METHOD TO OVERCOME DORMANCY IN SEEDS FROM UNCONVENTIONAL FOOD PLANT: Phytolacca americana (Phytolaccaceae)

Autores

Palavras-chave:

Germinação, H2SO4, PANC, Produção de Mudas

Resumo

A Phytolacca americana (Phytolaccaceae) é uma espécie que pode ser classificada como PANC (Planta Alimentícia Não Convencional), utilizada para fins alimentícios e/ou medicinais com propriedades analgésicas, antiinflamatórias, antirreumáticas, antiartríticas, e também é adequada para o tratamento de várias doenças de pele. Contudo, suas sementes apresentam dormência tegumentar causando desuniformidade na germinação. Objetivou-se com o presente trabalho avaliar o efeito da escarificação química com ácido sulfúrico na superação da dormência em sementes de Phytolacca americana (Phytolaccaceae). As sementes foram imersas em 4 ml de ácido sulfúrico concentrado por diferentes períodos de imersão (2, 5, 8, 11 e 14 min.) comparadas a testemunha (sem ácido sulfúrico). Utilizando-se delineamento inteiramente casualizado com seis tratamentos e quatro repetições de 50 sementes por tratamento. Foram avaliados os seguintes parâmetros: dias para iniciar a germinação (DIG), germinação (G), índice de velocidade de germinação (IVG), plântulas anormais (PA), sementes mortas (SM), sementes duras (SD), e massa seca total (MST). Os dados foram submetidos ao teste de Shapiro-Wilk para normalidade das variâncias. E a análise de variância e de regressão por meio do software RStudio versão 4.1.0. Sendo as médias dos tratamentos comparadas pelo teste de Scott-Knott (p ≤ 0,05). Os tratamentos de imersão em ácido sulfúrico por 2 e 5 minutos mostraram-se os mais eficientes na superação da dormência dessa espécie, proporcionando melhores resultados nas variáveis germinativas e acúmulo de biomassa total das plântulas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARMESTO, J. J.; CHEPLICK, G. P.; MCDONNELL, M. J. Observations on the reproductive biology of Phytolacca americana (Phytolaccaceae). Bull. Torrey Bot. Club, v. 110, p. 380-383, 1983. https://doi.org/10.2307/2996194.

BFG. The Brazil Flora Group et al. Growing knowledge: an overview of seed plant diversity in Brazil. Rodriguésia, v. 66, p. 1085-1113, 2015. https://doi.org/10.1590/2175-7860201566411.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília: Mapa/ACS, 2009.

DIÓGENES, F.E.P et al. Pré-tratamento com ácido sulfúrico na germinação de sementes de Ziziphus joazeiro Mart.: Rhamnaceae. Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 12, n. 2, pp. 188-194, 2010. https://doi.org/10.1590/S1516-05722010000200010.

DUARTE, G. Levantamento e Caracterização das Plantas Alimentícias Não Convencionais do Parque Florestal de Monsanto. Dissertação (Mestrado em Ecologia Humana e Problemas Sociais Contemporâneos) - Universidade Nova de Lisboa, 95p, Lisboa, 2017.

Edwards, M. E., Harris, E. M., Wagner, F. H., Cross, M. C., & Miller, G. S. Seed Germination of American Pokeweed (Phytolacca americana). I. Laboratory Techniques and Autotoxicity. American Journal of Botany, v. 75, n. 12, 1794–1802, 1988. https://doi.org/10.2307/2444734.

Guedes, V. A. P. S. Phytolacca americana L.: potencial das bagas de uma planta invasora. Dissertação (Mestrado em Controle de Qualidade Especialidade em Água e Alimentos) - Universidade do Porto, 2015.

Iwakiri, T.; Mase, S.; Murakami, T.; Matsumoto, M.; Hamada, H.; Nakayama, T.; Ozaki, S-I. Glucosylation of hydroxyflavones by glucosyltransferases from Phytolacca americana. J Mol Catal B Enzym Enzymatic, v. 90, p. 61-65, 2013. DOI:10.1016/j.molcatb.2013.01.016.

KELEN, M. E. B.; NOUHUYS, I. S. V.; KEHL, L. C.; BRACK. P.; SILVA, D.B. Plantas alimentícias não convencionais (PANCs): hortaliças espontâneas e nativas. 1. Ed. Porto Alegre: UFRGS, 2015. ISBN 978-85-66106-63-3.

Kerbauy, G. B. Fisiologia vegetal. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 2004.

Liberato, P. S.; Lima, D. V. T.; Silva, G. M. B. PANCs - Plantas alimentícias não convencionais e seus benefícios nutricionais. Environmental Smoke, v. 2, n. 2, p. 102-111, 2019. https://doi.org/10.32435/envsmoke.201922102-111.

