FORMAÇÃO E CONSTRUÇÃO DA DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Autores

  • Jaqueline Paschoal Universidade Estadual de Londrina
  • Sonara Maria Lopes de Oliveira Colégio Mãe de Deus
  • Marta Regina Furlan de Oliveira Universidade Estadual de Londrina

Palavras-chave:

História. Docência. Formação. Atuação. Legislação.

Resumo

Este estudo de caráter bibliográfico tem o propósito de discutir as especificidades da docência na Educação Infantil a partir das origens, determinações legais e formação profissional. A aprovação da Lei de Diretrizes e Bases (1996) reconhece a Educação Infantil como primeira etapa da Educação Básica, visto que a criança é considerada cidadã, sujeito de direitos, desde a promulgação da Constituição Federal (1988). Apesar dos inúmeros progressos das leis em relação ao direito à educação desde o nascimento, muitos são os desafios que se coloca. Isso porque a efetivação desse direito, ainda não está acessível a todas as crianças, principalmente quando se considera os quesitos: acesso, permanência e qualidade dos serviços prestados. Tal fato ocorre porque, em muitos casos, há: não só precariedade e superficialidade na formação, mas, nas condições de trabalho e atuação docente. Daí a importância da garantia e implementação de políticas públicas de formação inicial e continuada que possibilitem aos professores a construção de práticas que reconheçam as especificidades desse nível de ensino. A valorização profissional em termos de salário e quadro de carreira é direito desses profissionais e devem ser garantidos pelo poder público, pois ainda que tais aspectos não influenciam diretamente a qualidade da ação docente, podem contribuir para a melhoria das práticas educativas junto às crianças, sobretudo no desenvolvimento de suas diferentes linguagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sonara Maria Lopes de Oliveira, Colégio Mãe de Deus

Mestre em Educação pela Universidade Estadual de Londrina.

Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil e Anos Iniciais do Colégio Mãe de Deus da cidade de LOndrina/Pr.

Marta Regina Furlan de Oliveira, Universidade Estadual de Londrina

Pós Doutora pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita". Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Maringá-UEM.

Docente no Programa de Pós-Graduação -Mestrado e Doutorado na Universidade Estadual de Londrina e no curso de Pedagogia do Departamento de Educação-UEL.

Referências

ANGOTTI. M. Educação Infantil: para que, para quem e por quê? Campinas: SP: Editora Alínea, 2006.

ARCE, A. Documentação oficial e o mito da educadora nata na educação infantil. Cadernos de pesquisa, n. 113, p. 167-184, jul. 2001. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-15742001000200009&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 13 maio 2020

BATISTA, R.; ROCHA, E.A. C. Docência na Educação Infantil: origens de uma constituição profissional feminina. Zero-a- seis. v. 20, n. 37 p. 95-111, jan-jun 2018. www.scielo.br/scielo.php. Acesso em: 14 abr, 2020.

BRASIL. Lei nº 5.692, 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1° e 2º graus, e dá outras providências. Presidência da República, Casa Civil, Subchefia para Assuntos Jurídicos, Brasília, D.F, 11 ago. 1971.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal, 1988, 305 p. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao91.htm. Acesso em: 8 maio. 2020

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9394, de 20 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: MEC, 1996.

CAMPOS. M. M. FULLGRAF, J.; WIGGERS, V. A Qualidade da educação infantil brasileira: alguns resultados de pesquisa. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v.36, n.127, p.87-128, jan./abr. 2006.

CAMPOS. M. M. Entre as políticas de qualidade e a qualidade das práticas. Cadernos de Pesquisa, n.148, p.22-43, 2013. Disponível em: www.scielo.br/pdf/cp/v43n148/03.pdf. Acesso em: 20 de junho de 2020.

CERISARA, A. B. O Referencial Curricular Nacional para a educação infantil no contexto das reformas. Educação e Sociedade, v. 23, n. 80, p. 326-345, set. 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v23n80/12935. Acesso em: 05 junho de 2020.

FREITAS, H. C. A. (Nova) política de formação de professores: a prioridade postergada. Educação e Sociedade. Campinas, vol. 28, n. 100 – Especial, p. 1203-1230, out. 2007. Disponível em: https://www.cedes.unicamp.br/. Acesso em: 10 jan. 2020

FLORES, M. L. Rodrigues; ALBUQUERQUE, S. S. de. Direito à educação infantil no contexto da obrigatoriedade de matrícula escolar na pré-escola. Textura, Canoas, v. 18, n. 36, jan./abr. 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/txra/article/view/1726/1455. Acesso em: 29 abr. 2020.

GATTI, B. A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educ. Soc., Campinas, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, out./dez. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=s0101-73302010000400016&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 12 abril 2020.

HADDAD, L.; CORDEIRO, M. H. ; MONACO, G. L. As tarefas do professor de educação infantil em contextos de creche e pré-escola: buscando compreender tensões e oposições. Educação & Linguagem v.15 n. 25. 134-154. 2012. Acesso em: 12 abril 2020.

KISHIMOTO, T. M. Avanços e retrocessos na formação dos profissionais de educação infantil. In: MACHADO, Maria Lúcia de A. (Org.) Encontros e desencontros em educação infantil. São Paulo: Cortez, 2002. p. 107-115.

MASSUCATO. J. C.; AZEVEDO, H. H. O. Educação Infantil: história, políticas e perspectivas. Revista de Educação PUC-Campinas, Campinas, 17(2):151-161, jul./dez., 2012. Acesso em: 24 abril 2020.

PASCHOAL, J. D.; BRANDÃO. C. F. Contribuição da legislação para a organização do trabalho pedagógico na Educação Infantil brasileira. Revista HISTEDBR On-line, Campinas, nº 66, p. 196-210, dez. 2015. Acesso em: 10 abril 2020.

PASCHOAL, J. D. Entre a pré-escola obrigatória e creche opcional: reflexões sobre o direito da criança à educação de qualidade. Rev. HISTEDBR On-line, Campinas, v.18, n.3. p.766-779, jul./set. 2018. Acesso em: 22 abril 2020.


PEROZA, M. A. de R.; MARTINS, P. L. O. A formação de professores para a educação infantil no limiar dos vinte anos da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9.394/96. Rev. Diálogo Educacional, Curitiba, v. 16, n. 50, p. 809-829, out./dez. 2016. Disponível em: http://www2.pucpr.br/reol/pb/index.php/dialogo. Acesso em: 03 fev. 2020.

RODRIGUES, S. A. Mudanças e persistências na formação para docência em creches e pré-escolas. Rev. Zero-a-Seis, v. 19, n. 36, p. 328-348, jul./dez. 2017. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/zeroseis/article/view/1980-4512.2017v19n36p328/35622. Acesso em: 12abril de 2020.

SAVIANI, D. Formação de professores: aspectos históricos e teóricos do problema no contexto brasileiro. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 40, p. 143-155, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf. Acesso em 18 dez. 2019

Publicado

2020-12-15

Como Citar

Paschoal, J., Lopes de Oliveira, S. M. ., & Furlan de Oliveira, M. R. . (2020). FORMAÇÃO E CONSTRUÇÃO DA DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 17, 158-168. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3607

Edição

Seção

Dossiê: Formação de Professores