A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PROFESSOR(A) DE GEOGRAFIA: UM ESTUDO DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DO SER PROFESSOR(A)

Autores

  • Cláudia Valéria Rosa da Silva UFPE
  • Rejane Dias da Silva

Palavras-chave:

Formação inicial de Professores - Geografia; Representações Sociais - Licenciandos.

Resumo

Este artigo apresenta parte dos resultados da pesquisa realizada no mestrado em educação, no qual foram investigadas as representações sociais dos licenciandos(as) de geografia sobre o ser professor(a). Essa pesquisa teve por objetivo compreender as representações sociais dos licenciandos(as) em geografia acerca do ser professor(a) dessa disciplina. Para tal, buscou-se identificar o campo semântico das representações sociais dos licenciandos(as) e a estrutura interna de tais representações. Para alcançarmos os referidos objetivos, tomamos como aporte teórico-metodológico a Teoria das Representações Sociais (MOSCOVICI, 1961), bem como a abordagem estrutural (ABRIC, 1994). Utilizamos como instrumentos de coleta de dados questionário de associação livre de palavras e entrevista semiestruturada. Para análise dos dados, fizemos uso do software Iramuteq e da técnica de análise de conteúdo (BARDIN, 1977). Participaram como sujeitos da pesquisa 149 licenciandos(as) em geografia de duas instituições federais de ensino superior da Região Metropolitana do Recife (RMR). Como resultados encontrados temos as representações sociais dos(as) licenciandos(as) em geografia se inserindo em quatro categorias: disciplinar, pedagógica, afetiva e profissional, sendo a categoria disciplinar e pedagógica as que possuem maior expressividade. Esses resultados não esgotam as discussões acerca das representações sociais do ser professor(a), na realidade são propositivos para o desenvolvimento de novas pesquisas que pensem a respeito da formação inicial do professor de geografia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRIC, J. C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A. S. P.; OLIVEIRA, D. C. (Org.). Estudos interdisciplinares de Representação Social. Goiânia: AB, 1998.
BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Ed. 70, 1977.
CAMARGO, B. V.; JUSTO, A. M. IRAMUTEQ: Um Software Gratuito para Análise de Dados Textuais. Temas em Psicologia, v. 21, nº 2, p. 513-518, 2013.
CHAMON, Edna Maria Querido de Oliveira; GUARESCHI, Pedrinho Arcides; CAMPOS, Humberto Faria. Textos e debates em representação social. Org. Edna Maria Querido de Oliveira Chamon. Porto Alegre: Abrapso, 2014.
FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 52. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.
PIMENTA, Selma Garrido; ANASTASIOU, Léa das Graças Camargo. Docência no ensino superior. São Paulo: Cortez, 2002.
SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único à consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2006.
TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2014.
VESENTINI, José William. Educação e ensino da geografia: Instrumentos de dominação e/ou de libertação. In: CARLOS, Ana Fani A. (Org.). A geografia na sala de aula. 8. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Silva, C. V. R. da, & Silva, R. D. da. (2020). A FORMAÇÃO INICIAL DO(A) PROFESSOR(A) DE GEOGRAFIA: UM ESTUDO DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DO SER PROFESSOR(A) . Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 264-279. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3681