AR SECO E AQUECIDO NO PROCESSO DE DORMÊNCIA E GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Urochloa humidicola

  • Antonio Marcelo Pereira ITesp
  • Fabiane Lima Abrantes UNOESTE
  • Nelson Barbosa Machado-Neto UNOESTE
  • Ceci Castilho Custódio UNOESTE
Palavras-chave: ácido sulfúrico, ar aquecido, quícuio da Amazônia, secagem, vigor de sementes

Resumo

O ácido sulfúrico (H2SO4) mostra-se eficaz na superação da dormência em sementes, porém trazendo riscos efetivos aos trabalhadores e ambiente. O objetivo do trabalho foi estudar a efetividade do tratamento com ácido sulfúrico, preconizado pelas RAS, e o emprego de ventilação com ar seco e aquecido na superação da dormência e desempenho germinativo de sementes de seis lotes de Urochloa humidicola cv. Tully. Os efeitos fisiológicos entre tratamentos térmicos (45, 55, 65 e 75 ºC), por 24 ou 48 h, a escarificação com H2SO4 concentrado por 10 min e um controle, foram comparados pela germinação, o índice de velocidade de germinação, o teste de tetrazólio e a massa seca das plântulas. O uso de temperaturas variadas e controladas e de H2SO4 são mecanismos de superação de dormência, porém em lotes com maior vitalidade os resultados foram similares ao H2SO4, podendo ser considerado uma alternativa. De maneira geral, o trabalho não indicou o melhor período (24 ou 48 h), para emprego da ventilação com ar seco, entretanto a temperatura de 60 °C, para os lotes de maior vitalidade (L1, L3 e L5), pode ser recomendada. O H2SO4 nos lotes com maior vitalidade não mostrou significância estatística em relação à testemunha, porém para os lotes com menor vitalidade ocorreu deterioração fisiológica das sementes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2014-12-17
Como Citar
Pereira, A. M., Abrantes, F. L., Machado-Neto, N. B., & Custódio, C. C. (2014). AR SECO E AQUECIDO NO PROCESSO DE DORMÊNCIA E GERMINAÇÃO DE SEMENTES DE Urochloa humidicola. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 10(1), 09-25. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/983