DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE DE PROFESSORAS ALFABETIZADORAS EXPERIENTES: MARCAS POSITIVAS E NEGATIVAS VIVENCIADAS AO LONGO DA CARREIRA DOCENTE

Autores

  • Juliana Pedroso Bruns Universidade Regional de Blumenau - FURB
  • Rita Buzzi Rausch UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU - FURB

Palavras-chave:

Desenvolvimento Profissional Docente. Professores Alfabetizadores Experientes. Formação de professores.

Resumo

A presente pesquisa teve por objetivo desvelar as marcas positivas e negativas na trajetória docente de seis professoras alfabetizadoras experientes que atuam há mais de quinze anos na Rede Municipal de Ensino de Brusque (SC). A opção por professoras alfabetizadoras experientes, justifica-se pela trajetória já vivenciada por essas professoras no exercício de sua profissão. Como referencial teórico elegeu-se as contribuições de Marcelo; García (1999, 2009), Vaillant e Marcelo (2012, 2015), Imbernón (2010, 2011), e Nóvoa (1992, 1999, 2000, 2009, 2010) para dialogar com as narrativas das professoras participantes. A pesquisa é de abordagem qualitativa e biográfica denominada “história de vida”, e a análise dos dados ocorreu mediante a análise textual discursiva. Os resultados evidenciaram que as marcas positivas apontam para a formação e cursos oferecidos pelo município por meio do governo federal; o diálogo e a colaboração da família na relação do trabalho pedagógico; a relação com as crianças e a aprendizagem da leitura e da escrita. As marcas negativas revelam a falta de cursos destinados aos professores alfabetizadores; falta de formação continuada atrelada às reais necessidades dos professores; dificuldades com a família quando os pais duvidam do trabalho que realizam; inclusão na sala de aula e a falta de apoio dos familiares nesse processo. Espera-se, que as narrativas das professoras alfabetizadoras mais experientes, contribua para uma reflexão na formação de professores, auxiliando sobretudo, os professores alfabetizadores iniciantes na profissão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliana Pedroso Bruns, Universidade Regional de Blumenau - FURB

Mestranda em Educação no Programa de Pós-Graduação da Universidade Regional de Blumenau - (PPGE-FURB). Bolsista do Programa de Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível Superior (CAPES). Integrante da linha de Pesquisa Formação de Professores, Políticas Educacionais e Práticas Educativas e do Grupo de Pesquisa Formação de Professores e Práticas Educativas (GPFORPE). Integrante do Grupo de Pesquisa Leituras em Educação, Saúde, Esporte e Lazer (LESEL). Especialista em Educação pelo Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE, na qual foi bolsista pela UNIEDU (Programa de Bolsas Universitárias de Santa Catarina) - 2017/2018. Pedagoga, licenciada pelo Centro Universitário de Brusque - UNIFEBE (2016). Durante a graduação, foi bolsista do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID, no qual atuou de 2012 a 2014 no subprojeto de alfabetização e letramento na educação infantil e em 2015 na secretaria do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID. Possui experiência em docência desde 2012 em educação infantil e nos anos iniciais, com ênfase em alfabetização e letramento

Rita Buzzi Rausch, UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU - FURB

Cursei Pedagogia na FURB; Especialização em Alfabetização na UNIVALI; Mestrado em Educação na FURB; Doutorado em Educação na UNICAMP e Pós-doutorado em Educação na UFSC. Atuei como alfabetizadora e coordenadora pedagógica na Educação Básica na SEMED de Blumenau. Atuei como professora e pesquisadora na FURB, no Curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação. Assumi a Direção do Centro de Ciências da Educação, Artes e Letras no período de julho/2014 a julho/2018. Coordenei o PIBID Pedagogia: Alfabetização e Letramento em 2010 a 2018. Atualmente sou professora aposentada e atuo como professora visitante (20h) no PPGE da FURB e integro a Linha de Pesquisa: Formação de professores, políticas educacionais e práticas educativas e lidero o Grupo de Pesquisa "Formação de professores e práticas educativas - GPFORPE. Atuo também como professora visitante (20h) na UNIVILLE e integro o Grupo de Pesquisa Trabalho e Formação Docente - GETRAFOR. Sou integrante do NUPEDOC - Núcleo de Formação de Professores, Escola, Cultura e Arte da UFSC, da RIPEFOR - Rede Interinstitucional de Pesquisa de Formação e Práticas Docentes e da ANPEd. Atualmente sou coordenadora geral da comissão local da XIII ANPEd-Sul. Minhas pesquisas abordam o desenvolvimento profissional docente, principalmente a formação inicial e continuada de professores.

