DESENVOLVIMENTO RADICULAR DE HÍBRIDOS DE MAMONA SUBMETIDAS À ADUBAÇÃO POTÁSSICA

  • Hugo Alexandre Coelho Universidade Estadual Paulista
  • Láislla De Gouveia Universidade Estadual Paulista
  • Edemar Moro Universidade Estadual Paulista
  • Carlos Alexandre Costa Crusciol Universidade Estadual Paulista
Palavras-chave: híbridos de mamona, potássio, sistema radicular

Resumo

A deficiência de potássio no início do ciclo vegetativo afeta o equilíbrio nutricional comprometendo o adequando desenvolvimento das plantas. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do potássio (K) no desenvolvimento do sistema radicular e na produção de matéria seca da parte aérea de híbridos de mamona. O experimento foi instalado em esquema fatorial 5x2 em delineamento inteiramente casualizado, com quatro repetições. Os tratamentos constaram de cinco doses de K: 0, 25, 50, 100 e 200 ppm e de dois híbridos de mamona (lyra e savana). Decorrido 45 dias após a emergência, realizou-se a coleta da parte aérea e do sistema radicular das plantas. As avaliações realizadas foram: comprimento, superfície, diâmetro e matéria seca do sistema radicular e da parte aérea. Os dados de comprimento radicular diferiram apenas entre os híbridos, sendo que o savana apresentou maior comprimento, média de 891,31m enquanto que o comprimento médio do híbrido lyra foi de 560,74m vaso-1. Para superfície radicular não houve diferença entre os híbridos, assim como não houve para as doses de potássio. As dose de K influenciaram de forma contrária o diâmetro radicular dos híbridos. Com o aumento da adubação potássica o híbrido lyra reduziu o diâmetro radicular, enquanto que o savana aumentou. O híbrido lyra não teve a matéria seca radicular afetada pela adubação potássica. Os dados para o híbrido savana se ajustaram a função quadrática atingindo o máximo de matéria seca (10,42 g vaso-1) com a dose ajustada de 78,5 ppm de K. Em relação a matéria seca da parte aérea os dados para o híbrido lyra se ajustaram a função linear. Para o tratamento testemunha a produção de matéria seca ajustada pela equação foi de 21,59 g e com a maior dose de K (200 ppm) aumentou para 27,13 g vaso-1. O acréscimo neste caso foi de 20%. Em relação ao híbrido savana os dados foram ajustados a função quadrática. Neste caso maior produção de matéria seca da parte aérea (28 g vaso-1) ocorreu com a dose ajustada de 116 ppm de K. A adubação potássica proporcionou maior matéria seca radicular ao híbrido savana e maior produção de matéria seca da parte aérea para ambos os híbridos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Hugo Alexandre Coelho, Universidade Estadual Paulista
Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu - UNESP – Rua José Barbosa de Barros, nº 1780, Caixa Postal 237, CEP: 18610-307, Botucatu – SP. Correspondência:hugoalexandrecoelho@bol.com.br
Publicado
2012-02-16
Como Citar
Coelho, H. A., De Gouveia, L., Moro, E., & Crusciol, C. A. C. (2012). DESENVOLVIMENTO RADICULAR DE HÍBRIDOS DE MAMONA SUBMETIDAS À ADUBAÇÃO POTÁSSICA. Colloquium Agrariae. ISSN: 1809-8215, 7(1), 09-16. Recuperado de http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/369

Outros artigos do(s) mesmo(s) autor(es)