ANÁLISE DA VIABILIDADE DA CONSTRUÇÃO DE UM ATERRO SANITÁRIO NO MUNICÍPIO DE RANCHARIA (SP) POR MEIO DE ENGENHARIA ECONÔMICA

Autores

  • Arthur Pereira dos Santos Universidade Federal de Uberlândia
  • Elson Felici
  • Marcelo Alves
  • Felipe Lemos

Palavras-chave:

resíduos sólidos; PNRS; análise de investimentos.

Resumo

O presente trabalho objetivou analisar a viabilidade da construção de um aterro sanitário no município de Rancharia – SP, visando atender às normas estabelecidas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), reduzir custos com a destinação adequada do lixo, erradicar a poluição ambiental e evitar possíveis penalidades impostas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB). Realizou-se abordagem quantitativa para verificar a viabilidade econômica das alternativas de investimento, com a aplicação de métodos de Engenharia Econômica, como o método do Valor Presente Líquido (VPL). As informações necessárias para a análise, relativas as projeções de geração de resíduos sólidos pelo município de Rancharia, aos custos com a terceirização da destinação adequada do lixo, aos custos com as etapas do ciclo de vida de um aterro sanitário, foram levantadas através de pesquisa bibliográfica e documental. Dessa forma, concluiu-se que a construção de um aterro sanitário no município em estudo é a alternativa mais rentável economicamente, podendo apresentar melhores retornos com a realização de financiamentos, cujas taxas são inferiores ao custo de oportunidade, bem como com a implantação de sistemas mais eficientes de coleta seletiva de materiais recicláveis. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BETRE. Associação Brasileira de Empresas de Tratamento de Resíduos (2007). Estudo sobre os aspectos econômicos e financeiros da implantação e operação de aterros sanitários.

BARROS, R. M. (2012). Tratado sobre Resíduos Sólidos: Gestão, Uso e Sustentabilidade. Rio de Janeiro: Ed. Acta Interciência.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 02 de agosto de 2010. Que institui a Política Nacional dos Resíduos Sólidos, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 22 nov. 2010.

BRASIL. Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 mar. 1998.

Del Bel, D., & Salgosa, A. (2012). A importância da infraestrutura de destinação de resíduos sólidos. Saneas., 43.

DEMOGRÁFICO, Censo. Fundação IBGE. Rio de Janeiro, Brasil: Censo demográfico, 1991.

Ehrlich, P. J., & de Moraes, E. A. (2005). Engenharia econômica: avaliação e seleção de projetos de investimento. Atlas.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Populacional (2010).

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE (MMA) – GOVERNO FEDERAL. Coleta Seletiva. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/residuos-solidos/catadores-de-materiais-reciclaveis/reciclagem-e-reaproveitamento>. 2016.

RIBEIRO, Túlio Franco; DO CARMO LIMA, Samuel. Coleta seletiva de lixo domiciliar-estudo de casos. Caminhos de geografia, v. 2, n. 2, 2001.

Sodré, U. (2007). Crescimento populacional. Matemática, UEL, Londrina.

Publicado

2020-09-15

Como Citar

Pereira dos Santos, A., Felici, E., Alves, M., & Lemos, F. (2020). ANÁLISE DA VIABILIDADE DA CONSTRUÇÃO DE UM ATERRO SANITÁRIO NO MUNICÍPIO DE RANCHARIA (SP) POR MEIO DE ENGENHARIA ECONÔMICA. Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 12(1), 73-85. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ce/article/view/3521