ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA LICENCIATURA EM LETRAS: UM ESPAÇO-TEMPO DE CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DOCENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA

Autores

  • Gislainy Jennifer da Silva Nascimento
  • Lívia Suassuna UFPE

Palavras-chave:

Formação de professores; estágio supervisionado; identidade docente; profissionalização docente; licenciatura em Letras-Português

Resumo

Há muito se vêm desenvolvendo pesquisas na área da educação acerca da formação de professores e dos estágios curriculares, como uma das formas de garantir a melhoria dos cursos de licenciatura. Muitos desses estudos buscam compreender como ocorre o processo de identificação do docente em formação com o ofício de ensinar. Nessa perspectiva, este trabalho teve como objetivo analisar a relação entre os estágios supervisionados e o processo de construção da identidade docente do professor de língua portuguesa. Desenvolvemos uma pesquisa qualitativa e documental, na qual analisamos o discurso dos estagiários manifestado em seus relatórios escritos de vivências no campo do estágio. O corpus foi composto pelos trabalhos de 25 graduandos, concluintes do Estágio Curricular Supervisionado em Português 4, do curso de licenciatura em Letras-Português da Universidade Federal de Pernambuco, componente que consiste na regência de turma de ensino médio. Realizamos a análise dos dados com base em categorias teóricas atinentes à identidade e profissionalização docente (CORACINI, 2000; NAGAKOME, 2012; AGUIAR, 2016), à formação docente (SILVESTRE e PLACCO, 2011) e ao estágio (COSTA e LIMA, 2012; PIMENTA e LIMA, 2006). Constatamos que os estagiários reconhecem o estágio como importante etapa formativa do curso, espaço de reflexão acerca da prática pedagógica e processo de construção e reafirmação da identidade e da profissionalidade docente. Ademais, foram identificados diferentes sentimentos e impactos – tanto positivos quanto negativos – causados pela vivência do exercício profissional dos formandos, que também apontaram o que ainda pode ser feito para garantir uma formação mais consistente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, Í. W. Contribuições dos estágios curriculares para a construção identitária do egresso do curso de licenciatura em letras – língua portuguesa da universidade federal de Pernambuco. 2016. 86 f. Monografia de conclusão de curso – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.
AQUINO, J. G. A indisciplina e a escola atual. Rev. Fac. Educ. São Paulo, v. 24 n. 2, p. 1-11, jul./dez.1998.
CANDAU, V. M. F. Ser professor/a hoje: novos confrontos entre saberes, culturas e práticas. Educação. Porto Alegre, impresso, v. 37, n. 1, p. 33- 41, jan./abr. 2014.
CASTRO, A. T. K. A.; SALVA, S. Estágio como espaço de aprendizagem profissional da docência no curso de pedagogia. IX ANPED Sul-Seminário de Pesquisa em Educação da região Sul UFSM, 2012. Disponível em: <http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/anpedsul/9anpedsul/paper/viewFile/532/437 > Acesso em: 27 de nov. 2019, 22h17.
CONTRERAS, José. Autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.
CORACINI, M. J. R. F. Subjetividade e identidade do professor de português (LM). Trab. Ling. Apl., Campinas, v. 36, p. 147- 158, jul./dez. 2000.
COSTA, E. A. S.; LIMA, M. S. L. Os desafios da aprendizagem da profissão e o estágio. Revista Expressão Católica, Quixadá, CE, n. 1(2): 139-51, 2012.
DAVIS, C.; SILVA, M. A. S. E.; ESPÓSITO, Y. Papel e valor das interações sociais em sala de aula. Cadernos de Pesquisa. São Paulo, n. 71, p. 49-54, nov. 1989.
DAYRELL, J. T. A escola como espaço sociocultural. In: ______. (org.). Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1996, p. 136-161.
FRANÇA, D. S. A supervisão dos estágios de ensino pelos professores da educação básica: limitações e desafios. Olh@res, Guarulhos, v. 1, n. 1, p. 64- 89, maio. 2013.
GRECO, Eliana Alves. A imagem do professor construída pela revista Veja. In: Jornada Internacional de Estudos do Discurso e Encontro internacional da Imagem em Discurso, 2012, Maringá, PR. Anais.... Maringá: Universidade Estadual de Maringá, 2012.
IZA et al. Identidade docente: As várias faces da constituição do ser professor. Revista Eletrônica de Educação, São Carlos, v. 8, n. 2, p. 273-292, 2014.
LIMA, M. S. L. Reflexões sobre o estágio/prática de ensino na formação de professores. Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 8, n. 23, p. 195-205, jan./abr. 2008.
NAKAGOME, P. T. Identidade docente em formação. Linha d’Água, São Paulo, n. 25 (1), p. 203-217, 2012.
PERES, A. F.; GRECO, E. A. O sujeito professor de língua portuguesa: a construção de uma imagem. Entretextos, Londrina, v.14, n.1, p. 190 - 205, jan./jun.2014.
PIMENTA, S. G.; LIMA, M. S. L. Estágio e docência: diferentes concepções. Revista Poíesis Pedagógica, Catalão, v. 03, n. 3 e 4, p. 5-24, 2006.
MORGADO, José Carlos. Currículo e profissionalidade docente. Portugal: Porto Editora, 2005.
SILVA, W. R.; OLIVEIRA, E. J. Estágio curricular da licenciatura como um contexto de pesquisa sobre formação inicial do professor. Soletras, Rio de Janeiro, n. 35, p. 379- 404, jan./ jun. 2018.
SILVA, W. R.; TURBIN, A. E. F. Relatório de estágio supervisionado como registro da reflexão pela escrita na profissionalização do professor. Polifonia, Cuiabá, MT, v.18, n.23, p.103-128, jan./jun., 2011.
SILVESTRE, M. A. PLACCO.; V. M. N. DE S. Modelos de formação e estágios curriculares. Formação Docente, Belo Horizonte, v. 03, n. 05, p. 30-45, ago./dez. 2011.

Publicado

2020-12-18

Como Citar

Nascimento, G. J. da S. ., & Suassuna, L. (2020). ESTÁGIO SUPERVISIONADO NA LICENCIATURA EM LETRAS: UM ESPAÇO-TEMPO DE CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DOCENTE DO PROFESSOR DE LÍNGUA PORTUGUESA. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 208-228. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3645