AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE ESTRESSE E DO GRAU DE SONOLÊNCIA DOS ENFERMEIROS DE UM HOSPITAL DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP

Autores

  • Aline Aparecida Elias UNESP
  • Aline Cristina Longhini Alberti UNESP
  • Beatriz Sanches Geres UNESP
  • Bruna da Silva Molina UNESP
  • Carolina Rodrigues Bortolatto UNESP
  • Luciana Akemi Tamura Ozaki UNESP
  • Regina Coeli Vasques de Miranda UNESP
  • Susimary Aparecida Trevizan Padulla UNESP
  • Talita Ferreira Turatti UNESP

Palavras-chave:

enfermeiros, estresse, sonolência

Resumo

O estresse é um “esforço de adaptação do organismo para enfrentar situações que considera ameaçadoras à sua vida e ao seu equilíbrio”. O ambiente hospitalar é propício para o desenvolvimento do estresse nos profissionais. Por meio de um questionário, foram avaliados o estresse, os sentimentos dos enfermeiros em relação à determinadas condições de trabalho e o grau de sonolência pela Escala de Sonolência de Epworth. A população constou de 23 auxiliares de enfermagem, 5 enfermeiros e 2 enfermeiras chefe. A média do tempo em cada setor correspondeu a cerca de 4 anos e 9 meses e quanto ao turno, 66,6% deles variavam de turno. O maior nível de estresse foi encontrados nos enfermeiros com 29%; 31% dos enfermeiros-chefe relataram pouco estresse e 25% dos auxiliares relataram ausência de estresse. Em relação ao sono, 63,3% apresentaram grau de sonolência normal; 33,3% sonolência diurna excessiva e 3,3% não responderam ao questionário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Elias, A. A., Alberti, A. C. L., Geres, B. S., Molina, B. da S., Bortolatto, C. R., Ozaki, L. A. T., Miranda, R. C. V. de, Padulla, S. A. T., & Turatti, T. F. (2011). AVALIAÇÃO DO NÍVEL DE ESTRESSE E DO GRAU DE SONOLÊNCIA DOS ENFERMEIROS DE UM HOSPITAL DE PRESIDENTE PRUDENTE-SP. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 2(2), 22–27. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/552

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)