A FORMAÇÃO INICIAL PARA O EXERCÍCIO DA DOCÊNCIA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR

  • Luciana Castro Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Beatriz de Basto Teixeira UFJF
Palavras-chave: Formação Inicial. Alfabetização. Valorização do Magistério

Resumo

Este artigo pretende apresentar o percurso mais recente desenvolvido no contexto da formação de professores especialmente após a LDB. Os dados aqui apresentados integram uma pesquisa maior, em andamento, de cunho qualitativo que investiga questões voltadas ao formador de professores. Para fins do presente texto, serão apresentados considerações sobre o cenário da formação inicial no Brasil com base no mapeamento do estado do conhecimento desse campo em 10 (dez) periódicos que possuem Qualis/CAPES A1, com base na listagem divulgada em 2015, selecionados com apoio nos critérios de expressividade, considerando sua circulação nacional, no período de 2008 a 2018. O estudo vem indicando que, passados mais de 20 (vinte) anos da promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional Brasileira, Lei nº. 9.394/96, em que alguns avanços foram conquistados, ainda se enfrentam muitos desafios quanto à profissionalização docente em especial, em relação as questões voltadas para o trabalho do professor alfabetizador.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Castro, Universidade Federal de Juiz de Fora

Doutoranda em Educação - Programa de Pós Graduação da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora. Professora da Rede municipal de Juiz de Fora.

Referências

ALTET, Marguerite; PERRENOUD, Phillipe; PAQUAY, Leopol (org.). A profissionalização dos formadores de professores. Trad. Fátima Murad. Porto Alegre : Artmed, 2003.

ANDRÉ, Marli E. D. A. Espaços Alternativos de formação docente. In: GATTI, Bernadete Angelina et. al. Por uma revolução no campo da formação de professores. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA, 2009.

BARRETO, Elba Siqueira de Sá. Políticas de Formação Docente para a educação básica no Brasil: embates contemporâneos. Revista Brasileira de Educação. v. 20, n. 63, p. 679-701, jul./set. 2015.

BELLO, Isabel Melero. Cursos e Programas Especiasi no Mercado da Formação Docente. In: SOUZA, Denise Trento Rebello de; SARTI, Flávia Medeiros (orgs.). Mercado de formação docente: constituição, funcionamento e dispositivos. Belo Horizonte : Fino Traço, 2014.

BRASIL. Decreto nº. 5.800, de 8 de junho de 2006. Dispõe sobre o Sistema Universidade Aberta do Brasil – UAB. Diário oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 10 jun. 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_ 03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5800.htm. Acesso em: 27 ago. 2016.

BRASIL. Lei nº. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece Diretrizes e Bases para a Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRZEZINSKI, Iria. Políticas Contemporâneas de formação de professores para os anos iniciais do ensino fundamental. Revista Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 29, n. 105, p. 1139-1166, set./dez. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010173302008000400010&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 04 jul. 2016.

BUTLEN, Max. Os desafios da participação dos profissionais da escola na formação dos professores: um olhar sobre a experiência francesa de universitarização e profissionalização docente. In: GATTI, Bernadete Angelina et. al. Por uma revolução no campo da formação de professores. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

BRUNO, Adriana Rocha; TEIXEIRA, Beatriz de Basto. Inclusão Social, Inclusão Digital: O Curso de Pedagogia a Distância da Faculdade de Educação – Um Caso Brasileiro. Educação em Foco, Juiz de Fora, v. 17, n. 1, p. 151-177, mar. / jun. 2010.

CASTRO, Luciana. A Formação Continuada Docente em Juiz de Fora: “construindo a escola do Caminho Novo”? Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013.

CURY, Carlos Roberto Jamil. Formação e conhecimento: perspectivas filosóficas e sociológicas. Avaliação, Campinas/Sorocaba, SP, v. 19, n. 3, P. 789-802, nov. 2014.

DINIZ-PEREIRA, Julio Emilio. A prática como componente curricular na formação de professores. Educação, Santa Maria, v. 36, n. 2, p. 203-218, maio/ago. 2011.

DOURADO, Luiz Fernandes. A formação de professores e a base comum nacional: questões e proposições para o debate. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação, v. 29, n. 2, p. 367-388. Mai/ago. 2015.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. Certificação e formação do educador: regulação e desprofissionalização. Educação e Sociedade. Campinas, SP, v. 24, n. 85, p. 1095-1124. Dez. 2003.

FREITAS, Helena Costa Lopes de. PNE e formação de professores: contradições e desafios. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 8, n. 15, p. 427-446. Jul./dez. 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro : Paz e Terra, 1992.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática pedagógica. São Paulo: Paz e terra, 1997.

GARCIA, C. M. A. Formação de professores: novas perspectivas baseadas na investigação sobre o pensamento do professor. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1999. p.51-76.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO, Elba de Sá. (Coords.). Professores do Brasil: impasses e desafios. Brasília: UNESCO, 2009.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de Professores: compreender e revolucionar. In: GATTI, Bernadete Angelina et al. Por uma revolução no campo da formação de professores. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

GATTI, Bernadete Angelina. Educação, escola e formação de professores: políticas e impasses. Educar em Revista, Curitiba, n. 50, p. 51-67. Out./dez. 2013.

