DETECÇÃO DE RESISTÊNCIA À METICILINA E AOS MACROLÍDEOS EM Staphylococcus aureus ISOLADOS DE JALECO

  • Isabelle Correa de Moraes Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Suzan Leonela Villarroel Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
  • Valeria Cataneli Pereira UNOESTE

Resumo

Staphylococcus aureus é uma bactéria patogênica que pode integrar a microbiota humana e ser transferida para equipamentos de segurança individual (EPI) como o jaleco, comumente utilizado por estudantes e profissionais da área da saúde, e serem veiculadas para diferentes ambientes. Visto a importância do estudo da susceptilidade de S. aureus aos fármacos utilizadas no tratamento de infecções, este estudo avaliou a sensibilidade à meticilina e aos macrolídeos em S. aureus isolados de jalecos de universitários. Foram avaliados 70 S. aureus isolados de jalecos de universitários e 58,5% foram S. aureus resistentes à meticilina (MRSA), carreando o SCCmec tipo I (51,2%), tipo III (26,8%) e tipo IV (9,7%). Foram detectados 74,2% S. aureus resistentes à eritromicina e 25,7% à clindamicina. Dos isolados que apresentaram resistência a eritromicina, 32,8% foram positivos para o teste D. Os resultados apresentaram taxas elevadas de MRSA e de S. aureus resistentes aos macrolídeos em jalecos, ressaltando a importância da adoção de normas de biossegurança entre os universitários.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-03-29
Como Citar
Correa de Moraes, I., Leonela Villarroel, S., & Pereira, V. C. (2019). DETECÇÃO DE RESISTÊNCIA À METICILINA E AOS MACROLÍDEOS EM Staphylococcus aureus ISOLADOS DE JALECO. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 10(3), 34-41. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/2827
Seção
Artigos Originais