RELAÇÃO DO EQUILÍBRIO FUNCIONAL COM O RISCO DE QUEDAS EM PACIENTES PARKINSONIANOS

Autores

  • Fernanda Mayra Fajalle Universidade Estadual Paulista – UNESP
  • Mileide Cristina Stoco de Oliveira
  • Larissa Borba André
  • Laricy Martins da Mata

Palavras-chave:

doença de Parkinson, equilíbrio postural, idoso, fisioterapia, acidentes por quedas.

Resumo

O objetivo foi verificar a relação do equilíbrio funcional com o histórico de quedas em pacientes com doença de Parkinson, atendidos num centro de Fisioterapia e reabilitação da Faculdade de Ciências e Tecnologia – UNESP em Presidente Prudente. Foi realizado um estudo transversal descritivo, com uma amostra de 7 pacientes de ambos os sexos. O equilíbrio funcional foi avaliado através do Teste de Alcance Funcional Frontal (TAF) e o histórico de quedas através de entrevista com o paciente. Foi observado no TAF a pontuação média dos participantes de 16,26 cm e os pacientes relataram ter sofrido em média 3,57 quedas nos últimos seis meses. Pode-se concluir que quanto menor o alcance no TAF maior o risco de quedas ou a susceptibilidade para cair.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Como Citar

Mayra Fajalle, F., Cristina Stoco de Oliveira, M., Borba André, L., & Martins da Mata, L. (2016). RELAÇÃO DO EQUILÍBRIO FUNCIONAL COM O RISCO DE QUEDAS EM PACIENTES PARKINSONIANOS. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 7(3), 56–61. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1514

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)