ESTUDO DE AUTODEPURAÇÃO: O CASO DO CÓRREGO DO LIMOEIRO, PRESIDENTE PRUDENTE - SP

  • Tamiris Silva Corrêa
  • Renata Ribeiro de Araújo
Palavras-chave: Autodepuração, Córrego do Limoeiro, Variáveis Limnológicas, Modelagem Streeter & Phelps, Capacidade Autodepurativa.

Resumo

Autodepuração é a capacidade que os corpos d’água possuem de recuperar-se de maneira natural, ou seja, sem necessidade de intervenção, após despejo de algum tipo de carga orgânica, mas essa capacidade é limitada e influenciada por alguns fatores. Assim, tal pesquisa objetiva estudar a capacidade autodepurativa do Córrego do Limoeiro (classe 4), localizado no município de Presidente Prudente – SP, após a introdução de uma fonte de poluição, que no caso é o lançamento de efluente tratado. A modelagem matemática utilizada é a Streeter & Phelps (1925), a qual depende da quantificação de variáveis limnológicas e hidrológicas, o que foi realizado em 5 seções. Os resultados mostraram que corpo d’água tem capacidade suporte para o esgoto tratado que recebe, ou seja, consegue ir recuperando suas características anteriores `introdução da carga orgânica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2016-03-10
Como Citar
Silva Corrêa, T., & Ribeiro de Araújo, R. (2016). ESTUDO DE AUTODEPURAÇÃO: O CASO DO CÓRREGO DO LIMOEIRO, PRESIDENTE PRUDENTE - SP. Colloquium Exactarum. ISSN: 2178-8332, 7(3), 48-55. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ce/article/view/1443
Seção
Artigos Originais