GREVE DE 1996 EM PRESIDENTE PRUDENTE – SP: UM ESTUDO SOBRE CONSCIÊNCIA DE CLASSE

  • Laiane Vieira dos Santos Discente na Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE)
  • Thiago Granja Belieiro Docente na Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE)

Resumo

"O presente artigo está inserido nas propostas de estudos de História regional e local. Concentra-se aqui a greve de 1996 em Presidente Prudente, cidade interiorana do estado de São Paulo, com olhares voltados a manifestação espontânea de consciência da experiência coletiva que é a greve, determinada por experiências individuais e em momentos coletivas, de classe. A greve inicia-se em 06 de maio e termina no dia 29 do mesmo mês de 1996, resultando em 23 dias de experiência grevista, por servidores públicos municipais. A teorização é por meio das ideias do historiador Edward Palmer Thompson, inserido na escola britânica do marxismo, conhecida como marxismo cultural. Conceitos como, classe, consciência de classe e luta de classes, são pensados a partir das obras do autor. A busca da compreensão (experiência e discurso) dos sujeitos da ação, nos permitiu mergulharmos na própria ação estudada, análise de fontes são desenvolvidas para melhor interpretação do estudo".

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-20
Como Citar
dos Santos, L. V., & Belieiro, T. G. (2018). GREVE DE 1996 EM PRESIDENTE PRUDENTE – SP: UM ESTUDO SOBRE CONSCIÊNCIA DE CLASSE. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 15(4), 44-56. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/2389
Seção
DOSSIÊ: EDUCAÇÃO ESCOLAR, VIOLÊNCIA E DESIGUALDADE SOCIAL