AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DAS ESPÉCIES DE GIRASSOL (Helianthus annus) E FEIJÃO-DE-PORCO (Canavalia ensiformis) CULTIVADAS EM SOLO DE PASSIVO AMBIENTAL

Autores

  • Eliane Baptista Barbosa Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Daniela Aparecida Baptista Barbosa Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Isabela Marega Rigolin Fuzeto Unoeste
  • Milena Cristina Ferreira Sanchez Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE

Palavras-chave:

desenvolvimento vegetativo, passivo ambiental, solo, resíduos sólidos

Resumo

A disposição adequada dos resíduos sólidos é considerada um desafio a muitos municípios brasileiros que ainda dispõem seus resíduos em aterros controlados e lixões, grandes causadores de passivo ambiental. Sendo o solo um dos componentes ambientais mais afetados por essa prática, o objetivo do presente trabalho é avaliar o desenvolvimento vegetativo do girassol e feijão-de-porco cultivados em solo de passivo ambiental oriundo da destinação inadequada de resíduos sólidos. Foram coletadas amostras de solo de um lixão desativado localizado no Oeste Paulista e uma amostra testemunha, a fim de comparar o desenvolvimento das espécies nos diferentes solos. O estudo foi desenvolvido em casa de vegetação, a partir do Delineamento de Blocos Casualizados, com dezesseis parcelas experimentais, durante 45 dias. Foram avaliados parâmetros de fertilidade do solo e produção de biomassa das espécies. Os resultados foram submetidos à análise de variância e ao teste de comparação de médias Tukey. Constatou-se significativa influência dos resíduos sólidos sobre a disponibilidade de nutrientes do solo, que apresentou teores elevados de macronutrientes e matéria orgânica. A espécie de feijão-de-porco destacou-se pela maior produção de biomassa comparada ao girassol, o que indica a possibilidade de uso dessa espécie na fitorremediação desse solo de passivo ambiental.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

ALMEIDA, R. de. Fitoextração de metais pesados em solo contaminado por escória de minério de chumbo, no município de Santo Amaro – BA. Faculdade Maria Milza – FAMAM, 2018.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Norma Brasileira ISO 3310: Peneiras de ensaio - Requisitos técnicos e verificação - Parte "I Peneiras de ensaio com tela de tecido metálico (lSO 3310-1:2000, IDT), 2010.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA. Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil 2018/2019. Disponível em: https://abrelpe.org.br/panorama/. Acesso em: 15 ago. 2020.

ASSUNÇÃO, S. J. R. Seleção de plantas para fitorremediação de chumbo, cádmio e zinco de uma área contaminada na Bacia do Rio Subaé. 2012.100f.; il. Dissertação (Mestrado) – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia,Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas.

BARBOSA, A. de M. Caracterização climática de Presidente Prudente-SP. BOLETIM AGROMETEOROLÓGICO 01, Universidade do Oeste Paulista, Julho de 2020.Disponível em: <http://sites.unoeste.br/clima/wp-content/uploads/2020/07/Boletim-01-Caracteriza%C3%A7%C3%A3o-Clim%C3%A1tica-de-Presidente-Prudente-2.pdf>. Acesso em 15 nov. 2020.

BELI, E. et al. Recuperação de área degradada pelo lixão areia branca de Espírito Santo do Pinhal - SP. Engenharia Ambiental, Espírito Santos do Pinhal - SP v.2, n.1, p.135-148, 2005.

BRASIL. Congresso Nacional. Lei nº 12.305 de 02 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 02 ago. 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm. Acesso em: 24 ago. 2020.

COUTINHO, H. D.; BARBOSA, A. R. Fitorremediação: Considerações Gerais e Características de Utilização. A. R, p. 15, 2007.

COSTA, B.M.B. et al. Analise e caracterização química do solo em locais de acomodação de resíduos hospitalares no município de Cuité-PB. Revista Gestão & Sustentabilidade Ambiental, Florianópolis, v. 6, n. 1, p. 83 - 100, 2017. https://doi.org/10.19177/rgsa.v6e1201783-100

GARBISU, C.; ALKORTA I. Phytoextraction: a cost-effective plantbased technology for the removal of metals from the environment,Bioresource Technology, Volume 77, Issue 3,. 229-236 p. 2001. https://doi.org/10.1016/S0960-8524(00)00108-5

HORTA, M. C.; TORRENT, J. Dinâmica do Fósforo no Solo, Perspectiva Agronómica e Ambiental. 1º ed. Portugal, Editora IPCB, 2010. 101p.

LAMEGO, F. P.; VIDAL, R. A. Fitorremediação: plantas como agentes de despoluição?. Revista de Ecotoxicologia e Meio Ambiente. Curitiba, v. 17, p. 9-18, jan./dez. 2007. https://doi.org/10.5380/pes.v17i0.10662

MALAVOLTA, E.; VITTI, G.C.; OLIVEIRA S.A. Avaliação do estado nutricional das plantas – princípios e aplicações. 2 a edição. Piracicaba, 1997.

MARINHO, A. P. F. et al. Contaminação do solo por zinco, cobre e bário em área de disposição irregular de resíduos sólidos urbanos no semiárido potiguar. ABES - Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental, 2019.

MEDEIROS, G. de A. et al. Diagnóstico da qualidade da água e do solo no lixão de Engenheiro Coelho, no Estado de São Paulo. Engenharia Ambiental: Pesquisa e Tecnologia , Brasília, DF, 5.2, 2008. Disponível em: < http://ferramentas.unipinhal.edu.br/engenhariaambiental/viewarticle.php?id=135 >. Acesso em: 29 11 2020.

NASCIMENTO, C.W.A. et al. Comparison of natural organic acids and synthetic chelates at enhancing phytoextraction of metals from a multimetal contaminated soil. Environmental Pollution, v.140, p.114-123, 2006. https://doi.org/10.1016/j.envpol.2005.06.017

RAIJ, B. V. Análise química para avaliação da fertilidade de solos tropicais. Instituto Agronômico. Campinas, SP, 2001.

RODRIGUES, F.L.; CAVINATTO, V. M. Lixo de onde vem, pra onde vai? Ed. Moderna LTDA.2003.95p.

SAVANI, F. R. AVALIAÇÃO DE FEIJÃO DE PORCO (CANAVALIA ENSIFORMIS) COMO FITORREMEDIADOR DE Pb, Cu E Zn EM SOLOS. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC – UFABC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL, Santo André- SP 2016.

Downloads

Publicado

2022-02-09

Como Citar

AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DAS ESPÉCIES DE GIRASSOL (Helianthus annus) E FEIJÃO-DE-PORCO (Canavalia ensiformis) CULTIVADAS EM SOLO DE PASSIVO AMBIENTAL. (2022). Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 13(3), 29-37. https://revistas.unoeste.br/index.php/ce/article/view/4197

Artigos Semelhantes

1-10 de 159

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)