PRIMEIRA INFÂNCIA NA ESCALA DA CIDADE: ANÁLISE QUALITATIVA ENTRE AS PRAÇAS DE PRESIDENTE PRUDENTE – SP E CRUZÍLIA – MG

Autores

  • Beatriz de Stefani Cardoso Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Paloma Pereira Ramiro Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Victor Martins de Aguiar Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Yeda Ruiz Maria unoeste

Palavras-chave:

Infraestrutura, Espaços públicos

Resumo

Os espaços públicos são importantes para o desenvolvimento e a manutenção dos laços entre as pessoas e entre elas e a cidade; eles também têm papel fundamental na formação de uma consciência cidadã e urbana nas crianças, principalmente no período da Primeira Infância. Apesar disso, a situação observada é de descaso com esses espaços, o que resulta no afastamento das crianças, devido à falta de infraestrutura e de segurança. No últimos anos diversos trabalhos vêm discutindo a importância de se pensar as cidades como potenciais educadores, além de apontar diretrizes que evidenciem esse caráter educador. A partir de tais discussões, esta pesquisa científica analisou as relações de uso de crianças com os espaços públicos, tendo as praças do Centenário, em Presidente Prudente – SP, e a 7 de Setembro, localizada em Cruzília – MG, como objetos de estudo e observação. Foram realizadas leituras sobre as políticas públicas relacionadas ao público infantil em ambas as cidades e, através do levantamento in loco e digital da infraestrutura existente das praças, comparou-se qualitativamente os resultados obtidos em ambas as praças. A metodologia empregada para esta pesquisa incluiu revisões bibliográficas e documentais, levantamentos in loco e digitais, análises referentes aos objetos de estudos, que resultaram em uma comparação entre as análises qualitativas de cada uma elas. Como resultado desse comparativo, foram propostas diretrizes gerais e específicas, concretizando o objetivo dessa pesquisa que é de potencializar o caráter educador de cada uma das praças analisadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos: NBR 9050. Rio de Janeiro: ABNT, 2015.

ASOCIACIÓN INTERNACIONAL DE CIUDADES EDUCADORAS. Ciudad Educadora. 2012. Disponível em: <http://www.bcn.cat/edcities/aice/estatiques/espanyol/sec_educating.html>. Acesso em: 03 de maio de 2022.

BRASIL. Emenda constitucional N° 65, de 13 de julho de 2010. Altera a denominação do Capítulo VII do Título VIII da Constituição Federal e modifica o seu art. 227, para cuidar dos interesses da juventude. Constituição (1988). Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 13 jul. 2010. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 26 de junho de 2022.

BRASIL. Emenda constitucional Nº 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Estatuto da Cidade. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 11 jul. 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LEIS_2001/L10257.htm>. Acesso: 05 de maio de 2022.

BRASIL. Lei N° 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente

e dá outras providências. Estatuto da Criança e do Adolescente. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8069.htm#art266>. Acesso em: 10 de julho de 2022.

CARDOSO, B. S; AGUIAR, V. M; MARIA, Y. R. Espacialidade Infantil: análise das relações entre as crianças e a Praça do Centenário em Presidente Prudente – SP. Colloquium Socialis, Presidente Prudente, v. 5, n. 2, p. 35-50, 2022. Disponível em: <https://journal.unoeste.br/index.php/cs/article/view/4209>. Acesso em: 22 de julho de 2022. https://doi.org/10.5747/cs.2021.v5.n2.s137

CIRCUITO DAS ÁGUAS MG, Cruzília, 2021. Disponível em: <https://circuitodasaguasmg.com.br/>. Acesso em: 14 de junho de 2022.

CRUZÍLIA. Lei Nº 1.908, de 30 de junho de 2009. Institui o Plano Diretor do Município de Cruzília e dá outras providências. Plano diretor de Cruzília. Prefeitura Municipal de Cruzília, Cruzília, MG, 30 jun. 2009.

DIÁRIO OFICIAL DA PREFEITURA DE PRESIDENTE PRUDENTE. A cidade. Presidente Prudente, SP, 2022. Disponível em: <http://www.presidenteprudente.sp.gov.br/site/acidade.xhtml>. Acesso em: 16 de maio de 2022.

DIÁRIO OFICIAL DA PREFEITURA DE PRESIDENTE PRUDENTE. Praça do Centenário é entregue nesta sexta-feira, com shows de artistas prudentinos. Presidente Prudente, SP, 13 abril 2018. Disponível em: <http://www.presidenteprudente.sp.gov.br/site/noticias.xhtml?cod=39410>. Acesso em: 10 de julho de 2022.

