DESENVOLVIMENTO RADICULAR DE HÍBRIDOS DE MAMONA SUBMETIDAS À ADUBAÇÃO POTÁSSICA

Autores

  • Hugo Alexandre Coelho Universidade Estadual Paulista
  • Láislla De Gouveia Universidade Estadual Paulista
  • Edemar Moro Universidade Estadual Paulista
  • Carlos Alexandre Costa Crusciol Universidade Estadual Paulista

Palavras-chave:

híbridos de mamona, potássio, sistema radicular

Resumo

A deficiência de potássio no início do ciclo vegetativo afeta o equilíbrio nutricional comprometendo o adequando desenvolvimento das plantas. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do potássio (K) no desenvolvimento do sistema radicular e na produção de matéria seca da parte aérea de híbridos de mamona. O experimento foi instalado em esquema fatorial 5x2 em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Os tratamentos constaram de cinco doses de K: 0, 25, 50, 100 e 200 ppm e de dois híbridos de mamona (lyra e savana). Decorrido 45 dias após a emergência, realizou-se a coleta da parte aérea e do sistema radicular das plantas. As avaliações realizadas foram: comprimento, superfície, diâmetro e matéria seca do sistema radicular e da parte aérea. Os dados de comprimento radicular diferiram apenas entre os híbridos, sendo que o savana apresentou maior comprimento, média de 891,31m enquanto que o comprimento médio do híbrido lyra foi de 560,74m vaso-1. Para superfície radicular não houve diferença entre os híbridos, assim como não houve para as doses de potássio. As dose de K influenciaram de forma contrária o diâmetro radicular dos híbridos. Com o aumento da adubação potássica o híbrido lyra reduziu o diâmetro radicular, enquanto que o savana aumentou. O híbrido lyra não teve a matéria seca radicular afetada pela adubação potássica. Os dados para o híbrido savana se ajustaram a função quadrática atingindo o máximo de matéria seca (10,42 g vaso-1) com a dose ajustada de 78,5 ppm de K. Em relação a matéria seca da parte aérea os dados para o híbrido lyra se ajustaram a função linear. Para o tratamento testemunha a produção de matéria seca ajustada pela equação foi de 21,59 g e com a maior dose de K (200 ppm) aumentou para 27,13 g vaso-1. O acréscimo neste caso foi de 20%. Em relação ao híbrido savana os dados foram ajustados a função quadrática. Neste caso maior produção de matéria seca da parte aérea (28 g vaso-1) ocorreu com a dose ajustada de 116 ppm de K. A adubação potássica proporcionou maior matéria seca radicular ao híbrido savana e maior produção de matéria seca da parte aérea para ambos os híbridos.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Hugo Alexandre Coelho, Universidade Estadual Paulista
    Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu - UNESP – Rua José Barbosa de Barros, nº 1780, Caixa Postal 237, CEP: 18610-307, Botucatu – SP. Correspondência:hugoalexandrecoelho@bol.com.br

Downloads

Publicado

2012-02-16

Como Citar

DESENVOLVIMENTO RADICULAR DE HÍBRIDOS DE MAMONA SUBMETIDAS À ADUBAÇÃO POTÁSSICA. (2012). Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 7(1), 09-16. https://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/369

Artigos Semelhantes

1-10 de 503

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)