Lima, A. T.; Meiado, M. V. Escarificação química como método eficiente para superação da dormência de sementes de Lonchocarpus sericeus (Poir.) Kunth ex dc. (Fabaceae). Gaia Scientia, V. 11, n. 4, p. 9-18, 2017. https://doi.org/10.22478/ufpb.1981-1268.2017v11n4.35464.

Maness L, Goktepe I, Chen H, Ahmedna M, Sang S. Impact of Phytolacca americana extracts on gene expression of colon cancer cells. Phytother Res. 2014. doi: 10.1002/ptr.4979.

MAYER, A.M. and Poljakoff-Mayber, A. (1989) The Germination of Seeds. 4. Ed., Pergamon Press plc, Headington Hill Hall, Oxford OX3 OBW, England, 52-56, 1989.

Moure, C. S.; Banzatto Junior, H. L. Avaliação do relacionamento entre danos mecânicos e vigor, em sementes de milho, por meio da análise de imagens. Revista Brasileira de Sementes, v. 25, n. 1, pp. 29-36, 2003. https://doi.org/10.1590/S0101-31222003000100006>.

Murray, MP. Textbook of Natural Medicine. Churchill Livingstone: London, 1999.

Neto, A. C. A.; Medeiros, J. G. F.; Silva, B. B.; Leite, R. P.; Araújo, P. C.; Oliveira, J. J. F. Ácido sulfúrico na superação da dormência de sementes de Adenanthera pavonina L. Scientia Plena, v. 8, n. 4, 2012.

Oliveira, K. J. B.; Lima, J. S. S.; Andrade, L. I. F.; Júnior, J. N.; Benedito, C. P.; Crispim, J. F. Métodos para superação da dormência tegumentar em sementes de Caesalpinia ferrea Mart. ex Tul. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, V.12, N. 4, p. 648-654, 2017. https://doi.org/10.18378/rvads.v12i4.4893

Pacheco, M. V., Matos, V. P. Método para superação de dormência tegumentar em sementes de Apeiba tibourbou Aubl. Revista Brasileira de Ciências Agrárias [en linea]. 4(1), 62-66, 2009. ISSN: 1981-1160. Disponível em: https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=119018227010

Patra JK, Kim ES, Oh K, Kim HJ, Kim Y, Baek KH. Antibacterial effect of crude extract and metabolites of Phytolacca americana on pathogens responsible for periodontal inflammatory diseases and dental caries. BMC Complement Altern Med. Sep 20; 14:343, 2014. doi: 10.1186/1472-6882-14-343.

Perez, S.C.J.G.A. Envoltórios. In: Ferreira FB e Borguetti F (Orgs.). Germinação: Do Básico ao Aplicado. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Santillo H. Natural Healing with Herbs. Eighth Printing. Hohm Press Prescott: Arizona, 1990.

Santos, E. & Flaster, B. Fitolacáceas. In P.R. Reitz (ed.) Flora Ilustrada Catarinense, parte I, fasc. Fito. Itajaí, Herbário ‘Barbosa Rodrigues’, 37p, 1967.

Steinmann, V.W. Neotropical Phytolaccaceae. In: Milliken, W.; Klitgård, B. & Baracat, A. Neotropikey - Interactive key and information resources for flower ingplant softhe Neotropics, 2010.

Taiz, L., Zeiger, E., Moller, I. & Murphy, A. Fisiologia e desenvolvimento vegetal. Porto Alegre: Artmed, 2017.

Takahasi H, Yanagi K, Ueda M, Nakade K, Fukuyama Y. Structures of 1,4-benzodioxane derivatives from the seeds of Phytolacca americana and their neuritogenic activity in primary cultured rat cortical neurons. Chem Pharm Bull (Tokyo), 2003 Dec;51(12):1377-81. doi: 10.1248/cpb.51.1377.

Zheleva-Dimitrova, D.Z. Antioxidant and acetylcholinesterase inhibition properties of Amorpha fruticosa L. and Phytolacca americana L. Pharmacogn Mag, v. 9, n. 34, p. 109- 113, 2013. DOI: 10.4103/0973-1296.111251.

Downloads

Publicado

2022-05-16

Como Citar

Sousa, A. C. M. de, Costa, A. L. A. da ., Oliveira, G. L. ., Sousa, T. L. F. de ., & Araújo, D. G. de . (2022). METHOD TO OVERCOME DORMANCY IN SEEDS FROM UNCONVENTIONAL FOOD PLANT: Phytolacca americana (Phytolaccaceae). Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 18(2), 33–41. Recuperado de https://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/4268