VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: PREVALÊNCIA EM CIDADE DO SUL DO BRASIL

Autores

  • Lucimara Cheles da Silva Franzin UNINGÁ
  • Fernanda Mara Franzin UNOESTE
  • Simone Tetu Moysés UNINgÁ

Palavras-chave:

violência doméstica, maus-tratos, negligência, adolescente, violência.

Resumo

Introdução: A violência é um fenômeno universal, sendo apontada como umas das principais causas de morbimortalidade no Brasil. O objetivo deste estudo foi investigar a violência doméstica contra crianças e adolescentes de Curitiba-PR. Metodologia: Estudo descritivo-exploratório, com abordagem quantitativa. Foi analisada a base de registros de notificações da Rede de Proteção à Criança e Adolescentes em situação de risco à Violência de Curitiba – Brasil, no período de 2004 a 2009. As variáveis incluíram perfil sócio-demográfico das vítimas, natureza da violência, dados do agressor, gravidade do caso, lesões. Os dados foram armazenados no Programa EPI-INFO e analisados pelo programa SPSS 17.0. Foi analisada a distribuição de frequências e associações entre as variáveis, sendo utilizado o teste do Qui-quadrado com nível de significância de 5%. Resultados: As 19.316 notificações mostraram a prevalência da violência doméstica com 17.082 casos (88,4%), principalmente a negligência com 9.742 notificações (57,0%). Do total, 43,9% eram casos graves, na faixa etária entre 5 a 14 anos, havendo equilíbrio entre os sexos. Entre os notificados destacou-se a mãe, nos casos de negligência. As sequelas físicas (20,2%) atingiram principalmente a cabeça, com hematomas e cortes. Conclusão: No período houve uma maior visibilidade da violência doméstica, principalmente da negligência. São importantes as políticas voltadas para a prevenção da violência doméstica, com estratégias continuadas de educação e suporte familiar, apoiando vítimas, familiares e agressores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-01-15

Como Citar

Franzin, L. C. da S., Franzin, F. M., & Moysés, S. T. (2013). VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: PREVALÊNCIA EM CIDADE DO SUL DO BRASIL. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 4(2), 79-84. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/805