VARIAÇÃO DO ÍNDICE NDVI E DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE TERRESTRE NA MALHA URBANA DO MUNICÍPIO DE PARACATU – MG ENTRE 1985 E 2005

Palavras-chave:

LST, NDVI, crescimento urvank

Resumo

Esta pesquisa objetivou avaliar, multitemporalmente, por meio do índice de vegetação por diferença normalizada (NDVI) e da temperatura da superfície (LST), a expansão da malha urbana do município de Paracatu (MG), que chegou a apresentar, durante o período analisado, entre os anos de 1985 e 2005, taxa de urbanização acima do Brasil. Foi elaborado um layout multitemporal contendo os resultados obtidos e realizado análises estatísticas para verificar se houve diferença significativa entre os anos. Verificou-se uma variação de mais de 2 ºC nas médias e máximas da sua LST. Em relação à variação do índice NDVI, observou-se a redução da vegetação com o decorrer da expansão da malha urbana. Foi possível concluir que a expansão urbana do município de Paracatu, atrelado à falta de planejamento urbano e ambiental, pode estar diretamente relacionada com as variações de LST e do índice NDVI, fato que influencia, diretamente, na saúde e no bem-estar dos munícipes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABREU, L.V.; LABAKI, L.C. Conforto térmico propiciado por algumas espécies arbóreas: avaliação do raio de influência através de diferentes índices de conforto. Ambiente Construído, 10(4), pp.103-117. 2010. 10.1590/S1678-86212010000400008. https://doi.org/10.1590/S1678-86212010000400008

ALVES, E. D. L. Ilha de calor urbana em cidade de pequeno porte e a influência de variáveis geourbanas. Revista Brasileira de Climatologia, v. 20, 2017. 10.5380/abclima.v20i0.46190. https://doi.org/10.5380/abclima.v20i0.46190

AMORIM, M. C. de C. T. Ilhas de calor superficiais: frequência da intensidade e variabilidade espacial em cidade de clima tropical continental. Geo UERJ, n. 34, p. 40959, 2019. doi.org/10.12957/geouerj.2019.40959. https://doi.org/10.12957/geouerj.2019.40959

AMORIM, M. C. de C. T. Detecção remota de ilhas de calor superficiais: Exemplos de cidades de porte médio e pequeno do ambiente tropical, Brasil. Finisterra-Revista Portuguesa de Geografia, n. 105, p. 111-133, 2017. 10.18055/Finis6888. https://doi.org/10.18055/Finis6888

AMORIM, M. C. de C. T. DUBREUIL, V.; QUENOL, H.; SANT’ANA NETO, J. L. Características das ilhas de calor em cidades de porte médio: exemplos de Presidente Prudente (Brasil) e Rennes (França). Confins, n. 7, p. 1–16, 2009. 10.4000/confins.6070. https://doi.org/10.4000/confins.6070

ARRUDA, L.E.V.D.; VALE, H.S.M.; SILVA,P.C.M.D. Índice de área verde e de cobertura vegetal no perímetro urbano central do município de Mossoró, RN. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 8, n. 2, p. 43, 2013.

ATLAS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO NO BRASIL. IDHM. Perfil - Paracatu, MG. Disponível em: http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/perfil_m/paracatu_mg. Acesso em: Mai. 2020.

AZEVEDO, Thiago Salomão de; TAVARES, Antônio Carlos; SILVA, Brum Bastos da; PIOVEZAN, Vanessa; RAFAEL, Von Zuben; ANDRÉ, Cláudio José; REGINA, Iara. Ilhas de calor e Aedes aegypti: um estudo preliminar para a cidade de Santa Bárbara d’Oeste, SP-BRA, utilizando sensoriamento remoto. Geografia da Saúde: experiências do grupo de pesquisas sobre desastres (NUPED) da UNESP, Rio Claro, São Paulo, Brasil. Herstellung: Novas Edições Acadêmicas, p. 19-33, 2013.

