INCIDÊNCIA HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO EM CRIANÇAS NASCIDAS NOS HOSPITAIS PÚBLICOS DO OESTE PAULISTA

Autores

  • Franciele Cardoso Leite Hospital Regional de Presidente Prudente:Associação e Fraternidade São Francisco de Assis na Providência de Deus
  • Patricia Martins Luizari Escoboza

Resumo

O objetivo deste estudo foi avaliar a incidência da alteração do hormônio TSH nos testes de triagem dos hospitais públicos de Presidente Prudente e determinar a média de idade do recém-nascido na ocasião da coleta dos exames, da confirmação do diagnóstico e a sequência do tratamento. Com esta finalidade, fora realizado um estudo descritivo do tipo transversal baseado no banco de dados do Serviço de Referência de Triagem Neonatal, tendo como amostra recém-nascidos que realizaram o teste de triagem neonatal pelo sistema único de saúde em 2017. Foi possível observar que 27,08% dos pacientes tiveram o diagnóstico confirmado e foram encaminhados para especialista. A maioria dos pacientes (61,54%) retornaram entre os dias 16 e 30 após a dosagem inicial para confirmação do resultado, apenas 23,07% retornaram após 61 dias. A importância do diagnóstico de hipotireoidismo congênito se justifica, uma vez que diagnosticado precocemente possibilitará melhor resultado terapêutico e prognóstico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-02-18

Como Citar

Cardoso Leite, F., & Luizari Escoboza, P. M. . (2021). INCIDÊNCIA HIPOTIREOIDISMO CONGÊNITO EM CRIANÇAS NASCIDAS NOS HOSPITAIS PÚBLICOS DO OESTE PAULISTA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 13(1), 1–6. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/3435