RELAÇÃO ENTRE QUEIXA E DIAGNÓSTICO NO PRONTO SOCORRO DE OFTALMOLOGIA

Autores

  • Rômulo Maia Ferraz
  • Fernando Buzatto Mantovan
  • Emanuele Moraes Mello

Palavras-chave:

paciente, oftalmologia, olho, diagnóstico, epidemiologia

Resumo

Estudo transversal com 405 pacientes que responderam a um questionário, sendo identificadas as principais queixas oculares e hipóteses diagnósticas, no Pronto Socorro Oftalmológico de um hospital público do interior do Estado de São Paulo. Os resultados foram analisados através de estatística descritiva, teste G e teste qui-quadrado. Identificadas 727 queixas oftalmológicas, sendo irritação ocular (16,50%) a principal. Das 414 hipóteses diagnósticas, conjuntivite (21,98%), corpo estranho (14,25%) e hordéolo (10,14%) prevaleceram. Acometimento unilateral predominou (73,57%). Procura masculina (60%) e tratamento clínico (94,07%) prevaleceram. Relação significativa (p<0,005) entre sinais e sintomas de irritação ocular e os diagnósticos de conjuntivite, corpo estranho e pingueculite. Predominância masculina no diagnóstico de corpo estranho (94,92%; p<0,0001) e prevalência significativa de blefarite em idosos (p<0,0001). A maioria dos trabalhos indica trauma ocular como queixa predominante. Outros trabalhos indicam a conjuntivite como principal diagnóstico, o que corrobora com esse estudo, onde a irritação ocular predominou, sendo sua principal queixa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2017-05-02

Como Citar

Maia Ferraz, R., Buzatto Mantovan, F., & Moraes Mello, E. (2017). RELAÇÃO ENTRE QUEIXA E DIAGNÓSTICO NO PRONTO SOCORRO DE OFTALMOLOGIA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 8(3), 60-67. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1816

Edição

Seção

Artigos Originais

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##