INDICADORES SOCIAIS HABITACIONAIS: UMA REFLEXÃO TEÓRICA SOBRE O CÁLCULO DO DÉFICIT HABITACIONAL

  • Gustavo Henrique Petean UFG
  • Leandro Sauer UFMS
Palavras-chave: Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV), Mensuração, Fundação João Pinheiro - FJP.

Resumo

O cálculo nacional do déficit habitacional ‘oficial’ é realizado pela Fundação João Pinheiro - FJP, a partir dos dados coletados pelo IBGE. Se utilizam de dois subitens um quanto ao déficit habitacional, por incremento de estoque e por reposição de estoque, e outro por inadequação dos domicílios. Os domicílios em déficit, são aqueles que necessitam da construção de uma nova residência, no item incremento, mensura os domicílios improvisados, em coabitação e com ônus excessivo de aluguel; o item reposição de estoque refere-se aos domicílios rústicos e com depreciação superior a 50 anos. Já os domicílios que apresentam alguma inconformidade são contabilizados no subitem inadequação de domicílios. O objetivo deste trabalho é realizar uma discussão teórica acerca do tema de indicadores sociais e o déficit habitacional, apontando questões de conceito e da metodologia nacionalmente aceita de cálculo do déficit habitacional. Este ensaio teórico utiliza-se da pesquisa bibliográfica e análise documental das publicações da FJP. Os resultados de pesquisa evidenciam que apesar de amplamente aceita a metodologia possui carências de aplicabilidade, tais como a ausência da idade média dos domicílios e a periodicidade do cálculo. Desta forma, sugere-se alternativas de mensuração do déficit habitacional, com a possibilidade de inclusão de variáveis não consideradas pelas FJP.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gustavo Henrique Petean, UFG
Regional Goiás - Administração
Leandro Sauer, UFMS
ESAN Escola de Administração e Negócios - PPGAD - Programa de Pós-Graduação em Administração
Publicado
2019-04-30
Como Citar
Petean, G., & Sauer, L. (2019). INDICADORES SOCIAIS HABITACIONAIS: UMA REFLEXÃO TEÓRICA SOBRE O CÁLCULO DO DÉFICIT HABITACIONAL. Colloquium Socialis. ISSN: 2526-7035, 3(1), 58-66. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/cs/article/view/2052