LIMITES E POSSIBILIDADES DA INTEGRAÇÃO CURRICULAR NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE: REFLEXÕES A PARTIR DA FORMAÇAO CONTINUADA DE PROFESSORES

Autores

  • Filomena Lucia Gossler Rodrigues da Silva Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense
  • Andressa Graziele Brandt Professora do Instituto Federal Catarinense (IFC) - Campus Camboriú - SC
  • Tamiris Possamai Instituto Federal Catarinense (IFC)

Palavras-chave:

Integração Curricular. Formação de Professores. Ensino Médio Integrado.

Resumo

Neste trabalho, sistematizamos algumas das reflexões realizadas a partir de uma formação continuada com professores(as) de Ensino Básico Técnico e Tecnológico do Instituto Federal Catarinense (IFC) – Campus Camboriú, acerca dos limites e das possibilidades da integração curricular nos cursos de Ensino Médio Integrado. O percurso metodológico, de caráter qualitativo, baseou-se na revisão de literatura, análise documental e pesquisa participante junto aos professores(as) do IFC.  Entre os resultados, identificamos que os(as) professores(as) compreendem que a concepção de integração curricular exige tanto reestruturação dos projetos pedagógicos dos cursos e, consequentemente, dos currículos, quanto repensar as práticas pedagógicas de forma que estas contemplem a interdisciplinaridade que a realidade exige. Entre os limites e as possibilidades para a viabilização do currículo integrado, estão aspectos de ordem administrativa e pedagógica que revelam amplo conhecimento da instituição por parte dos docentes e, também, reconhecimento da existência de condições materiais concretas para a materialização da formação integral dos estudantes presente na concepção do Ensino Médio Integrado, entre elas a formação continuada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Filomena Lucia Gossler Rodrigues da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus de São Miguel do Oeste (1997), mestrado em Educação pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - Campus de Joaçaba (2009) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina (2014). Atualmente é professora nos cursos de licenciatura e no Programa de Pós-graduação em Educação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Camboriú. Atua principalmente nos seguintes temas: Políticas Públicas, Educação Profissional, Ensino Médio e Formação de professores. Membro e vice-líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Formação de Professores e Processos Educativos do Instituto Federal Catarinense, membro do Grupo de Pesquisa EMpesquisa - Ensino Médio em Pesquisa e membro do Observatório Internacional de Inclusão, Interculturalidade e Inovação Pedagógica (OIIIIPe). Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Educação do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense - Campus Camboriú.

Andressa Graziele Brandt, Professora do Instituto Federal Catarinense (IFC) - Campus Camboriú - SC

Doutora em Educação pelo PPGE da Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC), na Linha de Pesquisa: Ensino e Formação de Professores. Professora da área de Pedagogia e Pedagoga do Instituto Federal Catarinense (IFC) - Campus Camboriú. Integrante do grupo de Estudos e Pesquisas: Formação de Professores e Práticas de Ensino - FOPPE (UFSC/CNPq); e Integrante do Grupo de Pesquisas Interdisciplinares: Educação, Saúde e Sociedade (UEMA/CNPq). E-mail: andressabrandt@hotmail.com; andressa.brandt@ifc.edu.br. ORCID https://orcid.org/0000-0002-8176-1930.

Tamiris Possamai, Instituto Federal Catarinense (IFC)

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação do Instituto Federal Catarinense (IFC), na Linha de Pesquisa: Processos Formativos e Políticas Educacionais. Bacharela em Direito pelo Centro Universitário para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí - UNIDAVI (2017). Técnica Administrativa em Educação no Instituto Federal Catarinense (IFC) - Campus Rio do Sul. Integrante do Grupo de Estudo e Pesquisa em Educação, Formação de Professores e Processos Educativos do Instituto Federal Catarinense. Realiza estudos referentes a Políticas Educacionais, Educação Profissional e Ensino Médio. E-mail: tamirispssm@gmail; tamiris.possamai@ifc.edu.br. ORCID: https://orcid.org/0000-0001-6107-1257

