BACTERIOSCOPIA VAGINAL POR COLORAÇÃO DE GRAM: DO ENSINO MÉDICO À PRÁTICA CLÍNICO-LABORATORIAL NA ROTINA EM GINECOLOGIA

  • José Marcos Sanches UNICAMP

Resumo

Este artigo busca incentivar a prática do diagnóstico imediato por coloração de Gram em esfregaços cervicovaginais na prática ginecológica. A elucidação sobre tal importância é relatada pela melhor caracterização dos microrganismos presentes no conteúdo vaginal, para melhor compreensão dos processos de saúde e doença da mulher, bem como a busca por melhores diagnósticos e tratamento. Para isso, foram descritos os processos acerca das mudanças no cenário do ensino médico e com eles as novas perspectivas para melhor atender a população, de forma dinâmica e humanizada. Contudo, mediante as constantes mudanças no âmbito da saúde, é de fundamental importância que o médico seja muito bem capacitado e atue a fim de promover a saúde e o bem-estar de seus pacientes, utilizando recursos apreendidos no decorrer de sua formação para melhor atender a população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Marcos Sanches, UNICAMP
Formando em Ciências Biológicas pela Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE, Pós-graduado em Docência do Ensino Superior. Mestrando em Tocoginecologia pela Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP.
Publicado
2018-08-23
Como Citar
Sanches, J. (2018). BACTERIOSCOPIA VAGINAL POR COLORAÇÃO DE GRAM: DO ENSINO MÉDICO À PRÁTICA CLÍNICO-LABORATORIAL NA ROTINA EM GINECOLOGIA. Colloquium Vitae. ISSN: 1984-6436, 10(2), 79-86. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cv/article/view/1628