CALAGEM E SILICATAGEM EM SOLO INCUBADO COM DIFERENTES UMIDADES

  • Juliano Carlos Calonego UNOESTE
  • Vitor Savoia Mora
  • Carlos Henrique Santos
  • Leandro de Oliveira
Palavras-chave: acidez do solo, silicato de cálcio e magnésio, calcário dolomítico, corretivos da acidez,

Resumo

O calcário é o corretivo da acidez mais utilizado nos solos agrícolas brasileiros, porém benefícios importantes podem ser obtidos silicatos de cálcio e magnésio. Objetivou-se comparar o efeito neutralizante da acidez do solo por meio de calagem e silicatagem, com incubação dos corretivos em condições de solo mais ou menos úmido. O experimento foi conduzido no laboratório de análise química de solo, na Universidade do Oeste Paulista-UNOESTE, utilizando solo coletado na camada de 0 a 20 cm de um Argissolo Vermelho-Amarelado distrófico. Utilizou-se o delineamento experimental inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2x2x5, sendo dois corretivos (calcário dolomítico e silicato de Ca e Mg), duas umidades do solo (80 e 20% da umidade de saturação) e cinco épocas de avaliação (60, 90, 120, 150 e 180 dias após incubação) dos atributos químicos do solo. Os dados originais foram testados por meio de teste de médias e análise de regressão. O silicato apresenta maior capacidade neutralizante da acidez do solo que o calcário, e com isso sua dosagem deve ser melhor estudada, pois a utilização do cálculo para determinar a necessidade de calagem pode superestimar a necessidade de silicatagem. O solo com umidade entre 20 e 80% da umidade de saturação não influencia na ação do calcário, diferentemente do silicato, que tem sua reação no solo potencializada na condição de maior umidade. A ação corretiva da acidez do solo por ambos os corretivos permanece crescente até 180 dias da incubação, porém, resultados satisfatórios já são obtidos com 60 dias de incubação do solo.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2013-04-18
Como Citar
Calonego, J. C., Mora, V. S., Santos, C. H., & Oliveira, L. de. (2013). CALAGEM E SILICATAGEM EM SOLO INCUBADO COM DIFERENTES UMIDADES. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 8(2), 46-56. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/727