EFEITOS DO PILATES NO SISTEMA CARDIOVASCULAR E METABÓLICO DE MULHERES ATIVAS

Autores

  • Karoline Barros Oliveira Oliveira Unoeste
  • Nathalia Tau Maciel Silva Silva Unoeste
  • Thaoan Bruno Mariano Mariano Unoeste
  • Heliard Rodrigues dos Santos Caetano UNOESTE

Resumo

Segundo dados epidemiológicos as taxas de mortalidade vêm progredindo por conta das DCV, uma forma de reduzir os riscos é a prática de exercícios físicos, o Método Pilates vem consolidando-se um exercício físico, tem destaque sobre o controle do corpo e mente, podendo ser praticado no solo ou em aparelhos onde utiliza-se a resistência do corpo e das molas. O objetivo deste estudo foi demonstrar os efeitos benéficos proporcionados pela prática do método Pilates e sua influência sobre parâmetros cardiovasculares e metabólicos em mulheres adultas praticantes. Trata-se de uma pesquisa transversal, onde foram incluídas mulheres praticantes do método Pilates, submetidas a um questionário de qualidade de vida e avaliação física, observando-se os dados vitais e a antropometria, em seguida foi aplicado o protocolo de treinamento durante as dez sessões. Os dados foram analisados pelo software estatístico GraphPad Prism, para análise de normalidade dos dados foi aplicado teste de Shapiro Wilk, e para análise pareada foi realizado o teste de Anova medida repetida, para comparação entre os grupos o teste T de Student em caso de distribuição normal ou teste de Wilcoxon para variáveis que não seguiram distribuição Gaussiana. O nível de significância utilizado será de 5%. Dentre os resultados a pratica do método Pilates potencializou o efeito cardioprotetor sobre as alterações cardiovasculares e metabólicas das mulheres.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Organização Mundial da Saúde – OMS. Doenças cardiovasculares. 2017.

Carvalho CA, Fonseca PCA, Barbosa JB, Machado SP, Santos AM, Silva AAM. The association between cardiovascular risk factors and anthropometric obesity indicators in university students in São Luís in the State of Maranhão, Brazil. Ciênc Saúde Coletiva. 2015;20(2): 479-90. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015202.02342014

Gus I, Ribeiro RA, Kato S, Bastos J, Medina C, Zazlavsky C, et al. Variations in the prevalence of risk factors for coronary artery disease in Rio Grande do Sul - Brazil: a comparative analysis between 2002 and 2014. Arq Bras Cardiol. 2015;105(6):573-9. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/abc.20150127

Ruiz-Montero PJ, Castillo-Rodriguez A, Mikalački M, Nebojsa Č, Korovljev D. 24-weeks Pilates-aerobic and educative training to improve body fat mass in elderly Serbian women. Clin Intervent Aging. 2014;9:243. https://doi.org/10.2147/CIA.S52077

Aladro-Gonzalvo AR, Machado-Díaz M, Moncada-Jiménez J, Hernández-Elizondo J, Araya-Vargas G. The effect of Pilates exercises on body composition: a systematic review. J Bodyw mov ther. 2012;16(1):109-14. https://doi.org/10.1016/j.jbmt.2011.06.001

Marés G, Oliveira KB, Piazza MC, Preis Neto C, Bertassoni L. A importância da estabilização central no método Pilates: uma revisão sistemática. Fisioter Mov. 2012;25(2):445-51. https://doi.org/10.1590/S0103-51502012000200022

Jianxiong W. Tan S, Cao L. Exercise training at the maximal fat oxidation intensity improved health-related physical fitness in overweight middle-aged women. J Exerc Sci Fitness. 2015;13(2):111-6. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.jesf.2015.08.003.

Abete I, Goyenechea E, Zulet MA, Martinez JA. Obesity and metabolic syndrome: potential benefitfrom specific nutrition al componentes. Nutr Metab Cardiovasc Dis. 2011;21(2):B1 -15. https://doi.org/10.1016/j.numecd.2011.05.001

Malachias MVB et al. Sociedade Brasileira de Cardiologia. 7a Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arq Bras Cardiol. 2016;107(3):1-103.

Rodrigues EV et al. Effects of exercise on pain of musculoskeletal disorders: a systematic review. Acta Ortop. Bras. 2014;22(6):334-8. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-78522014220601004

Ministério da saúde, IMC em adultos, 2017. Disponível em: http://www.saude.gov.br/component/content/article/804-imc/40509-imc-em-adultos

Britto EP, Mesquita ET. Bioimpedância elétrica aplicada à insuficiência cardíaca. Rev SOCERJ. 2008;21(3):178-83. Disponível: http://www.rbconline.org.br/wpcontent/uploads/a2008_v21_n03_a08aatue leonora.pdf 24.