BARBOSA, Ricardo Victor Rodrigues; VECCHIA, Francisco Arthur da Silva. Estudos de ilha de calor urbana por meio de imagens do Landsat 7 ETM+: estudo de caso em São Carlos (SP). Revista Minerva, v. 6, n. 3, p. 273-278, 2009.

BARROS, H. R.; LOMBARDO, M. A. A ilha de calor urbana e o uso e cobertura do solo no município de São Paulo-SP. GEOUSP Espaço E Tempo (Online), v. 20, n. 1, p. 160-177, 2016. 10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.97783 . https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2016.97783

BEZERRA, A.E.; SOUZA, F.L. T, SILVA J. D.S.; OLIVEIRA, C.W.; MORAES, N.d. Estimativa da Produtividade Primária Bruta da vegetação nativa e cultivo irrigado através de sensoriamento remoto. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, v. 13, n. 5, p. 3662-3675, 2019. 10.7127/rbai.v13n5001128. https://doi.org/10.7127/RBAI.V13N5001128

CORREA, W. S. C.; COELHO, A. L. N.; VALE, C. C. V. Influência de distintos sistemas atmosféricos na temperatura de superfície do município de Vitória (ES). Caminhos de Geografia, v. 16, n. 53, p. 37–54, 2015.

DUBREUIL, V.; QUÉNOL, H.; FOISSARD, X.;AMORIM, M. Métodos e monitoramento da variabilidade espaçotemporal da ilha de calor em cidades de porte médio: Rennes/França e Presidente Prudente/Brasil. 2014.

FRANÇA, M.S.D.; GOMES, E.D.S. Indícios de ilha de calor urbana em Sorriso/MT. Revista Monografias Ambientais, v. 13, n. 3, p. 3366-3376, 2014. 10.5902/2236130813401. https://doi.org/10.5902/2236130813401

HAUGHTER, G.; HUNTER, C. Sustainable Cities. J. Kingsley Publishers, London: Regional Studies Association, Bristol, Pa, 1994.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Banco de dados geográficos. Paracatu. Disponível em: http://www.metadados.geo.ibge.gov.br/geonetwork_ibge/srv/por/main.home Acesso em: Jun. 2020.

IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produto Interno Bruto dos Municípios. Paracatu. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/contas-nacionais/9088-produto-interno-bruto-dos-municipios.html?=&t=o-que-e Acesso em: Mai. 2020.

INMET, Instituto Nacional de Meteorologia. Normais Climatológicas. Disponível em: http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=clima/normaisClimatologicas Acesso em: Jun. 2020.

MILLÁN, V. E. G.; TEUWSEN, S.; MÜNSTER, K. P. Description of a Flooding Process in Mining Areas using spectral Indices on multi-temporal Landsat Imagery. Photogrammetrie-Fer. Geoinformation 5: 427-0436 pp, 2013. 1432-8364/2013/0189. https://doi.org/10.1127/1432-8364/2013/0189

MOREIRA, J. L.; AMORIM, M. C. C.. O clima urbano de Penápolis-SP através da temperatura da superfície e de índices radiométricos. Geosaberes: revista de estudos geoeducacionais, v. 6, n. 3, 190-202, 2015.

NASCIMENTO, D. T. F.; OLIVEIRA, I. J. de. Análise da evolução do fenômeno de ilhas de calor no município de Goiânia/GO (1986-2010). Boletim Goiano de Geografia, v. 31, n. 2, p. 113–127, 2011. https://doi.org/10.5216/bgg.v31i2.16849

NHONGO, E.J.S.; FONTANA, D.C.; GUASSELLI, L.A.; ESQUERDO, J.C.D.M. Caracterizaçao fenológica da cobertura vegetal com base em série temporal NDVI/MODIS na reserva do Niassa-Moçambique. Revista Brasileira de Cartografia, v. 69, n. 6, 2017.

