DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFESSORES DE INGLÊS DAS ESCOLAS PÚBLICAS: UM ESTUDO AVALIATIVO DO PDPI SOB A PERSPECTIVA DE SEUS EGRESSOS

Autores

  • Lorena Lins Damasceno Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES
  • Mariana Gomes Fontes Bethônico

Palavras-chave:

Formação de professores; Língua inglesa; PDPI; Desenvolvimento Profissional; Egressos.

Resumo

Neste artigo analisamos o Programa de Desenvolvimento Profissional para Professores de Língua Inglesa nos Estados Unidos (PDPI), sob a perspectiva de seus egressos. O PDPI é uma ação desenvolvida pela Capes em parceria com a embaixada dos Estados Unidos e com a Comissão Fulbright, para a oferta de cursos intensivos em universidades americanas destinados a professores de língua inglesa das escolas públicas brasileiras. Para identificarmos os resultados e as possíveis repercussões do programa na atuação e no desenvolvimento profissional dos professores participantes, foi enviado um questionário aos egressos dos cursos realizados nos EUA, um ano após seu retorno ao Brasil. As respostas dos professores ao questionário foram analisadas à luz dos objetivos elencados no edital de seleção do programa. Para isso, foi criado um indicador para cada um dos cinco objetivos: valorização dos professores, domínio das habilidades, compartilhamento de metodologias, vivência cultural in loco, e parcerias estabelecidas. Os resultados apontaram que os objetivos do programa foram alcançados de forma parcial no que se refere à valorização dos professores, à capacidade de contextualizar a vivência cultural nos EUA no ensino da língua, ao estabelecimento de parcerias, e ao compartilhamento e à socialização dos conhecimentos após o retorno ao Brasil. Por outro lado, o programa demonstrou ter contribuído de forma significativa para o aumento do domínio das habilidades linguísticas e para o aprimoramento das práticas de ensino e avaliação em sala de aula, de acordo com os professores participantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARAÚJO, H. A valorização dos profissionais da educação. Carta Capital. 2017. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/opiniao/a-valorizacao-dos-profissionais-da-educacao/. Acesso em 20 de agosto de 2020.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 20 de agosto de 2020.

BRASIL. Lei n° 9.394 de 20 de dezembro de 1996: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm. Acesso em 27 ago.2018 Acesso em: 27 de agosto de 2020.

BRASIL. Lei n° 13.415 de 16 de fevereiro de 2017: Altera as Leis n º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2017/lei/l13415.htm Acesso em: 27 de agosto de 2020.

BRASIL. Resolução CNE/CP nº 2, de 20 de dezembro de 2019: Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação Inicial de Professores para a Educação Básica e institui a Base Nacional Comum para a Formação Inicial de Professores da Educação Básica (BNC-Formação). Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2019-pdf/135951-rcp002-19/file Acesso em: 29 de agosto de 2020.

BRITISH COUNCIL. O ensino de inglês na educação pública brasileira: elaborado com exclusividade para o British Council pelo Instituto de Pesquisas Plano CDE. São Paulo, SP: British Council Brasil, 2015. Disponível em:. 27 de agosto de 2020.

BRITISH COUNCIL. Currículo e Educação Integral na Prática: caminhos para a BNCC de língua inglesa. São Paulo, SP: British Council, 2019.

GATTI, B. A.; BARRETO, E. S. de S. Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: Unesco, 2009.

GENTILE, P. Antonio Nóvoa: professor se forma na escola. Associação Nova Escola, 01 mai. 2001. Disponível em https://novaescola.org.br/conteudo/179/entrevista-formacao-antonio-novoa. Acesso em 29 de agosto de 2020.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 2008.

IMBERNÓN, F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010. Edição do Kindle

NETO, A. S.; MACIEL, L. As políticas neoliberais e a formação de professores: propostas de formações simplistas e aligeiradas em épocas de transformações. In: MACIEL, L.; NETO, A. Formação de Professores. Passado, presente e futuro. 2. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2011. p. 35-76

PASQUALI, L. Instrumentação Psicológica. Brasília, DF: Editora Vetor, 2010.

QUEVEDO-CAMARGO, G.; SILVA, G. O inglês na educação básica brasileira: sabemos sobre ontem; e quanto ao amanhã?. Ens. Tecnol. R., Londrina, v. 1, n. 2, p. 258-271, jul./dez. 2017. Disponível em: file:///C:/Users/loren/Downloads/7500-26036-1-PB.pdf Acesso em: 27 de agosto de 2020.

SOUZA, M. G. de. O processo de internacionalização promovido pela Capes na formação de professores da educação básica. 2016. 46 f., Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde) - da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Porto Alegre, 2016.

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Damasceno, L. L., & Bethônico, M. G. F. . (2020). DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DE PROFESSORES DE INGLÊS DAS ESCOLAS PÚBLICAS: UM ESTUDO AVALIATIVO DO PDPI SOB A PERSPECTIVA DE SEUS EGRESSOS. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 318-335. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3709

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores