ENTRE AS REPRESENTAÇÕES E A REALIDADE: AS NORMALISTAS DO EXTREMO OESTE PAULISTA (1947-1975)

  • Jorge Luís Mazzeo Mariano USP/UNESP
  • Raimunda Abou Gebran Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE
Palavras-chave: Normalistas, Institutos de Educação, Cultura escolar, Formação docente, Extremo oeste paulista

Resumo

Neste trabalho são exibidos alguns resultados da pesquisa de Pós-Doutorado intitulada “A formação de normalistas no extremo oeste paulista (1947-1975)”. O objetivo geral da pesquisa foi analisar o processo histórico da formação docente nas Escolas Normais dos Institutos de Educação de Presidente Prudente e de Presidente Venceslau a partir do relato das egressas e das docentes aposentadas, de forma articulada com a História das Mulheres e a História da Educação. Como metodologia, procedeu-se a uma análise de fontes bibliográficas, documentais e orais, utilizando os referenciais teóricos-metodológicos da Nova História Cultural e da História Oral. Como resultado, foi possível perceber que essas instituições promoveram a emancipação profissional dessas mulheres, sendo possível concluir que, mesmo que muitas vezes fossem disseminadoras de representações que intentavam enquadrar a postura e o trabalho feminino, as apropriações das normalistas demonstram uma postura crítica em relação à educação e a participação política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBERTI, Verena. Manual de História Oral. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005.

ALMEIDA, Jane Soares de. Mulher e educação: a paixão pelo possível. São Paulo: Unesp, 1998a.

ALMEIDA, Jane Soares de. Vestígios para uma reinterpretação do magistério feminino em Portugal e Brasil. In: SOUZA, Rosa Fátima de; VALDEMARIN, Vera Teresa e ALMEIDA, Jane Soares de. O legado educacional do século XIX. Araraquara: UNESP – Faculdade de Ciências e Letras, 1998b. p. 107-181.

BARROS, Helena Faria de. Helena Faria de Barros: depoimento [out. 2017]. Entrevistador: Jorge Luís Mazzeo Mariano. Presidente Prudente: 2017. 1 arquivo .mp3 (1 h 17 min 28 seg). A entrevista encontra-se transcrita em mídia digital no arquivo pessoal do pesquisador.

CHARTIER, Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Trad. de Maria Manuela Galhardo. Lisboa: Difel, 2002.

D’INCAO, Maria Angela. Maria Angela D’Incao: depoimento [dez. 2017]. Entrevistador: Jorge Luís Mazzeo Mariano. Presidente Prudente: 2017. 1 arquivo .mp3 (2 h 13 min 17 seg). A entrevista encontra-se transcrita em mídia digital no arquivo pessoal do pesquisador.

ERBELLA, Inocêncio. Rabiscos históricos de Presidente Venceslau. Presidente Venceslau: Editora Artes Gráficas Pedrali, 2006.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de; GONÇALVES, Irlen Antônio; VIDAL, Diana Gonçalves; PAULILO, André Luiz. A cultura escolar como categoria de análise e como campo de investigação na história da educação brasileira. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 1, p. 139-159, jan./abr. 2004.

FERREIRA, Marieta de Moraes; AMADO, Janaína (Coord.). Usos & abusos da História Oral. 8. ed. Rio de Janeiro: FGV, 2006.

FONSECA, Thais Nivia de Lima e. História da Educação e História Cultural. In: FONSECA, Thais Nivia de Lima e; VEIGA, Cynthia Greive. História e Historiografia da Educação no Brasil. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. p. 49-76.

GOUBERT, Pierre. História Local. In: Revista Arrabaldes, Rio de Janeiro, Ano I, n. 1, Mai./Ago., 1988. p. 69-82.

JOUTARD, Phelippe. História oral: um balanço da metodologia e da produção nos últimos 25 anos. In: AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes (Coord.). Usos & abusos da história oral. 8. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006. p. 43-62.

LOMBARDI, Ulysses. Ela. O Imparcial, Presidente Prudente, p. 3, 13 jun. 1951.

MARIANO, Jorge Luís Mazzeo. A implantação da escola primária graduada em Presidente Prudente-SP: as contribuições das professoras primárias (1925-1938). 2011. 156 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos/UFSCar, São Carlos, 2011.

MARIANO, Jorge Luís Mazzeo. As influências do trabalho docente feminino na cultura escolar do extremo oeste paulista (1932-1960). 2016. 405 f. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Estadual Paulista/Unesp, Presidente Prudente, 2016.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História & História Cultural. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

RECKZIEGEL, Ana Luiza Setti. História Regional: dimensões teórico-conceituais. História: debates e tendências, Passo Fundo, v. 1, n. 1, jun. 1999, p. 15-22.

SENSACIONAL brincadeira promovida pelo 1º ano profissional. A Voz do Povo, Presidente Prudente, p. 4, 28 mai. 1950.

SILVA, Vera Alice Cardoso. Regionalismo: o enfoque metodológico e a concepção histórica. In: SILVA, Marcos A. da (Org.). República em Migalhas: História Regional e Local. São Paulo: Marco Zero/CNPq, 1990. p. 43-49.

SOLENIDADE da entrega de certificados às formandas do Curso de Aperfeiçoamento do Instituto de Educação ‘Fernando Costa’. O Imparcial, Presidente Prudente, p.1, 4 jan.1955.

SOUZA, Rosa Fátima de. Um itinerário de pesquisa sobre a cultura escolar. In: CUNHA, Marcus Vinicius da. (Org.) Ideário e imagens da educação escolar. Campinas: Autores Associados; Araraquara: Programa de Pós-Graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras da Unesp, 2000. p. 3-28.

THOMPSON, Paul. A voz do passado: história oral. Trad. de Lólio Lourenço de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

VIDAL, Diana Gonçalves. Cultura e práticas escolares: uma reflexão sobre documentos e arquivos escolares. In: SOUZA, Rosa Fátima de; VALDEMARIN, Vera Teresa (Org.). A cultura escolar em debate: questões conceituais, metodológicas e desafios para a pesquisa. Campinas: Autores Associados, 2005. p. 3-30.

Publicado
2019-05-07
Como Citar
Mariano, J. L. M., & Abou Gebran, R. (2019). ENTRE AS REPRESENTAÇÕES E A REALIDADE: AS NORMALISTAS DO EXTREMO OESTE PAULISTA (1947-1975). Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 16(1), 19-28. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/2651