PERFIL NUTRICIONAL DOS PACIENTES COLOSTOMIZADOS DE UM HOSPITAL PÚBLICO DO INTERIOR PAULISTA

Autores

  • Luis Henrique Alves de Lima Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Sílvia Coutinho Pain Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Francielle Ferreira Serrano Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Monique de Caldas Raimundo Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Sandra Cristina Genaro Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Sabrina Alves Lenquiste Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Gabrielle Gomes dos Santos Ribeiro Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Fabíola de Azevedo Mello Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Marcela de Andrade Bernal Fagiani Unoeste

Resumo

A colostomia é um procedimento cirúrgico, que pode tornar-se necessário devido a alguns fatores, como câncer colorretal, doenças inflamatórias intestinais e traumas. Exige cuidados especiais, com relação ao estado nutricional, hábito intestinal, consistência das fezes, monitoramento do orifício e sua higienização, a fim de evitar possíveis complicações.  O objetivo do presente estudo foi avaliar o perfil nutricional de indivíduos em uso da bolsa de colostomia. Foram entrevistados 20 indivíduos de um ambulatório de estomaterapia em um hospital público do interior paulista. O estudo foi realizado em caráter exploratório descritivo, com abordagem quantitativa, por meio da aplicação de questionário e realização da avaliação nutricional. A maior parcela da população apresentou eutrofia pela classificação do IMC, e depleção por meio dos resultados da adequação de circunferência muscular do braço e área muscular do braço. A principal causa para o uso da bolsa de colostomia foi o câncer colorretal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcela de Andrade Bernal Fagiani, Unoeste

Nutricionista graduada na universidade do oeste paulista no ano de 2014. Em março de 2015 iniciei especialização através da residência Multiprofissional em Urgencia e trauma do hospital regional de presidente prudente em parceria com a universidade do oeste paulista, tendo duração até março de 2017.

Referências

Sonobe HM, Barichello E, Zago MMF. A visão do colostomizado sobre o uso da bolsa de colostomia. Rev Bras Cancerol. 2020;48(3):341-8.

Fonseca AZ, Uramoto E, Santos-Rosa OM, Santin S, Ribeiro-JR M. Fechamento de colostomia: fatores de risco para complicações. Arq Bras Cir Dig. 2015;30(4):231-4. DOI: https://doi.org/10.1590/0102-6720201700040001

Lopes GF. Análise do conhecimento de enfermagem a pacientes com ostomia intestinal. [Monografia]. Especialização em Linhas de Cuidado em Enfermagem, Departamento de Enfermagem. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

Barbutti RCS, Silva MCP, Abreu MAL. Ostomia, uma difícil adaptação. Rev SBPH. 2008;11(2):27-39.

Silva DG, Bezerra ALQ, Siqueira KM, Paranaguá TTB, Barbosa MA. Influência dos hábitos alimentares na reinserção social de um grupo de estomizados. Rev Eletr Enf. 2010;12(1):56-62. DOI: https://doi.org/10.5216/ree.v12i1.5246

Stumm EMF, Oliveira ERM, Kirchner RM. Perfil de pacientes ostomizados. Sci Med. 2008;18(1):26-30.

Santana JCB, Souza AB, Dutra BS. Perceptions of a group of nurses on the process of taking care of patients with permanent colostomy. Rev Enferm UFPE. 2011;5(7):1710-5. DOI: https://doi.org/10.5205/reuol.1262-12560-1-LE.0507201119

Oliveira AL. Qualidade de vida relacionada à saúde e perfil nutricional de portadores de derivação intestinal – colostomia e íleostomia. [Dissertação]. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora, 2017.

Barros LS. Elaboração de cartilha informativa e propostas de cardápio, com evolução de consistência para pacientes ostomizados do hospital universitário de Brasília. [Monografia]. Brasília: Universidade Federal de Brasília. Brasília, 2014.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 400, de 16 de novembro de 2009. Estabelece as diretrizes nacionais para a atenção à saúde das pessoas ostomizadas no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS, a serem observadas em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 nov. 2009. Seção 1, p.41.

