A PIEDADE NATURAL EM JEAN-JACQUES ROUSSEAU

Autores

  • Gustavo Cunha Bezerra UNOESTE

Palavras-chave:

Piedade, Rousseau, Estado de Natureza

Resumo

O filósofo setecentista Jean-Jacques Rousseau considera a piedade como um sentimento humano que, ao proporcionar a identificação com o outro, estabelece os primeiros laços que unem os homens entre si. Através da piedade, o homem sofre no sofrimento do outro, pois percebe que pode padecer dos mesmos males. Cabe à imaginação ativar a piedade nesse movimento de lançar-se para fora de si, e desse modo, a piedade, apesar de natural, se manifestaria apenas após a reflexão. Na sociedade moderna, a piedade não é capaz de promover verdadeiramente os laços de humanidade, pois o homem se distanciou de sua natureza. Assim, uma educação que privilegiasse o desenvolvimento natural desse sentimento poderia recuperar a bondade das primeiras sociedades.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2011-08-08

Como Citar

Bezerra, G. C. (2011). A PIEDADE NATURAL EM JEAN-JACQUES ROUSSEAU. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 7(2), 86-91. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/524