O USO DE BENZODIAZEPÍNICOS EM MULHERES IDOSAS E O PAPEL DO MEDICO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Autores

  • Alexandre Carvalho
  • Luciana Farias dos Santos
  • Simone Shirasaki Orosco

Palavras-chave:

ansiolíticos, idoso, mulheres, atenção primária à saúde, medicina comunitária

Resumo

O uso de benzodiazepínicos é frequente em idosos do gênero feminino. Essa situação é preocupante, na medida em que esse segmento populacional apresenta maior predisposição aos efeitos adversos e à toxicidade dessas medicações. Assim, este estudo teve como objetivo identificar o papel do médico da atenção primária diante do uso inadequado de benzodiazepínico em idosas. Esta pesquisa utilizou como metodologia a revisão integrativa. Os artigos foram comparados e agrupados por similaridade de conteúdo, sendo construídas duas categorias para análise: uso inadequado de benzodiazepínicos em idosas e papel do médico da atenção primária. Conclui-se que se deve instituir o uso racional de benzodiazepínicos na população idosa, além disso, o médico precisa saber identificar tolerância e dependência e como manejar esses pacientes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2017-05-02

Como Citar

Carvalho, A., Farias dos Santos, L., & Shirasaki Orosco, S. (2017). O USO DE BENZODIAZEPÍNICOS EM MULHERES IDOSAS E O PAPEL DO MEDICO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 8(3), 52–59. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1815

Edição

Seção

Artigos Originais