ANÁLISE DO IMPACTO DA AUTOPERCEPÇÃO ESTÉTICA DENTAL NA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS

Autores

  • Amanda Caroline Dos Santos Ribeiro
  • Natállia Luque Meier
  • Eliane C Gava Pizi

Palavras-chave:

estética dental, odontologia geriátrica, motivação, saúde do idoso, sorriso.

Resumo

A população idosa tem todo direito de qualidade de vida, com vida social ativa. O objetivo foi identificar os componentes dento-faciais considerados antiestéticos pela população idosa, analisar a importância atribuída à sua estética bucal e avaliar o impacto do comprometimento estético nas situações de convívio social. Participaram 50 idosos e 50 adultos de ambos os gêneros, em tratamento em uma clínica odontológica universitária. Foram aplicados três questionários e os dados foram submetidos à análise estatística. Sobre o impacto do sorriso no convívio social, foram detectadas diferenças entre os dois grupos. Sobre o nível atribuído à importância da estética bucal, o idoso apresentou-se mais satisfeito que o grupo adulto. Os componentes mais antiestéticos identificados pelos voluntários foram dentes irregulares, escuros, desgastados ou lascados. Concluiu-se que o grupo de idosos apresentou-se mais satisfeito com seu sorriso e por consequência, a estética dental apresentou um impacto menor sobre seu convívio social atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-05-17

Como Citar

Caroline Dos Santos Ribeiro, A., Luque Meier, N., & Gava Pizi, E. C. (2016). ANÁLISE DO IMPACTO DA AUTOPERCEPÇÃO ESTÉTICA DENTAL NA QUALIDADE DE VIDA DOS IDOSOS. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 7(3), 96–105. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1508

Edição

Seção

Artigos Originais