Referências

BRASIL. Diário Oficial da União – Estado de calamidade pública 18 de março de 2020. 2020b. Disponível em: https://www.conjur.com.br/dl/decreto-legislativo-2020-coronavirus. Acesso em: 21 maio. 2020.
BRASIL. Diário Oficial da União – Portaria nº 867, de 4 de julho de 2012. 2012. Disponível em: https://www.normas.gov.br/materia/-/asset_publisher/NebW5rLVWyej/content/id/23745400. Acesso em 12 nov. 2019
BRUSQUE. Estatuto do Magistério Público Municipal de Brusque. 2009. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/pdf/Lei-complementar-146-2009-Brusque-SC-consolidada-[24-03-2016]. Acesso em: 26 maio. 2020.
BRASIL. Portaria nº 343, de 17 de março de 2020. 2020a. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Portaria-mec-343-2020-03-17. Acesso em: 21 maio. 2020.
BRASIL. Resolução CNE/CP Nº 2, 22 de dezembro de 2017. 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/RESOLUCAOCNE_CP222DEDEZEMBRODE2017. Acesso em: 08 jun. 2020.
CARLOS, M. Desenvolvimento Profissional Docente: passado e futuro. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 08, pp. 7-22. Disponível em: http://www.unitau.br/files/arquivos/category_1/MARCELO___Desenvolvimento_Profissional_Docente_passado_e_futuro_1386180263. Acesso em: 03 agos.2020.
FALKENBACH, A. P.; DREXSLER, G.; WERLER, V. A relação mãe/criança com deficiência: sentimentos e experiências. Ciênc. saúde coletiva [online]., vol.13, p.2065-2073, 2008. Disponível em: https://www.scielo.br/. Acesso em: 30 jun. 2020.
FERRAROTTI, F. Sobre a autonomia do método biográfico. In: NÓVOA, António; FINGER, Matthias (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN: São Paulo: Paulus, 2010.
GARCIA. C. M. Formação de professores para uma mudança educativa. 2ed. Porto Editora: Portugal, 1999.
IMBERNÓN. F. Formação continuada de professores. Porto Alegre: Artmed, 2010.
IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9.ed. São Paulo: Cortez, 2011.
MENEZES, E.T. de.; SANTOS, T. H dos. Verbete Profa (Programa de Formação de Professores Alfabetizadores). Dicionário Interativo da Educação Brasileira - Educabrasil. São Paulo: Midiamix, 2001. Disponível em: https://www.educabrasil.com.br/profa-programa-de-formacao-de-professores-alfabetizadores/. Acesso em: 04 fev. 2020.
MORAES, R.; GALIAZZI, M do C. Análise Textual Discursiva. 2º. ed. rev. Ijuí: Ed. Unijuí, 2011.
NÓVOA, A (Org.). Os professores e a sua formação. Lisboa: Dom Quixote: Instituto de Inovação Educacional, 1992.
NÓVOA, A. Os professores e sua formação num tempo de metamorfose da escola. Educação & Realidade, Porto Alegre, vol.44 n.3, p. 1-15, 2019.
NÓVOA, A. Professores: imagens do futuro presente. Lisboa: Educa, 2009.
NÓVOA, A. (org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto, 2000.
NÓVOA, A. A formação tem que passar por aqui: as histórias de vida no Projeto Prosalus. In: NÓVOA, António. FINGER, M. (Orgs.). O método (auto)biográfico e a formação. Natal, RN: EDUFRN: São Paulo: Paulus, 2010.
OLIVEIRA, C. B. E de.; MARINHO-ARAÚJO, C. M. A relação família-escola: intersecções e desafios. Estudos de Psicologia, Campinas, p. 99-108, jan/ mar, 2010.
PORTELA, C.P.J. ALMEIDA, C.V.P.J. Família e escolar: como essa parceria pode favorecer crianças com necessidades educativas especiais. In: DÍAZ, F., et al., (Orgs). Educação inclusiva, deficiência e contexto social: questões contemporâneas [online]. Salvador: EDUFBA, 2009, pp. 148- 159. Disponível em: http://books.scielo.org/. Acesso em: 30 jun. 2020.
PRADO, G do V. T.; SOLIGO, R. Memorial de Formação – quando as memórias narram a história da formação. In: PRADO, G do V. T.; SOLIGO, R (Orgs.). Porque escrever é fazer história: revelações, subversões, superações. Campinas, SP: Editora Alínea, 2007.
SHULMAN, Lee S. Conhecimento e ensino: fundamentos para a nova reforma. Cadernos Cenpec, São Paulo. v.4, n.2 p.196-229 dez. 2014. Disponível em:http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/293/297. Acesso em: 27 ago. 2019.
SOARES. M. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo: Contexto, 2016.
SOARES, M. Alfabetização: o saber, o fazer, o querer. In: MORTATTI, Maria do Rosário Longo. FRADE, Isabel Cristina Alves da Silva (Orgs.). A alfabetização e seus sentidos. Marília: Oficina Universitária; São Paulo: Editora Unesp, 2014.
VAILLANT, D.; MARCELO, C. El ABC y D de La Formación Docente. Madrid – Espanã. Narcea, S.A. de Ediciones, 2015.
VAILLANT, D.; MARCELO, C. Ensinando a ensinar: as quatro etapas de uma aprendizagem. Curitiba: Ed. UTFPR, 2012.

Publicado

2020-12-10

Como Citar

Bruns, J. P., & Rausch, R. B. (2020). DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DOCENTE DE PROFESSORAS ALFABETIZADORAS EXPERIENTES: MARCAS POSITIVAS E NEGATIVAS VIVENCIADAS AO LONGO DA CARREIRA DOCENTE. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 125-144. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3675

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores