PLANEJAMENTO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO: DESAFIOS E AVANÇOS NAS PRÁTICAS COLABORATIVAS DE ENSINO

Autores

  • Marta Aparecida de Mello Pereira Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS
  • Ana Paula Camilo Pereira Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul - UEMS, MS

Palavras-chave:

Palavras-chaves: Planejamento educacional individualizado. Educação especial. Estratégia pedagógica. Trabalho colaborativo.

Resumo

Este artigo é o desdobramento da pesquisa sobre o Planejamento Educacional Individualizado (PEI) e as práticas colaborativas desenvolvidas na Escola Municipal Professor Licurgo de Oliveira Bastos em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Os tópicos de estudos nesse trabalho envolveram o PEI, pois este é um instrumento individual que intermedia a aprendizagem dos estudantes permitindo uma avaliação sistematizada do ensino. O objetivo é apresentar uma análise da elaboração e aplicabilidade do PEI para os estudantes com deficiência intelectual, inseridos no ensino comum. A metodologia de coleta de dados aconteceu por meio do estudo documental com aprofundamento sobre as leis que regulamentam as ações sobre o PEI na Educação Especial. Os estudos tiveram também embasamentos teóricos nos seguintes autores: Valadão (2018); Baptista (2013); Pletsch; Glat (2013); Vianna (2011); Peroni (2014), entre outros. Com os estudos, obteve-se os resultados de que a elaboração e a aplicabilidade do PEI sempre foram realizadas aos estudantes da Educação Especial na escola em análise, porém, ainda se encontra deficitário o entendimento acerca do trabalho colaborativo na implementação do PEI. Desse modo, corrobora-se que as práticas pedagógicas dos professores no planejamento individualizado ainda estão longe do real significado estabelecido pelos documentos que regulamentam a Educação Especial. Ainda assim, concluiu-se que o PEI é um recurso pedagógico importante para a Educação Especial, pois a partir desse instrumento educacional que se vislumbra caminhos possíveis a serem seguidos, possibilitando ao professor várias formas de ensinar, tornando suas práticas pedagógicas mais inclusivas.

 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

ANDRÉ, M.; DIAS, H. N. O coordenador pedagógico e a formação de professor para a diversidade. In: ALMEIDA, L. R.; PLACCO, V. M. N. (Orgs.). O coordenador pedagógico e o atendimento à diversidade. 2. Ed. São Paulo: Edições Loyola, 2012.

AQUINO JUNIOR, J. O aluno, o professor e a escola. In: PASSINI, E. Y.; PASSINI, R.; MALYSZ, S. T. (Orgs.). Prática de ensino de Geografia e estágio supervisionado. 2. ed., 3ª reimpressão. São Paulo: Contexto, 2015.

BAPTISTA, C. R. Ação Pedagógica e Educação Especial: para além do AEE. In: JESUS, D. M. (Org.). Prática pedagógica na educação especial: multiplicidade do atendimento educacional especializado.1. Ed. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília: MEC/SEESP, 2008. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=16690-politica-nacional-de-educacao-especial-na-perspectiva-da-educacao-inclusiva-05122014&Itemid=30192>. Acesso em: 10 jan. 2021.

BRASIL. Constituição da República Federal do Brasil (1988). Brasília, DF: Senado Federal, 1988. Disponível em: <https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf>. Acesso em: 11 jan. 2021.

BRASIL. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 16 jul. 1990. Disponível em: < https://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1990/lei-8069-13-julho-1990-372211-publicacaooriginal-1-pl.html>. Acesso em: 05 jan. 2021.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o plano nacional de educação (PNE) e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 26 jun. 2014. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2014/lei/l13005.htm.> Acesso em: 14 jan. 2021.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Programa de implantação da Sala de Recursos Multifuncionais: espaço para atendimento educacional especializado. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Brasília. 2006.

Disponível em:

< http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=9936- manual-orientacao-programa-implantacao-salas-recursos- multifuncionais&Itemid=30192>. Acesso em: 14 jan.2021.

BRAUN, P.; MARIN, M. Práticas pedagógicas e a escolarização de estudantes com deficiência intelectual. In: OLIVEIRA, A. A. S; FONSECA, K. A.; REIS, M. R. (Orgs.). Formação de professores e práticas educacionais inclusivas. Curitiba: CRV, 2018.

CAMARGO, A. M. F.; GOMES, R. V. B.; SILVEIRA, S. M. P. Dialogando sobre a política de educação especial na perspectiva inclusiva. In: GOMES, R. V. B. (Org.). Política de inclusão escolar e estratégias pedagógicas no atendimento educacional especializado. Fortaleza: UFCE; Brasília: MC&C, 2016.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Educação. Projeto Político Pedagógico. Escola Municipal Professor Licurgo de Oliveira Bastos, 2016.

CAMPO GRANDE. Secretaria Municipal de Educação. Resolução nº 188, de 05 de novembro de 2018. Dispõe sobre a inclusão do aluno público-alvo da educação especial na rede municipal de ensino de Campo Grande, MS. Diário Oficial de Campo Grande, 14 nov.2018. Campo Grande, MS, 2018.Disponívelem:< http://www.acpms.com.br/resolucao-semed-n-188-de-5-de-novembro-de-2018-diogrande- n-5-406-de-14-11-2018-pags-14-a-17/. Acesso em: 09 jan.2021.

FIGUEIREDO, R. V. Escola, diferença e inclusão. Fortaleza: Edições UFC, 2010.

FREIRE. P. Pedagogia da esperança. São Paulo: Paz e Terra, 1995.