Referências

BARROS, A. J. P.; LEHFELD, A. S. Projeto de pesquisa: propostas metodológicas. 8. ed. Petrópolis: Vozes, 1990.
BAZZO, V.; SCHEIBE, L. De volta para o futuro... retrocessos na atual política de formação docente. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 13, n. 27, p. 669-684, set./dez. 2019. DOI: https://doi.org/10.22420/rde.v13i27.1038
BRASIL. Lei Nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [1996]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9394.htm. Acesso em: 10 jun. 2020.
BRASIL. Lei No 11.494, de 20 de junho de 2007. Regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação - FUNDEB, de que trata o art. 60 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias; altera a Lei no 10.195, de 14 de fevereiro de 2001; revoga dispositivos das Leis nos 9.424, de 24 de dezembro de 1996, 10.880, de 9 de junho de 2004, e 10.845, de 5 de março de 2004; e dá outras providências. Brasília: Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, [2007]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11494.htm. Acesso em: 10 jun. 2020.
BRASIL. Lei Nº 13.415, de 16 de fevereiro de 2017. Altera as Leis Nos 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e 11.494, de 20 de junho 2007, que regulamenta o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação, a Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e o Decreto-Lei no 236, de 28 de fevereiro de 1967; revoga a Lei no 11.161, de 5 de agosto de 2005; e institui a Política de Fomento à Implementação de Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 35, p. 1-3, 17 fev. 2017.
BRASIL. Projeto de Lei Nº 6.840/2013. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para instituir a jornada em tempo integral no ensino médio, dispor sobre a organização dos currículos do ensino médio em áreas do conhecimento e dá outras providências. Brasília: Congresso Nacional, [2013]. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=602570. Acesso em: 10 jun. 2020.
BRASIL. Resolução Nº 6, de 20 de setembro de 2012. Define Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 149, n. 184, p. 22, 21 set. 2012.
CIAVATTA, M. A formação integrada: a escola e o trabalho como lugares de memória e de identidade. Revista Trabalho Necessário, Niterói, v. 3, n. 3, 2005. DOI: https://doi.org/10.22409/tn.3i3.p6122
CUNHA, M. I. Conta-me agora! as narrativas como alternativas pedagógicas na pesquisa e no ensino. Revista da Faculdade de Educação, São Paulo, v. 23, n. 1-2, jan./dez. 1997. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-25551997000100010
FRIGOTTO, G. A interdisciplinaridade como necessidade e como problema nas ciências sociais. Revista Ideação, Foz do Iguaçu, v. 10, n. 1, p. 41-62, 2008.
FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M.; RAMOS, M. N. (orgs.). Ensino Médio Integrado: concepção e contradições. São Paulo: Editora Cortez, 2005.
GOODSON, I. F. Currículo: Teoria e história. Tradução Attílio Brunetta. Revisão da tradução Hamilton Francischetti. 7. ed. Petrópolis: Vozes, 1995.
HOBOLD, M. de S. Desenvolvimento profissional dos professores: aspectos conceituais e práticos. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 13, n. 2, p. 425-442, maio/ago. 2018. DOI: https://doi.org/10.5212/PraxEduc.v.13i2.0010
IFC. Instituto Federal Catarinense. Ensino Médio Integrado no IFC: estudos e reflexões. Blumenau: Editora IFC, 2017. Disponível em: http://ifc.edu.br/wp-content/uploads/2017/09/Ensino-M%C3%A9dio-Integrado-no-IFC-1.pdf. Acesso em: 25 jun. 2020.
IFC. Instituto Federal Catarinense. Resolução Nº 016, de 1 de abril de 2019. Dispõe sobre as Diretrizes para a Educação Profissional Técnica Integrada ao Ensino Médio do Instituto Federal Catarinense. Blumenau: Conselho Superior do Instituto Federal Catarinense, 2019. Disponível em: http://consuper.ifc.edu.br/wp-content/uploads/sites/14/2019/01/Resolu%C3%A7%C3%A3o-16.2019-Diretrizes.pdf. Acesso em: 3 jul. 2020.
LOPES, A. C.; MACEDO, E. Teorias do currículo. São Paulo: Cortez, 2011.
MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 26. ed. Petrópolis: Vozes, 2007.
MOURA, D. Algumas possibilidades de organização do ensino médio a partir de uma base unitária: trabalho, ciência, tecnologia e cultura. In: SEMINÁRIO NACIONAL: CURRÍCULO EM MOVIMENTO – PERSPECTIVAS ATUAIS, 1., 2020, Belo Horizonte. Anais eletrônicos [...]. Belo Horizonte: MEC, 2010. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/docman/dezembro-2010-pdf/7177-4-2-algumas-possibilidades-organizacao-ensinomedio-dante-henrique/file. Acesso em: 18 jul. 2020.
RAMOS, M. Concepção do ensino médio integrado. 2008. Disponível em: http://forumeja.org.br/go/sites/forumeja.org.br.go/files/concepcao_do_ensino_ medio_integrado5.pdf. Acesso em: 27 jul. 2020.
SANTOMÉ, J. T. Globalização e Interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.
SAVIANI, D. O choque teórico da politecnia. Trabalho, Educação e Saúde, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 131-152, mar. 2003. DOI: https://doi.org/10.1590/S1981-77462003000100010
SILVA, F. L. G. R. et al. A constituição dos saberes necessários ao exercício da docência na educação profissional, científica e tecnológica: um balanço das produções acadêmicas (2011 – 2016). Revista de Estudos e Pesquisas sobre Ensino Tecnológico, Manaus, v. 4, n. 9, p. 38-55, 2018. DOI: https://doi.org/10.31417/educitec.v5i09.321
SILVA, M. R. da; KRAWCZYK, N. Quem é e o que propõe o Projeto de Lei da reforma do Ensino Médio: entrevistando o Projeto de Lei 6.840/2013. In: AZEVEDO, J. C. de; REIS, J. T. (orgs.). Ensino médio: políticas e práticas. Porto Alegre: Editora Universitária Metodista IPA, 2016. p. 47-64.
SILVA, A. L. et al. O currículo integrado no cotidiano da sala de aula. Florianópolis: IFSC, 2016.

Publicado

2020-12-10

Como Citar

Silva, F. L. G. R. da, BRANDT, A. G., & Possamai, T. . (2020). LIMITES E POSSIBILIDADES DA INTEGRAÇÃO CURRICULAR NO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE: REFLEXÕES A PARTIR DA FORMAÇAO CONTINUADA DE PROFESSORES. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 145-157. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3609

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores