TREINO DE FORÇA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE O VOLUME DE EXERCÍCIOS UTILIZADOS PARA EMAGRECIMENTO

Autores

  • José Nunes da Silva Filho Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCC-UGF/RJ)
  • Robson Alex Ferreira UNIESP – Campus de Tupã, SP

Palavras-chave:

TREINO DE FORÇA, TREINAMENTO RESISTIDO, NÚMERO DE EXERCÍCIOS, VARIÁVEIS DO TREINAMENTO, PERDA DE PESO.

Resumo

O sobrepeso e a obesidade são considerados juntos a principal causa de doenças sistêmicas, representando o quinto risco de mortes globais matando certa de 2,8 milhões de adultos ao ano. O treino de força vem sendo propostos como auxílio na prevenção e tratamento da obesidade. Portanto o objetivo do estudo foi verificar as evidências sobre o número de exercícios utilizados no treino de força quando voltado para o emagrecimento. Trata-se de uma revisão sistemática, descrita seguindo as recomendações PRISMA. A escolha termos chaves e seus sinônimos aconteceram nos descritores de saúde no Desc (http://decs.bvs.br) e no Mesh (http://www.ncbi.nlm.nih.gov/mesh/). Após isso, iniciou um filtro nas principais bases de dados: SciELO; PUBMED, e no site de busca Scholar Google (http://scholar.google.com.br/schhp?hl=pt-PT) visando resgatar outros possíveis estudos de periódicos não indexadas nas bases citadas. Foram selecionados os termos chave na língua portuguesa: Treinamento de força; Treinamento Resistido; Número de Exercícios; Perda de Peso; e na língua inglesa: Resistance Training; Strength Training; Muscle Strength; Number of exercise; Weight Loss. O levantamento de dados foi realizando no período de dois meses entre Dez/2013 a Jan/2014. Foram contemplados para pesquisa 15 estudos, e o número mínimo e máximo de exercícios que utilizaram nos experimentos foi entre 6 a 12 exercícios respectivamente, notou-se também que 14 (93,3%) dos estudos obtiveram respostas significativas na redução da porcentagem de gordura. Portanto conclui-se que o número de exercícios utilizados nos ensaios contemplados esteve em torno de 6 a 12 exercícios, e quando ajustados obtiveram um número médio de (8,8±1,89) exercícios.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Nunes da Silva Filho, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências do Exercício e do Esporte (PPGCC-UGF/RJ)

Atualmente é bolsista de Mestrado em Educação Física Pelo Programa de Pós Graduação Stricto Sensu (Ciências do Exercício e do Esporte - PPGCEE-UGF) pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq (167193/2013-9); Pós Graduado em Fisiologia do Exercício - Prescrição do Exercício (UGF/SP - 2013); Pós Graduado em Psicopedagogia Clínico-Institucional (ESAB/ES - 2011); Graduado em Educação Física (ESEFAP/Tupã-SP - 2009) recebendo "Mérito Acadêmico" com o Título de Melhor Desempenho acadêmico da 37ª Turma de Educação Física. Sou membro do Grupo de Pesquisa: Biomecânica do Movimento Humano (UGF/RJ) com as linhas de pesquisa a) Biomecânica do equilíbrio e postura; b) Ergonomia e qualidade de vida na empresa. Experiência profissional em Treinamento Resistido na Saúde, doença e na Estética. Ministro Cursos e Palestras sobre 1) Atividade Física e saúde; 2) Exercício Físico para Correção Postural; 3) Treinamento de Força para Hipertrofia e/ou Emagrecimento; 4) Treinamento de Força para Grupos Especiais: Crianças, Mulheres, Idosos, Cardiopatas, etc. (24.01.2014).

Robson Alex Ferreira, UNIESP – Campus de Tupã, SP

Doutorando em Educação pela UNESP, campus Presidente Prudente Mestre em Educação Física pela UNIMEP Professor no curso de Educação Física da UNIESP – Campus Tupã, SP

Publicado

2014-06-10

Como Citar

Silva Filho, J. N. da, & Ferreira, R. A. (2014). TREINO DE FORÇA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA SOBRE O VOLUME DE EXERCÍCIOS UTILIZADOS PARA EMAGRECIMENTO. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 6(1), 43-53. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/975