O TEAR INVESTIGATIVO E OS FIOS DISCURSIVOS DAS AMAZÔNIAS: UMA ANÁLISE AUTORAL DOS PROCESSOS INVESTIGATIVOS E FORMATIVOS

  • Caroline Barroncas de Oliveira UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS - UEA
  • Mônica de Oliveira Costa UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS - UEA
Palavras-chave: Processo investigativo. Discurso. Amazônia.

Resumo

O objetivo central dessa pesquisa é narrar o processo de constituição do ser pesquisador tendo como fio condutor as problematizações sobre a Amazônia que se pensa quando se assume a necessidade e importância de contemplar o que lhe é próprio, o que se diz a “cara da Amazônia”. É uma tentativa de desnaturalizar verdades sobre a Amazônia a partir da perspectiva teórica dos Estudos Culturais e de algumas ferramentas de Michel Foucault. A trama enunciativa que se apresenta é um recorte de um projeto institucional que investiga as ideias sobre a Amazônia dos professores da rede pública de Manaus e os atravessamentos dessas nos discursos midiático e literário. Aqui apresentamos a trajetória inicial da pesquisa pautada nos estudos teóricos e na análise da dispersão das Amazônias fabricadas, com a intenção de dar visibilidade para os (des)caminhos da investigação e os (des)ajustes que atenderam as escolhas filosóficas/políticas das autoras. Assim, mobilizamos a discussão sobre processos investigativos e formativos que se distanciem da reprodução, cópia e modelo e aproximem do diálogo, da problematização e invenção de outros modos de existência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica de Oliveira Costa, UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS - UEA

Licenciatura em Pedagogia pela Universidade Federal do Amazonas (2005) com Habilitação em Supervisão e Orientação Escolar, Especialização em Psicopedagogia, Mestrado em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia pela Universidade do Estado do Amazonas - UEA (2010), doutorado em Educação em Ciências e Matemática pela REAMEC - Rede Amazônica em Educação em Ciências e Matemática a partir do qual pesquiso os temas: Currículo, Estágio, Didática e Amazônia na perspectiva de Michel Foucault. Atualmente sou professora/pesquisadora na Universidade do Estado do Amazonas.

Referências

AGUIAR, José Vicente de Souza. Narrativas sobre povos indígenas na Amazônia. 2011. 215 f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

AMORIM, Antonio Carlos Rodrigues de. Imagem-Escola. In: LIBÂNEO, José Carlos e ALVES, Nilda (Org.). Temas de Pedagogia: Diálogos Entre Didática e Currículo. São Paulo: Cortez, 2012. p. 264-283.

BARBOSA, Mário Médice. Entre a filha enjeitada e o paraensismo: as narrativas das identidades regionais na Amazônia paraense. 2014. 477 f. Tese (Doutorado em História Social) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2010.

BONIN, Iara Tatiana. E por falar em povos indígenas... quais narrativas contam em práticas pedagógicas? 2007. 220f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

BUENO, Magali Franco. O imaginário brasileiro sobre a Amazônia: uma leitura por meio dos discursos dos viajantes, do Estado, dos livros didáticos de Geografia e da mídia impressa. 2002. 197 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação para sociedades sustentáveis e ambientalmente justas. Rev. Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. esp., p. 46-55, dez. 2008.

COLFERAI, Sandro Adalberto. Jornalismo e identidade na Amazônia: as práticas culturais legitimadas no jornal Diário da Amazônia como representações identitárias de Rondônia. 2009. 198f. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

CORAZZA, Sandra; TADEU, Tomaz. Composições. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

COSTA, Vânia Maria Torres. À sombra da floresta: os sujeitos amazônicos entre o estereótipo, invisibilidade e colonialidade no telejornalismo da Rede Globo. 2011. 295 f. Tese (Doutorado em Comunicação) - Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro. 2011.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Tradução de Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

GUIMARÃES, Leandro Belinaso. Como lidar com os pensamentos passageiros que nos atravessam. Revista Linha Mestra. n. 24., Jan-Jul, 2014.

GUIMARÃES, Leandro Belinaso. Um olhar nacional sobre a Amazônia: apreendendo a floresta em textos de Euclides da Cunha. 2006. 265f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006.

HALL, Stuart. A centralidade da cultura. Educação & Realidade, Porto Alegre, n. 22, v. 2, p. 15-46, jul./dez. 1997.

HATOUM, Milton. Órfãos do Eldorado. São Paulo: Companhia das letras, 2008.

KNOBBE, M.M. O que é compreender?: viajando com Gulliver por velhos e novos mundos...São Paulo: Editora Livraria da Física, 2014.

LARROSA, Jorge. Esperando não se sabe o quê: sobre o ofício de professor. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018.

LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana: danças, piruetas e mascaradas. 5.ed. Belo horizonte: Autêntica Editora, 2016.

FREITAS, Ricardo Martins de. A percepção da paisagem amazônica pelos alunos do ensino regular da Educação a Distância. 2013. 116f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013.

MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves (org.) Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2014. (Coleção Pensar a educação).

MONTEIRO, Glauce Cristhiane da Silva. Amazônia na TV: a presença local no telejornalismo nacional. 2011. 194f. Dissertação (Mestrado em Planejamento do desenvolvimento) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2011.

NUNES, Paulo. Poesia do Grão Pará. Graphia, 2001.

PAES, Maria Helena Rodrigues. Representações cinematográficas “ensinando” sobre o índio brasileiro: selvagem e herói nas tramas do império [manuscrito]. 2008. 154f. Tese (Doutorado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos estratégias analíticas. In: MEYER, D. E.; PARAÍSO, M. A. (org.). Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2014.

PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo e mídia educativa: poder, saber e subjetivação, Chapecó: Argus, 2007.

PESSÔA GUIMARÃES, Maria Stella Faciola. Um olhar atrás da escrita: o pensamento de Benedito Nunes sobre a Amazônia. 2012. 232 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Sustentável em Trópicos Úmidos) - Universidade Federal do Pará, Belém, 2012.

ROCHA, Cristianne Maria Famer. A escola na mídia: nada fora do controle. Porto Alegre: UFRGS, 2005.

ROSA, Guimarães. Grande Sertão: veredas. Belo Horizonte: Secretaria do Estado de Minas Gerais, 2006.

SOUSA, Márcio. Amazônia, regional e universal. IN: BASTOS, Élide Rugai. PINTO, Renan Freitas. Vozes da Amazônia II. Manaus: Valer, 2014.

VEIGA-NETO, Alfredo. Foucault e a Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

VICENTINI, Juliana de Oliveira. O discurso ambiental da TV: a Amazônia do “Globo Repórter”. 2013. 152 f. Dissertação (Mestrado em Ciências) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

Publicado
2019-05-13
Como Citar
Oliveira, C. B. de, & Costa, M. de O. (2019). O TEAR INVESTIGATIVO E OS FIOS DISCURSIVOS DAS AMAZÔNIAS: UMA ANÁLISE AUTORAL DOS PROCESSOS INVESTIGATIVOS E FORMATIVOS. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 16(1), 134-144. https://doi.org/10.5747/ch.v16i1.2940