RELAÇÃO ENTRE A PRESENÇA DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE E ADESÃO AO TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA

  • Pablo Phillipe Cândido dos Santos
  • Waleska Thicyara Cândida dos Santos Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Thaís Gonçalves de Matos Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Jaqueline Costa Castilho Moreira Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP
  • Jamile Sanches Codogno Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP

Resumo

O objetivo deste estudo foi comparar a adesão ao tratamento da hipertensão arterial sistêmica entre Unidade Básica de Saúde e Estratégia de Saúde da Família. A pesquisa foi realizada no interior do oeste paulista, em 2014, com 200 usuários acima de 50 anos cadastrados em uma Estratégia de Saúde da Família e uma Unidade Básica de Saúde. A adesão foi avaliada pelos testes de Batalla e de Morisky-Green. A análise estatística foi feita no software BioStat. No teste de Batalla, a adesão na Estratégia de Saúde da Família foi de 31% e na Unidade Básica de Saúde, 40%. No de Morisky-Green, ela foi de 64% na Estratégia de Saúde da Família e na Unidade Básica de Saúde, 68%. Concluímos que não houve diferença significativa na adesão segundo a unidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-04-26
Como Citar
Phillipe Cândido dos Santos, P., Thicyara Cândida dos Santos, W., Gonçalves de Matos, T., Costa Castilho Moreira, J., & Sanches Codogno, J. (2019). RELAÇÃO ENTRE A PRESENÇA DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE E ADESÃO AO TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 11(1), 70-75. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/2849
Seção
Artigos Originais