A REVOLUÇÃO CUBANA E A FORMAÇÃO DO HOMEM NOVO (1959-1961)

  • Dayane de Freitas Colombo Rosa
  • Roseli Gall do Amaral da Silva UTFPR-Universidade Tecnológica Federal do Paraná
  • José Joaquim Pereira Melo UEM-Universidade Estadual de Maringá

Resumo

Este trabalho tem como objetivo discutir a educação desenvolvida em Cuba, no período compreendido entre os anos de 1959-1961, cuja preocupação era a formação do homem novo, com vistas a consolidação do movimento revolucionário. O pressuposto teórico e metodológico implicou em analisar os processos educativos tendo como base sua concretude histórica, econômica e política, que visa atender aos interesses da sociedade em que se insere. A questão norteadora que suscitou a análise foi: quais os princípios culturais, morais e políticos que caracterizam o homem novo que se pretendeu formar em Cuba? Para tanto, utilizou-se como fonte o discurso de Ernesto Che Guevara “O socialismo e o homem em Cuba” (1995) e o discurso de Fidel Castro, no funeral do Che em 1997. Nos escritos de Che Guevara (1995), evidencia-se o manual de uma pedagogia revolucionária e, na exposição de Fidel Castro (1997) Che Guevara é apontado como o modelo de homem ideal, que atenderia as necessidades cubanas daquele período. A pesquisa justifica-se no atual contexto histórico educacional por fomentar a reflexão a cerca de uma pedagogia crítica e transformadora.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-20
Como Citar
de Freitas Colombo Rosa, D., Gall do Amaral da Silva, R., & Joaquim Pereira Melo, J. (2018). A REVOLUÇÃO CUBANA E A FORMAÇÃO DO HOMEM NOVO (1959-1961). Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 15(4), 142-147. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/2646