AVALIAÇÃO DO EFEITO DO “STRESS SALINO” SOBRE O DESENVOLVIMENTO INICIAL DE RÚCULA

  • Marlon Lima Araújo Universidade Federal do Acre
  • Samara Silva Oliveira Universidade Federal do Acre
  • Jéssica Larissa Bezerra Souza Universidade Federal do Acre
  • Marcos Giovane Pedrosa de Abreu Universidade Federal do Acre
  • André Luiz Melhorança Filho Universidade Federal do Acre
Palavras-chave: Eruca sativa, Hortaliça Folhosa, Salinidade.

Resumo

O estudo das condições ambientais favoráveis ao desenvolvimento inicial das plantas é o ponto chave para obtenção de altas produtividades e desenvolvimento vegetal satisfatório. Em vista dessa afirmativa o presente estudo objetivou avaliar o desenvolvimento inicial de rúcula (Eruca sativa cv. Cultivada – Feltrin) submetida a distintas condições de “stress salino”. Para a condução do experimento emergiu-se folhas de papel germitest em soluções de água destilada e cloreto de sódio com as seguintes condições hídricas: 0; -0,2; -0,4; -0,6; -0,8; -1,0 MPa. Após imersão das folhas nas soluções submeteu-se sementes de rúcula às diferentes condições de stress durante 8 (oito) dias. Observou-se neste trabalho que o desenvolvimento do hipocótilo e da radícula decresce linearmente com o aumento do “stress salino”. A germinação da rúcula resiste a condições salinas até -0,4 MPa, havendo a partir desse stress e diferença significativa na germinação das sementes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marlon Lima Araújo, Universidade Federal do Acre
Graduando do curso de engenharia agronômica da Universidade Federal do Acre.
Samara Silva Oliveira, Universidade Federal do Acre
Graduanda do curso de engenharia agronômica da Universidade Federal do Acre.
Jéssica Larissa Bezerra Souza, Universidade Federal do Acre
Graduanda do curso de engenharia agronômica da Universidade Federal do Acre.
Marcos Giovane Pedrosa de Abreu, Universidade Federal do Acre
Graduando do curso de engenharia agronômica da Universidade Federal do Acre.
André Luiz Melhorança Filho, Universidade Federal do Acre
Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (2002), mestrado em Agronomia (Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2005) e doutorado em Agronomia (Agricultura) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (2008). Atualmente é professor da Universidade Federal do Acre. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Fisiologia Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: plantas daninhas, estresse hídrico, e biocombustíveis. Atualmente é tutor do Grupo PET/Agronomia da Universidade Federal do Acre.
Publicado
2014-12-12
Como Citar
Araújo, M. L., Oliveira, S. S., Souza, J. L. B., Pedrosa de Abreu, M. G., & Melhorança Filho, A. L. (2014). AVALIAÇÃO DO EFEITO DO “STRESS SALINO” SOBRE O DESENVOLVIMENTO INICIAL DE RÚCULA. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 10(1), 01-08. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/848