TERMOGRAFIA DIGITAL POR INFRAVERMELHO DO ESCROTO E QUALIDADE DO SÊMEN EM TOUROS NELORE (BOS TAURUS INDICUS)

Autores

  • Felipe Rydygier de Ruediger Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Marcelo George Mungai Chacur UNOESTE
  • Eunice Oba Universidade Estadual Paulista - FMVZ/UNESP
  • Alcides Ramos Amorim 3Universidade Estadual Paulista - FMVZ/UNESP
  • Camila Dutra de Souza Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE

Palavras-chave:

fatores climáticos, termograma escrotal, touro zebu, sêmen

Resumo

Objetivou-se estudar a relação da temperatura do escroto sobre a qualidade seminal pelo uso da termografia por infravermelho em touros Nelore criados extensivamente. Realizaram-se termografia escrotal e colheita de sêmen. Os dados climáticos foram coletados por meio de globo termômetro. Os termogramas do escroto foram obtidos por meio de termografia digital de infravermelho. Efetuaram-se colheitas de sêmen, por meio de eletroejaculação para analise das características quantitativas e qualitativas. Para os dados, utilizou-se análise de variância e posteriormente aplicou-se o teste de Tukey a 5%. (p<0,05) entre animais para vigor espermático, motilidade espermática entre animais e entre colheitas, concentração espermática, espermatozoides totais e espermatozoides viáveis totais entre grupos, entre colheitas para as temperaturas do escroto e para os dados climáticos. Concluiu-se que as temperaturas da superfície do escroto e os fatores climáticos influenciaram na qualidade do sêmen. A termografia é recomendada como exame complementar na avaliação reprodutiva de touros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo George Mungai Chacur, UNOESTE

Médico Veterinário formado pela UNESP de Jabuticabal, residência, mestrado, doutorado e pós-doutorado na área de Reprodução Animal pela UNESP de Botucatu, professor visitante da Universita Federico II - Nápolis, Itália. Professor dos Cursos de Medicina Veterinária (desde 1997) e Mestrado em Ciência Animal (desde 2005) da UNOESTE, lecionando as seguintes disciplinas: Fisiopatologia da Reprodução do Macho, Fisiopatologia da Reprodução da Fêmea, Ginecologia e Obstetrícia Veterinária, na graduação. As disciplinas: Reprodução Animal Comparada e Fisiopatologia da Reprodução do macho e da fêmea, no mestrado.

Downloads

Como Citar

Ruediger, F. R. de, Chacur, M. G. M., Oba, E., Amorim, A. R., & Souza, C. D. de. (2014). TERMOGRAFIA DIGITAL POR INFRAVERMELHO DO ESCROTO E QUALIDADE DO SÊMEN EM TOUROS NELORE (BOS TAURUS INDICUS). Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 10(2), 67–74. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/1154

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)