GATTI, Bernadete Angelina. Formação de Professores no Brasil: características e problemas. Educação e Sociedade, Campinas, SP, v. 31, n. 113, p. 1355-1379. Out. – dez. 2010.

GATTI, Bernadete Angelina. Análise das políticas públicas para a formação continuada no Brasil, na última década. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 13, n. 37, p. 57-186. Jan./abr.2008.

GATTI, Bernadete Angelina; BARRETO, Elba de Sá, ANDRÉ, Marli. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília: UNESCO, 2011.

IMBERNÓN, F. Inovar o ensino e a aprendizagem na universidade. Tradução de Silvana Cobucci Leite. São Paulo : Cortez, 2011.

LAPA, Andrea; PRETTO, Nelson De Luca. Educação a distância e precarização do trabalho docente. Em Aberto, Brasília, v. 23, n. 84, p. 79-97, nov. 2010. Disponível em: http://emaberto.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/2263/2230. Acesso em: 10 fev. 2018.

MENEZES, Lídia Azevedo de; FILHO, Nicolino Trompieri; BRAGA, Adriana Eufrásio. Avaliação dos Orientadores de Estudo do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), Polo Iguati, Ceará. IN: CONGRESSO NACIONAL DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES, 2.; CONGRESSO ESTADUAL PAULISTA SOBRE FORMAÇÃO DE EDUCADORES, 12., 2014. Águas de Lindóia. Anais [...]. Águas de Lindóia: UNESP, 2014. Disponível em: http://unesp.br/anaiscongressoeducadores/ArtigoAnterior?id_artigo=3267&id_evento=31. Acesso em: 24 nov. 2017.

NÓVOA, António. Concepções e práticas de formação contínua de professores. In: CONGRESSO NACIONAL DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: REALIDADES E PERSPECTIVAS, 1., 1991, Aveiro. Anais [...] Aveiro: Universidade de Aveiro, 1991. p. 15-18.

NÓVOA, António. A formação da profissão docente. In: NÓVOA, António. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p.15-53.

NÓVOA, António. Relação Escola-Sociedade: novas respostas para um velho problema. In: SERBINO et al. (Org.). Formação de Professores. São Paulo: Fundação Ed. UNESP, 1998. p.19-39.

NÓVOA, António. Os professores na virada do milénio: do excesso dos discursos à pobreza das práticas. Educação e Pesquisa, v. 25, n. 1, p. 11-20, jan./jun. 1999. DOI: 10.1590/S1517-97021999000100002. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-97021999000100002. Acesso em: 20 dez. 2017.

NÓVOA, António. Firmar a posição como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 47, n. 166, p. 1106-1133, out./dez.. 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S010015742017000401106&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 20 dez. 2017.

OLIVEIRA, Leandra Martins de. Políticas educacionais na formação de professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental em cursos de licenciatura. Revista Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 67, p. 235-252, abr./jun.2010.

PATTO, Maria Helena Souza. A produção do Fracasso Escolar: histórias de submissão e rebeldia. 4. ed. São Paulo : Intermeios, 2015.

SARTI, Flávia Medeiros. O triângulo da formação docente: seus jogadores e configurações. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 38, n. 2. Abr./jun. 2012.

SCHÖN, Donald. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (Org.). Os professores e sua formação. Lisboa: Dom Quixote, 1995. p. 77-91.

SOARES, Magda. Formação de rede: uma alternativa de desenvolvimento profissional de alfabetizadores/as. Cadernos Cenpec. São Paulo, v. 4, n. 2, p. 146-173. Dez. 2014.

SOARES, Magda. Alfabetização: a questão dos métodos. São Paulo : Contexto : 2016.

SOUZA, Denise Trento Rebello de; ZIBETTI, Marli Lúcia Tonatto. Formação de professores e saberes docentes: trajetória e preocupação de uma pesquisadora da docência – uma entrevista com Ruth Mercado. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 40, n. 1, p. 247-267. Jan./mar. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v40n1/16.pdf. Acesso em 03 dez. 2016.

TARDIF, Maurice; LESSARD, Claude. O trabalho docente: elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. Tradução de João Batista Kreuch. Petrópolis, RJ : Vozes, 2008.

VAILLANT, Denise. Para uma mudança radical na formação inicial de professores. In: GATTI, Bernardete Angelina et al. Por uma revolução no campo da formação de professores. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2015.

Publicado
2019-05-09
Como Citar
Castro, L., & Teixeira, B. de B. (2019). A FORMAÇÃO INICIAL PARA O EXERCÍCIO DA DOCÊNCIA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL E A FORMAÇÃO DO PROFESSOR ALFABETIZADOR. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 16(1), 87-98. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/2477