo ruído em trabalhadores de metalúrgica. Rev Bras Otorrinolaringol. 2002;68(1):47-52. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-72992002000100008

Saliba TM, Corrêa MAC. Insalubridade e periculosidade: aspectos técnicos e práticos. 14a. ed. São Paulo:LTR; 2015.

Ministério do Trabalho (Brasil). Norma Regulamentadora nº 15 (NR-15). Atividades e Operações Insalubres. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: 1978 jun 08; (supl).

Downloads

Publicado

2023-04-04

Como Citar

MENSURAÇÃO DOS NÍVEIS DE PRESSÃO SONORA EM UMA COZINHA DE UM RESTAURANTE LOCALIZADO NO INTERIOR DO ESTADO SÃO PAULO. (2023). Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 15(1), 29-35. https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/3567