PROJETO INTERDISCIPLINAR: DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS

  • Sandra Regina Chalela Ayub FATEC Catanduva
  • Raul Aragão Martins Universidade Estadual Paulista – UNESP
Palavras-chave: Avaliação da Educação, Competência Profissional, Prática Interdisciplinar, Ensino, Avaliação do Ensino

Resumo

Muitos profissionais graduados não conseguem adentrar no mercado de trabalho. Possivelmente, as competências específicas desenvolvidas na graduação não foram suficientes para torná-los competitivos. Necessita-se que as Instituições de Ensino Superior desenvolvam estratégias educacionais, proporcionando desenvolvimento holístico, com visão integradora das competências e, consequentemente, do desenvolvimento de competências transversais - conhecimentos, habilidades, atitudes que um indivíduo pode mobilizar para desempenho de diferentes atividades profissionais, proporcionando elo entre o conhecimento técnico e o mercado na prática. Assim, esta pesquisa teve por objetivo analisar as competências transversais desenvolvidas nos alunos do curso de Tecnologia em Gestão Empresarial através do Projeto Interdisciplinar da FATEC Catanduva. Realizou-se pesquisa exploratória e de campo aplicando Inventário de Habilidades Discentes em 227 estudantes, analisando 5 competências transversais. Verificou-se que o Projeto Interdisciplinar desenvolve todas as competências transversais avaliadas, possibilitando o aluno aplicar conhecimentos técnicos na prática do mercado de trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCAR, E. M. L. S; FLEITH, D. S. Inventário de Práticas Docentes que Favorecem a Criatividade no Ensino Superior. Psicologia: Reflexão e Critica, Porto Alegre, v.17, n. 1, p.105-110, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/prc/v17n1/22310.pdf. Acesso em: 27 mai. 2017. https://doi.org/10.1590/S0102-79722004000100013

BRASIL. Lei nº 9.394/96 de 20 de dezembro de 1996: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 248, p. 27.833-27.841, dez. 1996. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/lei/1996/lei-9394-20-dezembro-1996-362578-publicacaooriginal-1-pl.html. Acesso em: 15 abr. 2018.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos, apresentação dos temas transversais. Brasília: MEC. 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ttransversais.pdf. Acesso em: 15 abr. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. CNS – Conselho Nacional de saúde. Resolução nº 510/2016 – Dispõe sobre a pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. Brasilia: Ministério da Saúde, 2006. Disponível em: <http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/reso510.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2018.

CABRAL-CARDOSO, C.; ESTÊVÃO, C.V.; SILVA, P. As competências transversais dos diplomados do Ensino Superior: perspectiva dos empregadores e dos diplomados. Guimaraes: TecMinho, 2006.

CRONBACH, L. J. Coefficient alpha and the internal structure of tests, Psychometrika, n. 3, v. 16, set. 1951. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/e985/ac2e151903000cac310ffbc5b2cb4fbb9dd5.pdf. Acesso em: 02 jun. 2018.

CRONBACH, L. J. Fundamentos da testagem psicológica. 5. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

FLEURY, M. T. L. A Gestão de competências e a estratégia organizacional. In: FLEURY, M. T. L. (org.) As pessoas na Organização. São Paulo: Ed. Gente, 2002.

FLEURY, M. T. L.; FLEURY, A. Construindo o Conceito de Competência. Rev. adm. contemp., Edição Especial, v. 5, p. 183-196, 2001. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-65552001000500010. Acesso em: 19 mar. 2018.

FLEURY, M. T. L.; FLEURY, A. C. C. Alinhando estratégias e competências. Rev. Adm. Empres. v. 44, n. 1, jan./mar. 2004. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-75902004000100012. Acesso em: 19 mar. 2018.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2017.

LÜCK, H. Pedagogia da interdisciplinaridade: Fundamentos teórico-metodológicos. Petrópolis: Vozes, 2001.

MANSILHA, S. Comunicação corporativa – textos básicos. 1. ed., Rio de Janeiro: Editora Saraiva, 2012.

MORENO, M. L. R. Evaluación, balance y formación de competencias laborales transversales: propuestas para mejorar la calidad en la formación profesional y en el mundo del trabajo. Laertes Educación: Barcelona, 2006.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho cientifico: métodos e técnicas das pesquisas e do trabalho cientifico. 2. ed. Rio Grande do Sul: Universidade Feevale, 2013.

PELEIAS, I. R. et al. Interdisciplinaridade no Ensino Superior: Análise da Percepção de Professores de Controladoria em Cursos e Ciências Contábeis na Cidade de São Paulo. Avaliação, Campinas; Sorocaba, v. 16, n. 3, p. 499-532, nov. 2011.

Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/aval/v16n3/v16n1a02.pdf. Acesso em: 04 abr. 2018. https://doi.org/10.1590/S1414-40772011000300002

SANT´ANNA, A. S. Competências individuais requeridas, modernidade organizacional e satisfação no trabalho: uma análise de organização mineira sob a ótica de profissionais da área de administração. 2002. 366f. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2002.

SILVA, R. S. As Competências Transversais de Graduandos de Economia e Gestão na Interface Universidade – Mundo do Trabalho. 2016. 260f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. Porto, maio 2016.

Publicado
2019-05-07
Como Citar
Chalela Ayub, S., & Aragão Martins, R. (2019). PROJETO INTERDISCIPLINAR: DESENVOLVIMENTO DE COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 16(1), 41-48. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/2657