EM NOME DA TRADIÇÃO: A RELAÇÃO ESCOLA –CIDADE-FAMÍLIAS NO COTIDIANO DA (PRÉ)-ESCOLA

  • Luiz Martins Junior Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Julice Dias Universidade do Estado de Santa Catarina
  • Rosa Elisabete Militz Wypyczynski Martins Universidade do Estado de Santa Catarina
Palavras-chave: (Pré)-Escola, Cadeias de Interação, Mães, Cidade, Famílias.

Resumo

O presente trabalho tem como foco de discussão a relação escola-cidade-famílias. Tendo como unidade de análise a manutenção de uma escola confessional católica blumenauense como tradição e referência no cenário da cidade desde sua instalação no século XIX até o final do século XX, busca-se neste texto, explorar um dos recortes da pesquisa que investigou em tese de doutorado a tríade mães, professoras e atividades escolares das crianças, qual seja, a interação das mães com a escola, no que tange à seleção e manutenção de seus filhos e filhas neste educandário. Utilizando categorias sociológicas como habitus e tradição, explora-se os modos de ser, sentir, agir e pensar de mulheres e mães, articulados em sentimentos de pertença que constituem rede organizacional, não homogênea, porém amalgamadas a manifestações culturais particularizadas produzidas por setores que idealizaram a escola como a melhor, a mais tradicional, a escola referência. Da análise dos dados obtidos, pode-se afirmar que as inovações ou alterações curriculares não foram resultado da interação escola e famílias. As inovações resultaram de pressões externas, de teorias de aprendizagem, discursos hegemônicos veiculados pelo modismo pedagógico da época. Pelo fato de a escola ser referência, não poderia deixar de estar à altura das demandas sociais e pedagógicas que os tempos da redemocratização do país e da profusão da sociedade do conhecimento exigiam dos processos escolares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Martins Junior, Universidade do Estado de Santa Catarina

Graduado em Geografia pela Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE, Graduado em Pedagogia pela UNINTER, Mestre em Geografia pela UFSC; Doutorando no Curso de Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação FAED/UDESC, Florianópolis, Brasil.

Julice Dias, Universidade do Estado de Santa Catarina

Doutora em Educação: História, Política, Sociedade pela PUC/SP, Brasil. Professora Adjunta do Departamento de Pedagogia do Centro de Ciências Humanas e da Educação da UDESC. Integrante do Grupo de Pesquisa em Educação Infantil – GEDIN. Diretora Geral da FAED/UDESC.

Rosa Elisabete Militz Wypyczynski Martins , Universidade do Estado de Santa Catarina

Licenciada em Geografia; Mestre em Educação; Doutora em Geografia; Professora da área do ensino de Geografia, supervisora de estágios do curso de Geografia Licenciatura da FAED/UDESC; Coordenadora do LEPEGEO – Laboratório de Estudos e Pesquisas de Educação em Geografia; membro do LABTATE/UFSC; Coordenadora PIBID Geografia da FAED/UDESC; Professora do curso de Pós-Graduação em Geografia da UFSC, Florianópolis, Brasil.

Referências

BRASIL. Governo Federal. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional.

BRASIL. Plano Nacional de Educação. Brasília (DF), Congresso Nacional, Comissão de Educação, Cultura e Desporto. 2001.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil: Resolução da Câmara de Educação Básica, nº 005, Brasília, 2009.

BHERING, E.; DE NEZ, T. B. Envolvimento de pais em creche: possibilidades e dificuldades de parceria. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 18 (1), p. 63-73, 2002.

COLLINS, R. The microcontribution to macro sociology. Sociological Theory, v. 6, nº. 2, p. 242-253, 1988.

DESSEN, Maria Auxiliadora; POLONIA, Ana da Costa. A família e a escola como contextos de desenvolvimento humano. Paidéia (Ribeirão Preto) [online]. 2007, vol.17, n.36, pp. 21-32.

ELIAS, N. A sociedade dos indivíduos; tradução Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed, 1994.

__________ . Introdução à Sociologia. Lisboa, Portugal, 1999.

LIBÂNEO, José Carlos; OLIVEIRA, João F. de; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 7.ed. São Paulo: Cortez, 2009.

GUIMARÃES, D. A relação com as famílias na educação infantil: o desafio da alteridade e do diálogo. In: VAZ, A.; MOMM, C. M. Educação Infantil e Sociedade. Nova Petrópolis – Harmonia, p. 88-100, 2012.

MARANHÃO, D. G; SARTI, C. A. Creche e família: uma parceria necessária. Cadernos de Pesquisa, 38 (133), p. 171-194, 2008.

MAUSS, M. Ensaios de sociologia; tradução Luiz João Gaio e J. Guinsberg. São Paulo: Perspectiva, 1981.

PAROLIM, Isabel. As dificuldades de aprendizagem e as relações familiares. Fortaleza, 2003

WILLIAMS, R. Cultura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2000.
Publicado
2020-01-08
Como Citar
Martins Junior, L., Dias, J., & Elisabete Militz Wypyczynski Martins , R. (2020). EM NOME DA TRADIÇÃO: A RELAÇÃO ESCOLA –CIDADE-FAMÍLIAS NO COTIDIANO DA (PRÉ)-ESCOLA . Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 16(4). Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/3286
Seção
DOSSIÊ: EDUCAÇÃO INFANTIL: FORMAÇÃO DE PROFESSORES, CURRÍCULO E PRÁTICAS