GLAT, R. Educação inclusiva: cultura e cotidiano escolar. -2. ed. – Rio de Janeiro : 7Letras, 2013

GLAT, R.; BLANCO, L. M. V. Educação especial no contexto de uma educação inclusiva. In: GLAT, R. (Org.). Educação inclusiva: cultura e cotidiano escolar. 2. Ed. Rio de Janeiro: 7Letras, 2013.

KASSAR, M. C. M. Formação de professores para a educação inclusiva e os possíveis impactos na escolarização de alunos com deficiências. Cadernos CEDES, Campinas, SP, v. 34, n. 93, p. 207–224, 2014.

LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J. F.; TOSCHI, M. S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

LUCK, H. Dimensões de gestão escolar e suas competências. Curitiba: Editora Positivo, 2008.

MAGALHÃES, J. G.; CUNHA, N. M.; SILVA, S. E. Plano educacional individualizado (PEI) como instrumento na aprendizagem mediada: pensando sobre práticas pedagógicas. In: PLETSCH, M. D.; GLAT, R .(Org.). Estratégia educacionais diferenciadas para alunos com necessidades especiais. – Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

MELLO, A. F. G.; HOSTINS, R. C. L. Plano educacional individualizado: a colaboração Docente como processo, a aprendizagem e a inclusão Escolar como propósito. In: MENDES, G.M. L.; PLETSCH, M. D.; HOSTINS, R. C. L. Educação especial e/na educação básica : entre especificidades e indissociabilidades. - 1. ed. – Araraquara, SP : Junqueira & Marin, 2019.

MELO, M. T. L. de. Gestão educacional: os desafios do cotidiano escolar. In: FERREIRA, S. C.; AGUIAR, M. Â. S. (Orgs.). Gestão da educação: impasses, perspectivas e compromissos. São Paulo: Cortez, 2001.

MENDES, G. M. L.; PLETSCH, M. D. Deficiência Intelectual, Educação Especial e BNCC: inclusão em que? In: SILVA, F. C. T. S.; FILHA, C. X. (Org.). Conhecimento em disputa na Base Nacional Comum Curricular. – Campo Grande, MS: Ed. Oeste, 2019.

MOREIRA, A. F. B. Reflexões sobre currículo e identidade: implicações para a prática pedagógica. In: MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. (Org.). Multiculturalismo: diferenças culturais e práticas pedagógicas. Petrópolis, RJ: Vozes. 2008.

ONU. Declaração universal dos direitos humanos. 1948. Disponível em: <http://www.onu-brasil.org.br/documentos_direitoshumanos.php>. Acesso em: 12 de jan. 2021.

PERONI, V. M.; FLORES, M. L. R. V. Sistema nacional, plano nacional e gestão democrática da educação no Brasil: articulações e tensões. Educação (Porto Alegre, impresso), v. 37, n. 2, p. 180-189, maio-ago. 2014.

PIRES, F. L. B. Trabalho colaborativo na formação continuada de professores para a utilização da informática na educação especial. In: DAMIANI, M. F.; PORTO, T. M. E.; SCHLEMMER, E. Trabalho colaborativo-cooperativo em educação: uma possibilidade para ensinar e aprender. São Leopoldo: Oikos; Brasília: Liber Livro, 2009.

PLETSCH. M. D.; GLAT. R. (Org.). Plano educacional individualizado (PEI): um diálogo entre práticas curriculares e processos de avaliação escolar. In: GLAT, R.; PLETSCH, M. D. Estratégia educacionais diferenciadas para alunos com necessidades especiais.– Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.

PINTO, U. A. Pedagogia escolar: coordenação pedagógica e gestão educacional. São Paulo: Cortez, 2011.

SIQUEIRA, C. F. O. et al. Planos de ensino individualizados na escolarização de alunos com deficiência intelectual. In: Anais do V Congresso Brasileiro de Educação Especial. UFSCar: São Carlos, SP, p. 11671-11686, 2012.

SOUSA, S. M. Z.; PRIETO, R. G. A educação especial. In: OLIVEIRA, R. P.; ADRIÃO, T. (Org.). Organização do ensino no Brasil. São Paulo: Xamã, 2002.

UNESCO. Declaração Mundial sobre Educação para Todos: satisfação das necessidades básicas de aprendizagem. 1990. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0008/000862/086291por.pdf. Acesso em: 02 jan. 2021.

UNESCO. Declaração de Salamanca: sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. 1994. Disponível em:

< http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf>. Acesso em: 20 dez. 2020.

VALADÃO, G. T.; MENDES, E. G. Inclusão escolar e o planejamento educacional individualizado: estudo comparativo sobre práticas de planejamento em diferentes países. Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP. Revista Brasileira de Educação. v. 23 e230076. 2018.

VALADÃO, G. T. Planejamento educacional individualizado na educação especial: proposta oficial dos Estados Unidos, França, Itália e Espanha. 2010. 125 f. Dissertação (Mestrado em Educação)- Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, São Paulo. 2010.

VERDE, A. L.; POULIN, J. R.; FIGUEIREDO, R. V. Atendimento educacional especializado do aluno com deficiência intelectual. São Paulo: Moderna, 2010.

VIANNA, M. M.; SILVA, S. E.; SIQUEIRA, C. F. O. Plano educacional individualizado – Que ferramenta é esta? VII Encontro da Associação Brasileira de Pesquisadores em Educação Especial. Londrina de 08 a 10 novembro de 2011.

Downloads

Publicado

2022-03-11

Como Citar

PLANEJAMENTO EDUCACIONAL INDIVIDUALIZADO: DESAFIOS E AVANÇOS NAS PRÁTICAS COLABORATIVAS DE ENSINO. (2022). Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 19(1), 1-15. https://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/4180

Artigos Semelhantes

1-10 de 395

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.