Cômodo ARO, Dias ACF, Tomaz BA, Silva-Filho AA, Werustsky CA, Ribas DF, Spolidoro J, Marchini JS. Utilização da bioimpedância para avaliação da massa corpórea. Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina. Projeto Diretrizes, 2009. Disponível em: http://www.abran.org.br/para-profissionais/diretrizes-abran/

Sociedade Brasileira de Cardiologia. VI Diretrizes Brasileiras de Hipertensão Arterial. 2010. Disponível em: http://publicacoes.cardiol.br/consenso/2010/Diretriz_hiperten saoassociados.pdf

Blog Pilates. 2018. Disponível em: http://www.blogpilates.com.br

Robertson RJ, Goss FL, Rutkowisk J, Lenz B, Dixon C, Timmer J. Concurrent validation of the OMNI perceived exertion scale for resistance exercise. Med Sci Sports Exerc. 2003;35(2): 333-41.

Craig C. Pilates com a bola. São Paulo: Phorte; 2003.

Doijad VP, Surdi AD. Effect of short term yoga practice on pulmonary function tests. Ind J Basic Appl Med Res. 2012;1:226-30.

Barbosa AW, Martins FL, Vitorino DF, Barbosa MC. Immediate electromyography changes of the biceps brachii and upper rectus abdominis muscles due to the Pilates centering technique. J Bodyw Mov Ther. 2013;17(3):385-90. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.jbmt.2013.01.003

Blum CL. Chiropractic and Pilates therapy for the treatment of adult scoliosis. J Manipulative Physiol Ther. 2002;25(4):E3. https://doi.org/10.1067/mmt.2002.123336

Bertolla F, Baroni BM, Junior ECPL, Oltramari JD. Effects of a training program using the Pilates method in flexibility of sub-20 indoor soccer athletes. Rev Bras Med Esporte. 2007;13(4):222-6. https://doi.org/10.1590/S1517-86922007000400002

Kolyniak IEG, Cavalcanti SMB, Aoki MS. Isokinetic valuation of the musculature involved in trunk flexion and extension: Pilates method effect. Rev Bras Med Esporte. 2004;10(6):491-3. https://doi.org/10.1590/S1517-86922004000600005

Magalhaes F, Albuquerque AP, Pyrrho C, Navarro F. Comportamento da pressao arterial e da frequência cardíaca em uma aula utilizando o metodo Pilates. Rev Bras Prescr Fisiol Exerc. 2009;3:208-16.

Leite TC, Farinatti PTV. Estudo da frequencia cardiaca, pressão arterial e duplo produto em exercicios diversos para grupamentos musculares semelhantes. Rev Bras Prescr Fisiol Exerc. 2003;2:29-49.

Liberalino EST, Sousa TCC, Silva VRL. Influência dos exercícios do método Pilates sobre o sistema cardiorrespiratório. REBES. 2013;3(3):59-64.

Fagard RH. Exercise characteristics and blood pressure responses to dynamics physical training. Med Sci Sports Exerc. 2001;21(33)484-92. https://doi.org/10.1097/00005768-200106001-00018

Kokkino PF, Papademetrio V. Exercise and hypertension. Coron Artery Dis. 2000;1(11):99-102. https://doi.org/10.1097/00019501-200003000-00002

Rocha AAO, Costa ACSM, Luduvice FS. Análise da capacidade física e respiratória de alunas praticantes do método pilates no município de Aracaju/SE. Interfaces Científicas – Saúde e Ambiente. 2015;3(2):73-86. https://doi.org/10.17564/2316-3798.2015v3n2p75-86

Caldwell K, Harrison M, Adams M, Triplett NT. Effect of Pilates and Taiji quan training on self-efficacy, sleep quality, mood, and physical performance of college students. J Bodyw Mov Ther. 2009;13(2):155-63. https://doi.org/10.1016/j.jbmt.2007.12.001

Jago R, Jonker ML, Missaghian M, Baranowski T. Effect of 4 weeks of Pilates on the body composition of young girls. Prev Med. 2006;42(3):177-80. https://doi.org/10.1016/j.ypmed.2005.11.010

Arslanoglu E, Cansel A, Behdari R, Ömer S. Effects of eight weeks Pilates exercice on body composition of middle aged sedentary women. Mov Health. 2011;11(1):86-9.

Downloads

Publicado

2021-06-24

Como Citar

Oliveira, K. B. O., Silva, N. T. M. S., Mariano, T. B. M., & Caetano, H. R. dos S. (2021). EFEITOS DO PILATES NO SISTEMA CARDIOVASCULAR E METABÓLICO DE MULHERES ATIVAS . Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 13(1), 35–42. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/3407