PREVENÇÃO DO CÂNCER DE COLO UTERINO NA CONCEPÇÃO DA POPULAÇÃO FEMININA DE UMA CIDADE DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO

Autores

  • Fabiola Azevedo Mello Universidade do Oeste Paulista
  • Leonilda Chiare Galle Universidade do Oeste Paulista
  • Rosana Leal do Prado Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE

Palavras-chave:

Câncer do colo uterino, exame de Papanicolaou, prevenção, conhecimento, população feminina.

Resumo

Apesar dos programas de prevenção, o câncer de colo uterino (CCU) continua sendo grande preocupação para a saúde pública. Este estudo foi proposto para conhecer as dificuldades que interferem na cobertura do exame de Papanicolaou em uma população feminina. Trata-se de um estudo do tipo observacional, primário, prospectivo, transversal, quantitativo e randômico. Houve associação estatística significativa entre a realização anual do exame e o estado civil, 84,13% das mulheres que realizam o exame anualmente são casadas, a maioria declarou estar empregada, apenas 33,07% são usuárias do sistema único de saúde (SUS) e 16,28% não participam do programa de rastreamento com regularidade. A vergonha foi a justificativa mais apresentada para a não realização do exame, seguida pela falta de tempo, não confiar no SUS e julgar o exame desnecessário. Estratégias educativas são fundamentais para a prevenção do CCU, na população estudada, mulheres solteiras, desempregadas e mais jovens necessitam maior atenção.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-01-25

Como Citar

Mello, F. A., Galle, L. C., & Prado, R. L. do. (2018). PREVENÇÃO DO CÂNCER DE COLO UTERINO NA CONCEPÇÃO DA POPULAÇÃO FEMININA DE UMA CIDADE DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 9(2), 45–52. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1317

Edição

Seção

Artigos Originais