OKE, T. R. et al. The energy balance of central Mexico City during the dry season. Atmosphe-ric Environment, v. 33, n. 24/25, p. 3919-3930,1999. https://doi.org/10.1016/S1352-2310(99)00134-X

OLIVEIRA, H.P.V.D.; SILVA, E.V.D. Sistemas ambientais e vulnerabilidade à degradação dos recursos naturais dos municípios do Baixo Jaguaribe com aplicação de geotecnologia: subsídio ao ordenamento territorial. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v.3., n.5, pp.137-152. 2016. 10.21438/rbgas.030504. https://doi.org/10.21438/rbgas.030504

OLIVEIRA, T.T.G.T.; BEZERRA, P.E.S.; PONTES, A.N.; MARTINS, A.C.C.T. Modificações paisagísticas e implicações térmicas no distrito administrativo de Belém, Pará. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, v. 13, n. 3, p. 404-411, 2018. 10.18378/rvads.v13i3.5648. https://doi.org/10.18378/rvads.v13i3.5648

OMAR, H. A.; QUIROZ, C.; DAZA, H. M. R.; IVANOVA, Y. Detection of open-pit mining zon es by implementing spectral indices and image fusion techniques", DYNA, 84(201): 42-49 pp., 2017. 10.15446/dyna.v84n.60368. https://doi.org/10.15446/dyna.v84n201.60368

PORONGABA, G.F.O.; AMORIM, M.C.D.C.T. Geotecnologias Aplicadas à Análise de Ilhas de Calor de Superfície em Cidades do Interior do Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 12, n. 06, p. 2041-2050, 2019. https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.6.p2041-2050

PESSI, D.D.; PIMENTEL, C.F.; CÂNDIDO, A.K.A.A.; Junior, P.L.M; da SILVA, N.M. D,. "Análise da relação entre NDVI e a temperatura da superfície terrestre como técnica no planejamento urbano dos municípios." Terr@ Plural v.13, n.3, p. 237-251, 2019. 0000-0003-0781-785X.

ROUSE, J. W., HAAS, R. H., SSCHELL, J. A., DEERING, D. W. Monitoring vegetation system in the great plains with ERTS. Third ERST Symposium, NASA SP-351, vol.1, pp. 309–317. 1973.

SOUZA, D. O. de; ALVALÁ, R. C. dos S. Observational evidence of the urban heat island of Manaus City, Brazil. Royal Meteorological Society (online), v. 21, n. 2, p. 186– 193, 2012. 10.1002/met.1340. https://doi.org/10.1002/met.1340

USGS. EarthExplorer. Disponível em: https://earthexplorer.usgs.gov/ . Acesso em: maio 2020.

USGS (United States Geological Service). Landsat 8 (L8) Data Users Handbook. Department of the 511 Interior U.S. Geological Survey. EROS Sioux Falls, South Dakota. (LSDS-1574. V. 2.0). 2016

Yue, W.; J. Xu; W. Tan; L, Xu. The relationship between land surface temperature and NDVI with remote sensing: application to Shanghai Landsat & ETM+ data. International Journal of Remote Sensing, v. 28, n. 15, p. 3205-3226, 2007. 10.1080/01431160500306906. https://doi.org/10.1080/01431160500306906

ZANZARINI, F.V.; PISSARRA, T.C.; BRANDÃI, F.J; TEIXEIRA, D.D. Correlação espacial do índice de vegetação (NDVI) de imagem Landsat/ETM+ com atributos do solo. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 17, n. 6, p. 608-614, 2013. 10.1590/S1415-43662013000600006. https://doi.org/10.1590/S1415-43662013000600006.

Publicado

2020-12-04 — Atualizado em 2020-12-04

Como Citar

VARIAÇÃO DO ÍNDICE NDVI E DA TEMPERATURA DA SUPERFÍCIE TERRESTRE NA MALHA URBANA DO MUNICÍPIO DE PARACATU – MG ENTRE 1985 E 2005. (2020). Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 12(2), 119-129. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ce/article/view/3818