DETECÇÃO E INTERVENÇÃO PSICOMOTORA EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA

Autores

  • Caroline Nunes Gonzaga Universidade Estadual Paulista – UNESP
  • Mileide Cristina Stoco de Oliveira
  • Larissa Borba André
  • Augusto Cesinando de Carvalho
  • Tânia Cristina Bofi

Palavras-chave:

transtorno autístico, desempenho psicomotor, avaliação, deficiência do desenvolvimento, fisioterapia.

Resumo

A socialização, comunicação e comportamento são as principais áreas acometidas em crianças com transtorno do espectro autista (TEA). Acredita-se que a genética e a hereditariedade possuem grande contribuição para esse distúrbio. Esse estudo tem como objetivo detectar e intervir de forma precoce nas alterações no desenvolvimento das crianças com TEA por meio da Psicomotricidade, para que sejam minimizados esses efeitos. Participaram deste estudo seis crianças com TEA, com a média de idade de 57,50 ± 17,12 meses, frequentadoras de um programa para desenvolvimento da psicomotricidade na FCT/UNESP de Presidente Prudente. Utilizou-se como instrumento a Escala de Desenvolvimento Motor, que avalia crianças de 2 a 11 anos de idade. Conclui-se que as crianças avaliadas apresentaram déficits no desenvolvimento, no entanto obtiveram melhora em grande parte das áreas do desenvolvimento após a intervenção psicomotora de 6 meses.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Como Citar

Nunes Gonzaga, C., Cristina Stoco de Oliveira, M., Borba André, L., Cesinando de Carvalho, A., & Cristina Bofi, T. (2016). DETECÇÃO E INTERVENÇÃO PSICOMOTORA EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 7(3), 71–79. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1512

Edição

Seção

Artigos Originais

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>