A ESCRITA DE SI COMO CONTEXTO FORMATIVO DE UMA PROFESSORA NA CONSTRUÇÃO DE SUA IDENTIDADE PROFESSORAL

  • Edvone da Silva Souza SEMED - Secretaria Municipal de Educação e Cultura
  • Jose Aurimar dos Santos Angelim IF Baiano Campus Senhor do Bonfim

Resumo

Esse artigo apresenta uma pesquisa autobiográfica, buscando tecer reflexões teóricas, embasadas nas escritas de si, de docentes que são alunos de um curso de especialização em educação de jovens e adultos, buscando, a partir de suas narrativas, investigar em que termos as memórias das experiências formativas de docência destes alunos/professores manifestam a autoformação como formação. Lançamos mão dessa abordagem por entendermos que as histórias de vida e formação apresentam um estudo construído a partir dos acontecimentos, eventos, saberes, conhecimentos, atitudes e sentimentos, que emergem de uma prática docente diferenciada, quando se trabalha na perspectiva da educação de jovens e adultos. Para a construção dessa narrativa, nos apoiamos na possibilidade da triangulação de dados, utilizando do diário de bordo, questionários e entrevistas, buscando construir uma pesquisa sólida. Como indícios das falas dos sujeitos, visualizamos que a opção pelo magistério já estava consolidada na trajetória de vida de muitos dos sujeitos pesquisados, comprovada pelo sentimento de alteridade, o que permite aos sujeitos compreenderem e reforçarem teorias como a de Nóvoa (1995), Schön (2000), Tardif (2002) e Freire (2006), que buscam caracterizar um profissional da educação mais voltado aos valores humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edvone da Silva Souza, SEMED - Secretaria Municipal de Educação e Cultura
Pedagoga e Especialista em Educação de Jovens e Adultos
Jose Aurimar dos Santos Angelim, IF Baiano Campus Senhor do Bonfim
Mestre e Doutor em Educação Matemática
Publicado
2018-11-30
Como Citar
Souza, E., & Angelim, J. (2018). A ESCRITA DE SI COMO CONTEXTO FORMATIVO DE UMA PROFESSORA NA CONSTRUÇÃO DE SUA IDENTIDADE PROFESSORAL. Colloquium Humanarum. ISSN: 1809-8207, 15(2), 95-112. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ch/article/view/2166