DIAS, M. S; FERREIRA, B. R. Espaços públicos e infâncias urbanas: a construção de uma cidadania contemporânea. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, Rio de Janeiro. v. 17, n. 3, p.118-133, dez. 2015. https://doi.org/10.22296/2317-1529.2015v17n3p118

GADELHA, J. B. Instrumentos projetuais de Arquitetura e Urbanismo como agentes transformadores, tendo como parâmetro a escala da criança. In: COLÓQUIO INTERNACIONAL – IMAGINÁRIO: CONSTRUIR E HABITAR A TERRA / DEFORMAÇÕES, DESLOCAMENTOS E DEVANEIOS (ICHT), III, 2019, São Paulo. Anais Colóquio Internacional: ICHT III. USP, 2019. Disponível em: <https://sites.usp.br/icht2019/wp-content/uploads/sites/416/2019/07/Instrumentos-projetuais-de-Arquitetura-e-Urbanismo-como-agentes-transformadores-tendo-como-para%CC%82metro-a-escala-da-crianc%CC%A7a-.pdf>. Acesso em: 03 de julho 2022.

IBGE. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. Censo demográfico. 2010. Disponível em:<https://cidades.ibge.gov.br/brasil/sp/presidente-prudente/panorama>. Acesso em: 18 de julho de 2022.

LOEB, R. M. Territórios Vulneráveis, Arquitetura e Urbanismo: estratégias contemporâneas de ação. 2019. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo, 2019.

LUZ, G. M. da; KUHNEN, A. O uso dos espaços urbanos pelas crianças: explorando o comportamento do brincar em praças públicas. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 26, p. 552-560, 2013. https://doi.org/10.1590/S0102-79722013000300015

MEIRA, A. M. Olhares das crianças sobre a cidade de Porto Alegre: infância contemporânea, psicanálise, educação e arte. p. 211. Dissertação (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2011.

MEKIDECHE, T. Espaços para crianças na cidade de Argel: um estudo comparativo da apropriação lúdica dos espaços públicos. In: TASSARA, E. T.; RABINOVICH, E. P. (Ed.). Psicologia e ambiente. São Paulo: Educ, 2004. p. 143­167.

MERLIN, J. R.; QUEIROZ, A. N. Espaços Públicos: suas potencialidades educadoras e a construção da cidadania. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO, III, 2014, São Paulo. Arquitetura, cidade e projeto: uma construção coletiva. ANPARQ, 2014. Disponível em: <https://www.anparq.org.br/dvd-enanparq-3/htm/Artigos/SC/ORAL/SC-EPC-034_MERLIN_QUEIROZ.pdf>. Acesso em: 03 de maio de 2022.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CRUZÍLIA. História da Cidade de Cruzília. Disponível em: <http://www.cruzilia.mg.gov.br/site/index.php/historia>. Acesso em: 14 de julho de 2022.

PRESIDENTE PRUDENTE. Lei Complementar nº 230/2018, de 27 de dezembro de 2017. Dispõe sobre a Lei do Plano Diretor do Município, e dá outras providências. Plano Diretor de Presidente Prudente. Diário Oficial [da] Cidade de Presidente Prudente, SP, Brasil, 27 dez. 2017. Disponível em: <http://www.presidenteprudente.sp.gov.br/site/Documento.do?cod=45274>. Acesso em: 10 de julho de 2022.

RAMIRO, P. P; AGUIAR, V. M; MARIA, Y. R. Espacialidade Infantil: análise das práticas espaciais e dos vínculos entre as crianças na Praça 7 de Setembro em Cruzília – MG. Colloquium Socialis, Presidente Prudente, v. 5, n. 3, p. 7-24, 2022. Disponível em: <https://journal.unoeste.br/index.php/cs/article/view/4208>. Acesso em: 22 de julho de 2022. https://doi.org/10.5747/10.5747/cs.2021.v5.n3.s143

SARMENTO, M. J. Infância e cidade: restrições e possibilidades. Educação, Porto Alegre, v. 41, n. 2, p. 232-240, maio – ago 2018. https://doi.org/10.15448/1981-2582.2018.2.31317

SPOSITO, M. E. B. O Chão em Presidente Prudente: a lógica da expansão territorial urbana. 1983. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 1983.

VICENTE, P. M. Novos olhares: uma leitura da cidade por suas crianças. 2018. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade de São Paulo. São Paulo, 2018.

Downloads

Publicado

2023-01-17

Como Citar

Cardoso, B. de S., Ramiro, P. P., Aguiar, V. M. de, & Maria, Y. R. (2023). PRIMEIRA INFÂNCIA NA ESCALA DA CIDADE: ANÁLISE QUALITATIVA ENTRE AS PRAÇAS DE PRESIDENTE PRUDENTE – SP E CRUZÍLIA – MG. Colloquium Socialis. ISSN: 2526-7035, 6(1), 71–89. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/cs/article/view/4541

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)