PERFIL DOS RECÉM- NASCIDOS COM DIAGNÓSTICO DE PERSISTÊNCIA DO CANAL ARTERIAL EM UM HOSPITAL TERCIÁRIO DO OESTE PAULISTA

Autores

  • Mary Ellen de Oliveira Martins Disconzi
  • Murilo Sabbag Moretti

Palavras-chave:

Persistência do Canal Arterial, Perfil Epidemiológico, Neonatos

Resumo

As deformidades cardíacas congênitas são definidas como uma anormalidade cardiocirculatória estrutural e funcional presente desde o nascimento. O canal arterial é uma estrutura vital para o feto na vida intra-útero, e sua abertura persistente após o nascimento pode implicar em serias complicações. Assim, o presente trabalho tem como objetivo caracterizar o perfil dos recém-nascidos com diagnóstico ecocardiográfico de persistência do canal arterial no período de janeiro de 2015 a dezembro de 2016, atendidos em um hospital terciário do Oeste Paulista. Trata-se de um estudo transversal, de cunho retrospectivo, com abordagem quantitativa e analise descritiva, que buscou traçar um perfil dos neonatos com diagnóstico firmado de PCA. Alguns elementos que se relacionam à PCA como a idade materna (>18 anos), parto cesárea, baixo peso ao nascer, idade gestacional ao nascimento, Apgar no 5º minuto menor que 7, injúrias hipóxicas e associação com outras cardiopatias foram encontrados nessa casuística.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2018-05-11

Como Citar

Ellen de Oliveira Martins Disconzi, M., & Sabbag Moretti, M. (2018). PERFIL DOS RECÉM- NASCIDOS COM DIAGNÓSTICO DE PERSISTÊNCIA DO CANAL ARTERIAL EM UM HOSPITAL TERCIÁRIO DO OESTE PAULISTA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 10(1), 47-51. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/2305

Edição

Seção

Artigos Originais