A REPRESENTAÇÃO DA MULHER EM MÚSICAS FEMININAS DE SERTANEJO UNIVERSITÁRIO: PODEMOS FALAR DE ESTEREÓTIPOS MACHISTAS?

  • Ana Letícia Stori Mendes
  • Dayane Priscila Paulis Universidade Estadual de Maringá - UEM
  • Rafael Egidio Leal e Silva Instituto Federal do Paraná – IFPR

Resumo

Este trabalho tem por objetivo investigar como a cultura do machismo se materializa na sociedade atual por meio das manifestações da cultura de massa como a música do estilo sertanejo-universitário, especialmente as músicas de caráter feminino, cantado e composto por mulheres. Foram utilizadas três músicas atuais reproduzidas por mulheres de diferentes autorias, sendo elas: “Amante não tem lar” de Marília Mendonça, “A culpa é dele”, também de autoria de Marília Mendonça e por fim “Quem ensinou fui eu”, de Maiara e Maraisa. Sendo ainda verificado que a cultura do machismo e da objetificação feminina ainda está presente em nossa sociedade sendo apresentadas nas músicas analisadas a seguir.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-20
Como Citar
Letícia Stori Mendes, A., Priscila Paulis, D., & Egidio Leal e Silva, R. (2018). A REPRESENTAÇÃO DA MULHER EM MÚSICAS FEMININAS DE SERTANEJO UNIVERSITÁRIO: PODEMOS FALAR DE ESTEREÓTIPOS MACHISTAS?. Colloquium Socialis. ISSN: 2526-7035, 2(4). Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cs/article/view/2594