EFEITO DO PERÍODO PÓS-PARTO SOBRE A TAXA DE PRENHEZ DE VACAS DE CORTE SUBMETIDAS À IATF (INSEMINAÇÃO ARTICIAL EM TEMPO FIXO)

  • Ana Paula da Silveira UNOESTE
  • Marcelo Zoccolaro Costa
  • Luiz Roberto Almeida Gabriel Filho Unesp
  • Caliê Castilho UNOESTE
Palavras-chave: eCG, vacas de corte, remoção temporária do bezerro

Resumo

O trabalho teve como objetivo avaliar a influência do período pós-parto: Precoce (28 a 44 dias) ou Tardio (45 a 90 dias) na taxa de prenhez de matrizes submetidas à IATF (inseminação artificial em tempo fixo). Foram utilizadas 678 vacas divididas em: Grupo Precoce (G-P, n=151) e Grupo Tardio (G-T, n=527). Os animais receberam CIDR® + 2 mL de benzoato de estradiol no dia zero (D0). Oito dias após (D8) o dispositivo foi retirado e ambos os grupos receberam 2,5 mL PGF2α e 1,5 mL eCG ou remoção temporária do bezerro (RTB). No dia seguinte (D9) os animais receberam 1 mL BE e 24 horas após realizou-se a IATF utilizando sêmen de touros da raça Nelore e os bezerros foram retornados. A taxa de prenhez não variou entre os grupos (p>0,05) sendo 40% (G-P) e 48% (G-T). Os resultados indicam que fêmeas com menos de 45 dias pós-parto estão aptas para início do protocolo hormonal para IATF.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula da Silveira, UNOESTE
Zootecnista Mestre em Ciência Animal - UNOESTE
Marcelo Zoccolaro Costa
Médico Veterinário MSc
Luiz Roberto Almeida Gabriel Filho, Unesp
Docente Unesp Campus Experimental de Tupã - SP
Caliê Castilho, UNOESTE
Docente Mestrado em Ciência Animal - UNOESTE
Publicado
2011-06-15
Como Citar
da Silveira, A. P., Costa, M. Z., Gabriel Filho, L. R. A., & Castilho, C. (2011). EFEITO DO PERÍODO PÓS-PARTO SOBRE A TAXA DE PRENHEZ DE VACAS DE CORTE SUBMETIDAS À IATF (INSEMINAÇÃO ARTICIAL EM TEMPO FIXO). Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 6(2), 40-45. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/513

Outros artigos do(s) mesmo(s) autor(es)