Palludo KF, Silveira DA, Vanz R, Petuco VM. Avaliação da dieta de pacientes com colostomia definitiva por câncer colorretal. Rev Estima. 2016;9(1):1-8.

Mahan LK, Escott-Stump S, Raymond JL. Krause: alimentos, nutrição e dietoterapia. Rio de Janeiro: Editora Elselvier; 2015.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Manual de Antropometria. Rio de Janeiro, RJ. 2013.

Ribeiro SML, Melo CM, Tirapegui J. Avaliação nutricional teoria e prática. In: Avaliação da composição corporal por técnicas antropométricas. Rio de janeiro: Guanabara-Koogan; 2018. p.43-7.

ABESO. Diretrizes Brasileiras de Obesidade. São Paulo, SP. 2016.

Machado RSP, Coelho MASC, Coelho KSC. Percentual de gordura corporal em idosos: comparação entre os métodos de estimativa pela área adiposa do braço, pela dobra cutânea tricipital e por bioimpedância tetrapolar. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2012;12(2):201-21. DOI: https://doi.org/10.1590/S1809-98232010000100003

Araújo GT. Antropometria. Associação Brasileira de Nutrologia. Curso Nacional de Nutrologia. 2015. 13.f.

Melo APF, Salles RK, Vieira FGK, Ferreira MG. Métodos de estimativa de peso corporal e altura em indivíduos hospitalizados: uma análise comparativa. RBCDH. 2014;16(4):475-84. DOI: https://doi.org/10.5007/1980-0037.2014v16n4p475

Salome GM, Almeida SA. Association of sociodemographic and clinical factors with the self-image and self-esteem of individuals with intestinal stoma. J. Coloproctol. 2014;34(3):159-66. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jcol.2014.05.005

Aguiar JC, Pereira APS, Galisteu KJ, Lourenção LG, Pinto MH. Aspectos sociodemográficos e clínicos de estomizados intestinais provisórios. Rev Min Enferm. 2017;21-e-1013. DOI: https://doi.org/10.5935/1415-2762.20170023

Selau CM, Limberger LB, Silva MEN, Oliveira FS, Margutti KMM. Percepção dos pacientes com estomia intestinal em relação às mudanças nutricionais e estilo de vida. Texto Contexto Enferm. 2019;18:e20180156. DOI: https://doi.org/10.1590/1980-265x-tce-2018-0156

Gomes RM, Triani FS, Silva CAF. Conhecimento nutricional de praticantes de treinamento de força. RBNE. 2017;11(65):610-7.

Attolini RC, Gallon CW. Qualidade de vida e perfil nutricional de pacientes com câncer colorretal colostomizados. Rev Bras Coloproct. 2010;30(3):289-98. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-98802010000300004

Ribeiro MMC, Araújo ML, Cunha LM, Ribeiro DMC, Pena GG. Análise de diferentes métodos de avaliação do estado nutricional de pacientes em hemodiálise. Rev Cuid. 2014;6(1):932-40. DOI: https://doi.org/10.15649/cuidarte.v6i1.163

Souza A. Ângulo de fase e área muscular do braço: indicadores de mortalidade em pacientes submetidos ao transplante de células-tronco hematopoíeticas alogênico. [Dissertação]. Curitiba: Universidade Federal do Paraná, 2016.

Ganen AP, Lira AG, Blachiunas RE. Avaliação nutricional teoria e prática. In: Avaliação nutricional de adolescentes. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan; 2018. p.226.

Publicado

2020-10-27

Como Citar

Lima, L. H. A. de, Pain, S. C., Serrano, F. F., Raimundo, M. de C., Genaro, S. C., Lenquiste, S. A., Ribeiro, G. G. dos S., Mello, F. de A., & de Andrade Bernal Fagiani, M. (2020). PERFIL NUTRICIONAL DOS PACIENTES COLOSTOMIZADOS DE UM HOSPITAL PÚBLICO DO INTERIOR PAULISTA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 12(2), 87-92. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/3427

Edição

Seção

Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##