TESTE DE QUANTIFICAÇÃO DE ETANOL PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA SEMENTES DE QUINOA

Autores

  • Rafael Oliveira Vergara UFPel
  • Vanessa Nogueira Soares MEC
  • Raiminda Oliveira Silva UFPel
  • Andrea Bicca Martins UFPel
  • Gizele Ingrid Gadotti UFPel
  • Francisco Amaral Villela UFPel

Palavras-chave:

Chenopodium quinoa Willd, controle de qualidade, vigor.

Resumo

A quinoa é uma cultura de origem andina. Atualmente apresenta grande demanda pelo mercado consumidor devido a qualidade nutricional de seus grãos. Assim, a importância do conhecimento do potencial fisiológico de sementes de quinoa ganha destaque. Uma metodologia inovadora, sendo considerado um teste rápido para avaliação do nível de vigor é o teste do etanol, desta forma, objetivou-se estudar a relação entre a produção de etanol e o desempenho fisiológico de sementes de quinoa. Foram utilizados quatro lotes de sementes, com distintos níveis de vigor e três diferentes massas de sementes (1,0; 1,5 e 2,0g). Posteriormente, as sementes foram imersas em água por um período de 24 horas a uma temperatura constante de 40°C, após este período, foi efetuada a quantificação de emissão de etanol. O teste foi eficiente para diferir os níveis de vigor dos lotes, sendo que em um 1,0g é obtido a mesma distinção que a oferecida por métodos tradicionais (emergência e índice de velocidade de emergência) com menor tempo de resposta.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Rafael Oliveira Vergara, UFPel
    Graduado em agronomia pela Universidade Federal de Pelotas, mestre em Ciência e Tecnologia de Sementes.
  • Vanessa Nogueira Soares, MEC
    Possui Graduação em Agronomia pela UFPEL (2008). Tem Mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes, pela UFPEL (2011), com ênfase na qualidade fisiológica e sanitária de sementes de arroz tratadas com thiamethoxam e rizobactérias promotoras de crescimento. Possui Doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes, pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), com ênfase em qualidade fisiológica e sanitária de sementes de cucurbitáceas, e Doutorado Sanduíche na Oregon State University (OSU) na área de qualidade fisiológica de sementes de forrageiras pelo programa PDSE da CAPES (2014). Foi bolsista de pós-doutorado júnior- PVEs junto (2014-2016) ao Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes (FAEM/UFPel). Atualmente é Pós-doutoranda PNPD-Capes junto ao Programa de Ciência e Tecnologia de Sementes na Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel junto ao Departamento de Fitotecnia, pertencente a Universidade Federal de Pelotas (FAEM/UFPEL)
  • Raiminda Oliveira Silva, UFPel
    Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal do Maranhão (2011), Especialização em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (2014), Mestrado em Ciência e Tecnologia de sementes pela Universidade Federal de Pelotas (2017). Atuando principalmente junto às seguintes áreas: Fisiologia de sementes e controle de qualidade de sementes, com ênfase em tetrazólio em sementes de soja. Atualmente cursa Doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas.
  • Andrea Bicca Martins, UFPel
    Graduada em Engenharia Agronômica, pela Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel, na Universidade Federal de Pelotas (1997).Mestrado Acadêmico (2013) em Fisiologia Vegetal, no Programa de Pós-Graduação em Fisiologia Vegetal -UFPel e Doutorado (em andamento) em Ciências, concentrado na área de Ciência e Tecnologia de Sementes Universidade Federal de Pelotas. Trabalhou como docente na Universidade Católica de Pelotas ministrando disciplinas nos cursos de Biologia, Farmácia e Ecologia. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fisiologia Vegetal e Ciência e Tecnologia de Sementes. Atuando nos seguintes temas: Produção Agrícola, Climatologia Agrícola, Fisiologia de Plantas Cultivadas, Produção de Sementes, Análise de Sementes, Secagem e Armazenamento de Sementes, Tratamento e Produção de Sementes nas culturas de amarantos, hortaliças em geral, soja, arroz, milho, trigo, girassol, cevada e aveia
  • Gizele Ingrid Gadotti, UFPel
    Possui graduação em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Pelotas (2003), mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (2006) e doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes pela Universidade Federal de Pelotas (2012). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal de Pelotas. Tem trabalhado nas áreas das Ciências Agrárias e Ambientais.
  • Francisco Amaral Villela, UFPel
    Possui graduação em Engenharia Agricola pela Universidade Federal de Pelotas/UFPel (1979), especialização em Ensino de Física pela Universidade Católica de Pelotas-UCPel (1980), mestrado em Agronomia pela Universidade Federal de Pelotas-UFPel (1985), doutorado em Fitotecnia pela Universidade de São Paulo-USP (1991) e pós-doutorado no Departamento de Produção Vegetal da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz-ESALQ/USP (2001). Atualmente é Professor Titular da Universidade Federal de Pelotas e Bolsista de Produtividade em Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico-CNPq. Consultor da FAO no Programa de Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD) para Cuba, em 2003. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ciência e Tecnologia de Sementes/UFPel,C e no período de 08/2012 a 10/2014. Membro do Comitê de Julgamento de Bolsas de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora - Dt (CNPq), no período 17/11/2009 a 30/06/2010. Segundo Vice-Presidente da ABRATES, gestão 2011-2013 e gestão 2013 - 2015. Lider do Grupo de Pesquisa Ciência e Tecnologia de Sementes do CNPq. Coordenador do Curso de Especialização em Ciência e Tecnologia de Sementes/UFPel, no período de 09/2014 a 09/2016.Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Ciência e Tecnologia de Sementes, atuando principalmente nos seguintes temas: secagem, beneficiamento, armazenamento e controle de qualidade de sementes

Downloads

Publicado

2018-07-10

Como Citar

TESTE DE QUANTIFICAÇÃO DE ETANOL PARA AVALIAÇÃO DA QUALIDADE FISIOLÓGICA SEMENTES DE QUINOA. (2018). Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 14(2), 143-148. https://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/2023

Artigos Semelhantes

1-10 de 510

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)